PSL de Joinville prepara candidaturas

O PSL de Joinville reuniu seus pré-candidatos a vereador e a Prefeito em hotel da maior cidade catarinense na noite de ontem (10). O evento foi comandado pelo secretário de Articulação Internacional do Governo de Carlos Moisés, Derian Campos, que também é o pré-candidato do partido para a disputa este ano à Prefeitura.

O projeto visa construir candidaturas viáveis e eleger um ou dois vereadores, e para isso já possuem mais de 29 nomes de lideranças, número que cada partido terá que lançar à Câmara. Boatos que correm em Joinville dão conta que o PSL não terá candidato a Prefeito pois há acordo com o atual prefeito Udo Döhler (MDB) para composição na chapa que terá o deputado Fernando Krelling (MDB) à frente.

O governador Carlos Moisés já teria fechado o negócio com o prefeito joinvilense, de olho na recíproca em 2022. O PSL decidiu ter candidatos nos 30 maiores municípios do estado para pavimentar a recondução de Moisés ao cargo. Derian Campos já teria até um slogan pronto: Joinville tem que ser de todos. Corre nas redes sociais uma imagem do Secretário com o slogan e uma hashtag que chama a atenção – #libertajoinville.

Derian Campos aposta tudo na repetição do fenômeno 17 que elegeu Bolsonaro em 2018. A diferença é que hoje Carlos Moisés e Bolsonaro não caminham mais juntos, nem no partido e tampouco nas ideias e projetos.

PSB “anistia” o deputado Rodrigo Coelho

Ele já foi prefeiturável em Joinville (SC). Depois, após votar contra a orientação do seu partido, o PSB, a favor da Reforma da Previdência Social proposta pelo governo Bolsonaro, perdeu os poderes ao ser suspenso pela direção nacional. Após um inverno político, o deputado federal Rodrigo Coelho obteve a sua anistia e pode voltar a ter plenos poderes para atuar na Câmara dos Deputados e nas instâncias partidárias.

Em reunião no dia 05 de fevereiro de 2020, o PSB decidiu, por unanimidade, retirar a suspensão do Deputado Federal Rodrigo Coelho (SC) das atividades partidárias na Câmara dos Deputados. A pena, que duraria 12 meses, havia sido aplicada ao catarinense no dia 30 de agosto de 2019.

De acordo com a decisão do PSB, Rodrigo Coelho deverá ter a “completa reinserção” no cotidiano da bancada na Câmara e nas atividades partidárias. O deputado ganhou mais uma boa notícia no mesmo dia: foi renomeado presidente do Diretório em Joinville.

Não se sabe ainda se Rodrigo Coelho volta a ser prefeiturável. Aliás, o deputado fez questão de esclarecer em nota à imprensa que segue com o processo no Tribunal Superior Eleitoral – TSE para ter direito à desfiliação do PSB. A decisão do TSE deve sair no início de março.

Ou seja, até pelo ex-atual- amor partidário PSB, Coelho poderá ser candidato a Prefeito de Joinville este ano. Quem diria…

Transparência Zero na Companhia Águas de Joinville, até quando?

Águas de Joinville não promove a transparência pública como manda a lei. Será preciso também um TAC?
Águas de Joinville não promove a transparência pública como manda a lei. Será preciso também um TAC?

Transparência Zero na Águas de Joinville! A Companhia Águas de Joinville não preza pela transparência dos seus atos, dos seus gastos, de nada! Não há como o cidadão comum saber, por exemplo, quanto ganham seus diretores, quanto recebem e como recebem os conselheiros, quanto está sendo gasto em publicidade, e onde..

O estímulo à transparência pública é um dos objetivos essenciais da moderna administração pública! A ampliação da divulgação das ações governamentais a milhões de brasileiros, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania.

Quem diz isso é a CGU – Controladoria Geral da União, órgão que fiscaliza e acompanha tudo pelo nosso país. Porque o governo Udo, tão transparente como diz ser, não deixa os dados à mostra? O que dificulta tanto uma empresa altamente superavitária, com investimentos gigantes em saneamento em andamento não dispor de todos os dados, como manda a Lei?

Vamos lá governo Udo, menos miragens publicitárias e mais transparência, já! Quem sabe eles respondem algo, porque também na comunicação este governo do PMDB só entende a via de mão única, não gosta de dialogar.

Opinião: Governo Udo Döhler entra no segundo ano com gestão pobre e ineficiente

Servidores sempre em estado de alerta no Governo Udo
Servidores sempre em estado de alerta no Governo Udo

O governo Udo Döhler (PMDB) em Joinville (SC), já em seu segundo ano, tem se revelado de uma pobreza na gestão pública que dá dó. A começar pela falta do estacionamento rotativo, superlotação do Hospital São José, e um secretariado tão fraco (ou tão sem autonomia) que já caiu boa parte. Licitação do transporte coletivo que se arrasta, prorrogada com base na pretensa abertura democrática de ouvir as pessoas, etc, etc, etc…

Esta reforma anunciada é outro factóide a criar uma cortina de fumaça, visando claro encobrir a palidez de um governo que se promoveu como revolucionário. Se há uma pasta neste governo que funciona, esta é a comunicação. Enchem de emails as caixas dos jornalistas e veículos de imprensa, com pretensas açoes de governo, tipo visita aqui e acolá, etc. Mas fazem o trabalho, coisa que pouco se vê nas demais pastas, todas ineficientes, paralisadas, sem atender a população a contento.

Infelizmente, para a cidade, é um quadro que tem muito pouco a mudar, pois o comando é conservador, autoritário, e com ideias antigas para uma cidade que se diz a maior e melhor. Uma cidade sem teatro decente, com as poucas praças e espaços públicos abandonados, tomados pelo mato, sem programa de pavimentação de ruas, com o retorno do drama de falta de água em pontos da cidade, entre outros problemas.

Essa fraca atividade já anima gente que estava deixando de lado o desejo de comandar a maior cidade catarinense, e colocando combustível em outros que já tem o sonho acalentado há muitos anos!

Prefeitura de Joinville prevê orçamento de quase R$ 2 bi para 2014

Prefeito Udo terá orçamento gordo
Prefeito Udo terá orçamento gordo

O orçamento da Prefeitura de Joinville para 2014 deve ser de R$ 1,988 bilhão, conforme o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) apresentado nesta terça-feira (25/6), na Câmara de Vereadores, durante audiência pública.

“O nosso esforço é tornar a previsão orçamentária a mais próxima possível da realidade. Queremos que a diferença entre o valor orçado e o executado gire em torno de 10%. Isso é um exercício de gestão”, explica o diretor-executivo da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplan), Filipe Schüür.

Quase metade do orçamento de 2014 vai para saúde e educação. Serão R$ 503 milhões para a saúde e outros R$ 427 milhões para a educação. Outras duas áreas prioritárias são infraestrutura urbana e saneamento, com alocação de R$ 352 milhões; e segurança pública, com outros R$ 61 milhões.

As novidades no projeto da LDO seguem as inovações do Plano Plurianual (PPA), que incluem a separação dos gastos de custeio por itens: gestão da folha e gestão administrativa (custeio); e a inclusão do Programa Joinville 2030, que contém os projetos de longo prazo da Prefeitura nas áreas de mobilidade urbana, saneamento e infraestrutura pública. Também foi proposta a redução de 26 para 15 na quantidade de programas que agrupam as ações da Prefeitura. O objetivo da simplificação é gerenciar melhor as informações.

Filipe Schüür explica que a maior parte do orçamento já tem destinação determinada por lei, como os percentuais obrigatórios para saúde e educação. A autonomia do município se dá principalmente pelos recursos não vinculados, a chamada fonte 100, onde estarão R$ 554 milhões pelas diretrizes propostas.

A LDO é um desdobramento do Plano Plurianual (PPA), já apresentado na Câmara na semana passada e que estabelece as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelo governo ao longo de um período de quatro anos (2014/2017).

Tanto a LDO quanto o PPA devem ser aprovados pela Câmara até 30 de agosto. Na sequência, a Prefeitura apresenta a proposta da Lei de Orçamento Anual (LOA), que detalha as ações e fixa os valores e fonte de recursos para cada uma delas. A LOA é aprovada pelos vereadores até o fim do ano.

Da PMJ

PAC 2 libera R$ 242 milhões para Joinville, será que desemPACa?

Joinville foi contemplada, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2), com recursos de R$ 242 milhões destinados a obras de implantação do Eixo Norte-Sul e de investimentos na rede de água e esgoto da cidade. O anúncio foi feito pelo ministro das Cidades, Agnelo Ribeiro, ao prefeito de Joinville, Udo Döhler, na tarde de quarta-feira (6) em Brasília.

Ao ministro Agnelo Ribeiro, Döhler destacou a relevância da estruturação dos eixos viários nas regiões Leste e Oeste de Joinville para garantir maior eficiência do transporte coletivo. São dois projetos que foram protocolados no Ministério das Cidades no final do ano passado dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para Cidades Médias, num investimento de R$ 104,8 milhões, sendo R$ 99,8 milhões do Governo Federal e R$ 5 milhões de contrapartida da Prefeitura de Joinville.

Serão R$ 69,7 milhões para o eixo Leste, que projeta a reestruturação e requalificação de vias, com destaque para a implantação de corredores de transporte público coletivo na avenida Beira-rio, ruas Procópio Gomes, Urussanga, binário do Boa Vista (ruas Albano Schmidt e Helmuth Fallgatter), ruas Guanabara, Florianópolis e Monsenhor Gercino.  Para o eixo Oeste, serão outros R$ 30 milhões. Com a mesma qualificação, envolverá as ruas João Colin, Blumenau, São Paulo, Santa Catarina e avenida Getúlio Vargas. Além dos corredores em concreto, os projetos preveem implantação de novos abrigos.

Estão em análise outros três projetos, também dentro do PAC das Cidades Médias, de pavimentação e qualificação de vias urbanas nos bairros Bom Retiro, Anita Garibaldi e Paranaguamirim que somam um investimento de R$ 101,3 milhões, com a contrapartida da Prefeitura de R$ 15,6 milhões. As melhorias envolvem asfaltamento, implantação de binários e ciclovias.

Mais recursos para o saneamento

O Ministério das Cidades publicou nesta quarta-feira (6/3), no Diário Oficial da União, a aprovação dos três projetos apresentados pela Companhia Águas de Joinville em Brasília. Foram pleiteados R$ 46,1 milhões para construção da nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Jarivatuba, R$ 21,9 milhões para a ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Cubatão e mais R$ 74,3 milhões para a implantação de esgotamento sanitário na zona sul. Com a confirmação da verba, o próximo passo é a entrega de documentação e a apresentação dos projetos de engenharia, que deverão ser feitas até o fim do mês de abril.

 

Táxis: Prefeitura fiscaliza em Joinville (SC)

A Unidade de Transportes e Vias Públicas da Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra) realizou na segunda-feira (25/2) mais uma vistoria nos táxis de Joinville. A partir de denúncias, um taxista foi autuado por conta de cobrança indevida e irregularidades quanto à adequação do veículo. A fiscalização de rotina aconteceu na Avenida Santos Dumont.

Durante as vistorias são verificadas a documentação do veículo e do condutor, além das condições do automóvel. Alguns itens observados são a utilização de caixa luminosa externa, taxímetro, as condições dos cintos de segurança e a presença de um extintor de incêndio no veículo.

Taxistas também podem ser notificados por práticas irregulares, durante a prestação do serviço. “Recebemos denúncias de cobranças irregulares, e até mesmo o mau atendimento pode ser denunciado e será averiguado. O passageiro deve solicitar ao taxista o recibo que é obrigatório e serve como uma garantia. Com o recibo, é possível identificar a pessoa que prestou o serviço e tomar as devidas providências”, explica o fiscal de trânsito da Seinfra, Geovani Lampugnani.

Atualmente, a frota de Joinville é composta com 213 táxis, e o valor da bandeirada custa R$ 4,35, quando o táxi sai do ponto. A bandeira 1, que vale das 6h às 20h, custa R$ 2,15 por quilômetro. A bandeira 2, que vai das 20h às 6h, custa R$ 2,80 cada quilômetro. Aos sábados, a bandeira 1 vai das 6h às 13h, e a 2 o restante do tempo. Aos domingos e feriados vale a bandeira 2.

A Unidade de Transportes da Seinfra também alerta sobre a atuação de taxistas de outros municípios e de motoristas que não apresentam registro, mas se passam por taxistas. Na última semana vistorias aconteceram em táxis dos municípios de Jaraguá do Sul, Garuva e Araquari, que estavam em Joinville, mas não podem exercer o serviço no município. “A fiscalização sobre os veículos de outros municípios está sendo intensificada, pois eles só podem trazer passageiros, mas não podem oferecer o serviço de táxi em Joinville. Os usuários também devem ficar atentos a veículos que não estão cadastrados, e para isso é preciso prestar atenção nos itens de identificação do táxi”, relata Lampugnani.

Quando o passageiro se sente lesado e deseja fazer alguma sugestão ou reclamação referente aos táxis que atuam no município pode ligar na Ouvidoria pelo número 156 ou pode fazer uma denúncia no site da Prefeitura (www.joinville.sc.gov.br). Quando a cobrança indevida é comprovada, o taxista é notificado e precisa fazer o reembolso do valor ao passageiro.

Informações sobre o valor cobrado pelo serviço de táxi:

– A bandeirada no município custa R$ 4,35, ou seja, este é o valor cobrado quando o táxi sai do ponto.

– Bandeira 1 (vale das 6h às 20h): custa R$ 2,15 por quilômetro.

– Bandeira 2 (vale das 20h às 6h): custa R$ 2,80 por quilômetro.

– Aos sábados, a bandeira 1 vai das 6h às 13h. A bandeira 2 vale para o restante do tempo.

– Aos domingos e feriados vale a bandeira 2.

– Os passageiros devem sempre solicitar ao taxista o recibo, que deve conter o número de registro do veículo, o nome do condutor, o valor pago pelo usuário e o trajeto com o ponto de origem e o destino.

Da Secom/Prefeitura de Joinville (SC)

Joinville sediará a Cidadão do Mundo – Feira de Educação Internacional e Intercâmbio

Feira dissemina a importância da prática do intercâmbio e estimula a formação dos profissionais em nível internacional. Nos dias 15 e 16 de março de 2013, acontece em Joinville, a Cidadão do Mundo – Feira de Educação Internacional e Intercâmbio, no Centro de Convenções Alfredo Salfer, anexo ao Centreventos Cau Hansen.

O evento será destinado a estudantes das últimas séries do ensino fundamental (8º e 9º anos), ensino médio, graduação e pós-graduação, pais, professores, gestores de educação e profissionais que buscam aperfeiçoamento internacional.

Durante os dois dias será possível conferir oficinas para o público em geral e um fórum para discussão mais aprofundada sobre as práticas e políticas de incentivo ao intercâmbio e à educação internacional no Brasil, além das ofertas de cursos e intercâmbio no exterior. A entrada é gratuita, mediante prévia inscrição pela fanpage do evento.

A feira funcionará na sexta e sábado, das 14h às 20h. As palestras e oficinas acontecerão em três auditórios, simultaneamente, com temas distintos. O fórum será no período da manhã do dia 15 de março. A partir das 8 horas a Escola do Teatro Bolshoi faz a abertura do evento.

A expectativa é que mais de 10 mil pessoas passem pelo evento, conferindo programas, preços, destinos para intercâmbios, e também possam ser estimulados a realizar o intercâmbio e a formação internacional. Segundo Herley Cesar Reinert, diretor da Trenier Marketing e Eventos, empresa organizadora da Cidadão do Mundo, este evento representa uma oportunidade de apoiar uma iniciativa que está em sintonia com a política do governo federal de estimular a formação dos profissionais em nível internacional.

“Poderemos contribuir para o desenvolvimento econômico de Joinville e região, fomentar a melhoria da qualidade de vida da população e uma melhor distribuição de renda através da maior qualificação de estudantes e profissionais para o mercado de trabalho que, a cada dia, necessita de mais profissionais que falem outros idiomas e tenham experiência internacional”.

O evento tem como propósito ainda, promover a inclusão social, ao disseminar a importância da prática do intercâmbio aos alunos das redes públicas apresentando as oportunidades de bolsas de estudo do governo federal para estudo no exterior.

Serviço:
Evento: Cidadão do Mundo – Feira de Educação Internacional e Intercâmbio

Quando? Dias 15 e 16 de março de 2013

Local? Centro de Convenções Alfredo Salfer, Centreventos Cau Hansen, Joinville (SC)

Valor? A entrada será gratuita, mediante inscrição prévia: www.facebook.com./feiracidadaodomundo

Dívidas da Prefeitura de Joinville: fornecedores tem até sexta-feira (25/1) para apresentar contas

Fornecedores de produtos, serviços ou obras da Prefeitura de Joinville têm até esta sexta-feira, dia 25, para apresentarem informações sobre o que ainda restam a receber do que foi realizado até dezembro de 2012 ou contratos ainda em andamento. As informações serão conciliadas com os dados internos da Prefeitura para programação dos pagamentos e fechamento do Balanço de 2012, que deve ser apresentado ao Tribunal de Contas até o dia 28 de fevereiro.

Os fornecedores não precisam se dirigir à Prefeitura. As informações devem ser enviadas por carta ou e-mail para a Secretaria da Fazenda pelo endereço eletrônico fazenda@joinville.sc.gov.br, destacando como assunto “Balanço 2012”.

O secretário da Fazenda, Nelson Corona, explica que o encontro das informações dos fornecedores com os controles internos da Prefeitura é importante para o fechamento do balanço de 2012 com segurança, fidelidade dos números e programação dos pagamentos.

Entre os cerca de 500 fornecedores da Prefeitura, a Secretaria da Fazenda estima que 180 estão com contratos em andamento ou valores a receber. Até esta semana, 60 haviam prestado informações. Do total da dívida calculada até agora em R$ 120 milhões herdada pelo atual governo, R$ 54 milhões são devidos a fornecedores.

Para ampliar a convocação, a Secretaria da Fazenda enviou circular a todas as secretarias municipais para ampliarem a informação junto aos fornecedores. Na circular é enfatizada a importância de indicarem números de notas fiscais ou empenhos, datas e valores.

Da Prefeitura de Joinville

Ipreville aceita proposta de parcelamento de dívida da Prefeitura com a entidade

O Conselho Administrativo do Instituto de Previdência dos Servidores da Prefeitura de Joinville (Ipreville) aprovou a proposta de parcelamento da dívida de R$ 23,4 milhões herdada da administração encerrada em 2012 para garantir ao atual governo maior folga financeira que garanta as próximas folhas de pagamento e a renovação do Certificado de Regularidade Previdenciária.

“Sem essa regularização a Prefeitura ficaria sem qualquer repasse do Governo Federal. Seria algo como cortar o oxigênio de um paciente”, comparou a presidente do Ipreville, Márcia Alacon. Entre os repasses do Governo Federal que poderiam ser bloqueados em caso débito previdenciário estão o Fundo de Participação dos Municípios, Fundo de Desenvolvimento da Educação, Fundo Nacional da Saúde, Fundo de Assistência Social, convênios e empréstimos.

O Conselho Administrativo, composto de forma paritária entre servidores públicos eleitos por voto direto e representantes do Executivo, aprovou a proposta de parcelamento por ampla maioria. Foram 7 votos a favor e 1 contra. O único voto contrário foi do presidente do Sindicato dos Servidores.

O próximo passo nesse processo é a elaboração de um projeto de lei a ser enviado à Câmara de Vereadores. Assim que for aprovado e transformado em lei, o texto será publicado e apresentado ao Ministério da Previdência, que fará a análise final do processo para renovar o Certificado de Regularidade Previdenciária.

A presidente do Conselho, Lorena Rothbarth, argumentou que a proposta de parcelamento está dentro da legalidade e foi uma boa saída para os servidores e para a Prefeitura. “A rigor, não é a solução ideal, mas no momento é a melhor saída para nós, servidores, e para a Prefeitura. Temos de entender que sem o certificado de regularidade será o caos, o serviço público simplesmente travaria”, enfatizou Lorena.