Bob Dylan leva o Prêmio Nobel de Literatura

palavralivre-premio-nobel-dylanO prêmio Nobel de Literatura 2016 foi atribuído a Bob Dylan, por ter criado novas formas de expressão poéticas no quadro da grande tradição da música americana, anunciou hoje (13) a Academia Sueca.

Bob Dylan  é o nome artístico de Robert Allen Zimmerman, nascido em 24 de maio de 1941 – compositor, cantor, pintor, ator e escritor norte-americano.

Nascido no estado de Minnesota, neto de imigrantes judeus russos, aos 10 anos Dylan escreveu seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho.

Começou cantando em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly, mas quando foi para a Universidade de Minnesota em 1959, voltou-se para a folk music, impressionado com a obra musical do lendário cantor folk Woody Guthrie, a quem foi visitar em Nova York em 1961.

Em 2004, foi eleito pela revista Rolling Stone o sétimo maior cantor de todos os tempos e, pela mesma revista, o segundo melhor artista da música de todos os tempos, ficando atrás somente dos Beatles.

Uma de suas principais canções, Like a Rolling Stones, foi escolhida como uma das melhores de todos os tempos. Em 2012, Dylan foi condecorado com a Medalha da Liberdade pelo presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

*Com informações da Agência Lusa

Nobel de literatura sai para Svetlana Aleksievitch, da Bielorrússia

nobel_de_literaturaA jornalista e esctriora Svetlana Aleksievitch, da Bielorrússia, recebeu hoje (8) o Nobel de Literatura 2015 pela “escrita polifônica, um monumento ao sofrimento e à coragem no nosso tempo”, anunciou a Academia Sueca.

A secretária permanente da Academia Sueca, Sara Danius, descreveu a jornalista bielorrussa como uma “escritora extraordinária” que traçou uma “história da alma” do período pós-soviético.

Em declaração divulgada pela Academia, Sara Danius conta que Svetlana, “esteve ocupada nos últimos 30 ou 40 anos mapeando o indivíduo [do período] pós-soviético”. “Não se trata de uma história sobre acontecimentos, mas sobre emoções”, afirmou Sara, ressaltando que os temas abordados pela vencedora do prêmico, como o desastre nuclear de Chernobyl, são “pretextos para conhecer o indivíduo soviético e pós-soviético”.

A autora, de 67 anos, é a 14ª mulher a receber o prêmio, sete delas nos últimos 25 anos. A mais recente foi a escritora canadense Alice Munro, em 2013, precedida da alemã de origem romena Herta Müller, em 2009; da britânica Doris Lessing, em 2007; da austríaca Elfriede Jelinek, em 2004; da norte-americana Toni Morrison, em 1993; e da sul-africana Nadine Gordimer, em 1991.

Antes delas também foram premiadas a poetisa alemã Nelly Sachs, em 1966; a chilena Gabriela Mistral, em 1945; a romancista norte-americana Pearl S. Buck, em 1938; a escritora norueguesa Sigid Undset, em 1928; e a italiana Grazia Deledda, em 1926. A sueca Selma Lagerlöf, autora de A maravilhosa viagem de Nils Holgersson, foi a primeira mulher a receber o Nobel da Literatura, em 1909.

No ano passado, o Prêmio Nobel de Literatura foi atribuído ao escritor francês Patrick Modiano. O valor do prêmio que a bielerrússa vai receber é $8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3,7 milhões).