Joinville (SC) sediará o IV Encontro Catarinense de Escritores nos dias 18 e 19 de novembro

palavralivre-encontro-catarinense-de-escritores-2016Nos dias 18 e 19 de novembro o IV Encontro Catarinense de Escritores, promovido pela Associação das Letras, vai movimentar a literatura catarinense.

O evento será realizado no Teatro Juarez Machado e terá, além de palestras e rodas de conversas com escritores, apresentações artísticas e culturais.

Para conhecer a programação e fazer sua inscrição (acesse aqui), ou acesse o site da Associação das Letras – www.associacaodasletras.com.br,  para saber mais novidades.

palavralivre-programacao-encontro-catarinense-escritores-joinville-2016

 

13a. Feira do Livro de Joinville (SC) abre oficialmente dia 1 de abril (sexta-feira)

PalavraLivre-livros-leitura-literatura-feira-do-livro-de-joinvilleEm sua décima terceira edição, a Feira do Livro de Joinville abre oficialmente no dia 1º de abril, às 19 horas. Com o slogan “A literatura pede passagem”, um dos mais importantes eventos do gênero no Brasil se consagra por promover o encontro de autores de várias regiões com o público e estimular a formação de leitores.

A programação oficial da 13ª Feira do Livro de Joinville está definida e oferece atrações para crianças, adolescentes e adultos. O roteiro de atividades que serão cumpridas de 1º a 10 de abril no complexo do Centreventos Cau Hansen (Teatro Juarez Machado e Centro de Exposições Edmundo Doubrawa) e pode ser conferido em www.feiradolivrojoinville.com.br. Informações pelo telefone (47) 3422-1133 e pelo e-mail feiradolivro@institutofeiradolivro.com.br.

No dia 1º de abril, o público poderá começar a visitar a feira às 9h, mas a abertura oficial do evento ocorrerá às 19h, com a visitação prosseguindo nos dias seguintes das 9h às 21h e nos sábados e domingos até 20h.

Além da visitação à feira onde serão comercializados livros de todos os gêneros literários, haverá palestras, mostra de autores catarinenses, lançamentos de livros e sessões de autógrafos, mostra comentada de filmes, sessões de teatro e de música, exposições e apresentações culturais etc. Integrado ao evento principal ocorrem o painel em torno do tema “A importância da Leitura na formação do operador do direito?, com a participação de representantes do Poder Judiciário, e um seminário para professores que debaterá o tema “Desenvolvendo o gosto pela leitura”.

Como ocorre todos os anos, o acesso à programação da Feira do Livro de Joinville é gratuito. Escolas, empresas e instituições interessadas em realizar visitas em grupos podem agendar pelo telefone (47) 3422-1133 ou pelo e-mail agendamento@institutofeiradolivro.com.br.

Na edição 2016, o evento homenageia o artista joinvilense Juarez Machado, que será homenageado no dia 5 de abril, às 19h. Juarez Machado lançará um livro inédito – “A saída” – e o relançamento de seu primeiro livro de imagens – “Domingo de manhã” – já esgotado. Segundo a escritora Maria Antonieta Cunha, curadora da Feira do Livro, a presença do artista representa uma homenagem ao talento de um joinvilense que consagra a arte brasileira no cenário internacional.

Outro aspecto desta edição é a presença de autores da região ao lado de nomes com atuação marcante na literatura brasileira, promovendo um encontro de experientes escritores em diferentes gêneros e permitindo ao público conhecer o melhor da literatura nacional.

Ao lado de Juarez Machado, estarão na programação da 13ª Feira do Livro de Joinville os escritores Léo Silva (RJ), Márcia Széliga (PR), Juliane Rodrigues (RJ), Masina Krás Borges (RS), Lira Vargas (RJ), João Batista Melo (MG), Eberson Teodoro (SC), Elizabeth Fontes (SC), Ana Janete Pedri (SC), Marlete Cardoso (SC), Nilza Helena Vilhena (SC), Odenilde Martins (SC), Bernadete Costa (SC), Humberto Soares (SC), Taiza Mara Rauen Moraes (SC), Fábio Henrique Nunes Medeiros (SC), Maurício Biscaia Veiga (SC), Rita de Cássia Alves (SC), Valério Mattos (SC), Vanessa Martinelli (SC), Lúcia Fidalgo (RJ), Maria Alexandre de Oliveira (SP), Jura Arruda (SC), Vanessa Bencz (SC), Janda Montenegro (RJ), Alcides Buss (SC), Guilherme Diefenthaeler (SC), Marinaldo de Silva e Silva (SC), Luís Pimentel (RJ), Eleonora de Medeiros (RS), Luciana Costa (RJ), Graciela Mayrink (RJ), Isabella Ingra (RJ), Cacá Melo (RJ), Celso Gutfreind (RS), Maria Eduarda Razzera (SC), Flávia Cunha (SE), Stella Cáceres (SE), Manoela Ramoniga Furtado (SC), Miriam Ramoniga (SC), Ana Rapha (PR), Borges de Garuva (SC), Urda Klueger (SC), Helenah (DF), Quésia Cunha (SC) e Valmir Capim Neitsch (SC), entre outros nomes.

Sueli Brandão, presidente do Instituto da Cultura e Educação e idealizadora da Feira do Livro de Joinville, comenta que a edição 2016 ocorre em um momento importante do Brasil, em que a Educação e o incentivo à leitura oportunizam a reflexão quanto ao futuro do país.

“Temos o privilégio de ter em Joinville um evento que desde a sua primeira edição buscou este diferencial de promover o encontro de autores com o público e de se notabilizar como agente de formação de leitores e de cidadãos críticos do seu papel na sociedade, ao mesmo tempo em que proporciona ao público a condição de ter acesso a boas obras a preços acessíveis. Um processo de educação só é bem-sucedido com a sinergia destes fatores”, afirma Sueli Brandão, destacando que embora o momento difícil da economia a Feira do Livro se mantém sintonizada com os mesmos propósitos que acompanham a trajetória de 13 anos consecutivos em que é realizada.

A Feira do Livro de Joinville é uma iniciativa do Instituto da Cultura e Educação com apoio da Prefeitura de Joinville e Fundação Cultural de Joinville.

Com informações do Instituto Cultura e Educação

Feira do Livro de Joinville (SC) encerra com mais de 80 mil visitantes e 100 mil livros vendidos

Com 80 mil visitantes e mais de 100 mil livros vendidos, Feira do Livro de Joinville quer dar um passo à frente em 2016.

A 13ª Feira do Livro de Joinville já tem data para acontecer: em 2016, o evento será entre os dias 1º e 10 de abril, novamente no Expocentro Edmundo Doubrawa. E, para repetir o sucesso desta edição, que, segundo a organização, reuniu um público de cerca de 80 mil pessoas, a equipe do Instituto Cultura e Educação deu início aos planejamentos da próxima Feira.

Para a idealizadora Sueli Brandão, é hora de dar um passo em frente. “Queremos trazer grandes nomes da literatura nacional e também da internacional, buscar outros convidados tão encantadores e populares quanto os que vieram esse ano”, comemora.

A intenção é reunir autores consagrados tanto no meio acadêmico quanto comercial – entre alguns nomes desejados pela organização estão os de Paula Pimenta e Thalita Rebouças, que participaram em edições anteriores da Feira com grande aceitação de público. Novamente, Maria Antonieta Antunes Cunha será a responsável pela curadoria.

O caráter educacional é outra preocupação do evento. “Nossa ideia é atrair autores infantis que tenham os livros adotados nas escolas, promover essa interação”, completa Sueli. O planejamento prevê ainda a inserção de outras manifestações artísticas na programação. “Sonhamos com um grande espetáculo musical”, adianta a idealizadora.

O evento também superou as expectativas dos expositores. O público levou mais de cem mil livros para casa, além ter experimentado uma programação recheada de contação de histórias, palestras e lançamentos de autores locais.

Somente no estande da Livraria Cosmos, de São Paulo, o expositor Daniel Alonso estima a venda de 50% do acervo, aproximadamente 20 mil títulos. O balanço é superior ao do ano passado.

Na World Livros, de São Paulo, o expositor estima um aumento de 10% nas vendas, em relação ao ano passado. “Participar da Feira do Livro de Joinville é bacana, uma honra. É uma feira que tem crescido, mostrado um potencial muito grande. As pessoas realmente gostam de ler, percebemos que os visitantes vêm atrás da leitura”, afirma o coordenador do estande, Márcio Russi. Dos 38 expositores no evento, cerca de 80% pretende voltar na próxima edição, em 2016.

Da Assessoria de Imprensa – Ronaldo Corrêa

Livro Saganossa – Outras Histórias será lançado hoje (15) na Feira do Livro de Joinville (SC)

Capa-Saganossa-Outras-Historias-mar2015Agora é fato consumado. Chega hoje às mãos dos leitores e leitoras a a segunda antologia produzida pela Associação Confraria das Letras com sede em Joinville (SC) mas com participação e ação em todo o país.

Com o título Saganossa – Outras Histórias, esta edição é totalmente custeada pelos associados de forma cooperativa, assim como já o foram a primeira (Saganossa, 2014) e as sete mini antologias Letras da Confraria. De forma transparente e com regulamento de participação definido por sua diretoria, a Associação escolheu 24 autores que enviaram poesias, contos e crônicas inéditas.

O Saganossa – Outras Histórias será lançado hoje, quarta-feira (15/4) na 12ª. Feira do Livro de Joinville  às 18h, no palco da feira. “Nós estamos focados em fazer a literatura forte, e não paramos um momento sequer. Já estamos preparando o III Encontro Catarinense de Escritores, novos lançamentos e muitas novidades”, avisa o presidente David Gonçalves, que deixa o posto agora em abril, quando a Associação Confraria das Letras realizará eleições para a nova diretoria. A entidade vai completar três anos de atividades.

Homenagem a Ziraldo marca abertura da 12a. Feira do Livro de Joinville (SC) nesta sexta (10)

Pinto, cartazista, jornalista, teatrólogo, chargista, caricaturista e escritor. A história de Ziraldo começou a ser escrita nos anos 60, com o lançamento da primeira revista brasileira em quadrinhos feita por um só autor: “A Turma do Pererê”.

Durante a ditadura militar, fundou com outros humoristas “O Pasquim”, jornal que se tornou ícone do inconformismo reinante contra o regime de exceção imposto pelo militarismo.

Da sátira ao regime, Ziraldo derivou para outros campos, como os quadrinhos para adultos, especialmente com os personagens “The Supermãe” e “Mineirinho – o Comequieto”, ainda na lembrança de muitos leitores que na época formavam a legião de admiradores do desenhista.

Em 1969, Ziraldo publicou o seu primeiro livro infantil, “Flicts”, que conquistou fãs em todo o mundo. A partir de 1979 concentrou-se na produção de livros para crianças, e em 1980 lançou “O Menino Maluquinho”, um dos maiores fenômenos editoriais no Brasil de todos os tempos. O livro já foi adaptado com grande sucesso para teatro, quadrinhos, ópera infantil, videogame, Internet e cinema.

Os trabalhos de Ziraldo já foram traduzidos para diversos idiomas, como inglês, espanhol, alemão, francês, italiano e basco, e representam o talento e o humor brasileiros no mundo. Também ilustrou o primeiro livro infantil brasileiro com versão integral on-line, em uma iniciativa pioneira.

Nesta sexta-feira, 10 de abril, Ziraldo é homenageado pelo Instituto de Cultura e Educação, responsável pela realização da 12ª Feira do Livro de Joinville. Às 15h, participa no palco da feira do momento “Encontro com o escritor”, conversando com o público, e às 19h acompanha a solenidade oficial de abertura do evento.

A 12ª Feira do Livro prossegue até o dia 19. A visitação à área de expositores e venda de livros e a participação em todas as atividades é gratuita, de segunda a sábado das 9 às 21 horas e nos domingos das 10 às 20h – a programação completa pode ser conferida em www.feiradolivrojoinville.com.br.

Escolas, empresas e instituições interessadas em realizar visitas em grupos podem agendar pelo telefone (47) 3422-1133 ou pelo e-mail agendamento@institutofeiradolivro.com.br.

II Encontro Catarinense de Escritores faz de Joinville a capital catarinense da literatura em novembro

A cidade de Joinville (SC), maior cidade catarinense e referencia na economia com seu pólo industrial de alta tecnologia, vai se transformar em capital catarinense da literatura em novembro.

A Associação Confraria das Letras, entidade constituída para promover a cultura por meio da literatura, continua a todo vapor na organização do II Encontro Catarinense de Escritores que será realizado em Joinville (SC) nos dias 14 e 15 de novembro (sexta e sábado) no Bom Jesus/Ielusc.

Uma programação intensa foi montada visando atender a todos os públicos, desde escritores iniciantes, veteranos, passando por professores, acadêmicos e pessoas de todos os segmentos da sociedade.

As inscrições estarão abertas até o momento do início do evento na sexta-feira (14) com valor de R$ 40,00 a inscrição para os dois dias. Estudantes pagam meia entrada (R$ 20,00), e há condições especiais para grupos acima de 10 pessoas, sob consulta no email associaçãoconfrariadasletras@outlook.com.br.

Há uma página especialmente criada para as inscrições on line no endereço eletrônicohttps://www.sympla.com.br/ii-encontro-catarinense-de-escritores-da-associacao-confraria-das-letras__24543. O coordenador da edição deste ano, o escritor Donald Malschitzky, destaca que o esforço foi todo feito durante um ano inteiro.

“Buscamos palestrantes para atender todos os públicos, oferecendo caminhos para os escritores, com muitas dicas, e eventos culturais durante a programação. Está imperdível, esperamos todos com muito carinho”, destaca Malschitzky.

Programação
O II Encontro Catarinense de Escritores começa na sexta-feira (14/11) com abertura da recepção e entrega dos crachás aos inscritos a partir das 18:30h. A partir das 19:30h o jornalista e escritor Paulo Markun que acaba de lançar seu mais novo livro, Brado Retumbante, que fala sobre o Golpe Militar de 1964 até o movimento Diretas Já vai falar sobre “Mídia e Literatura”.

Ele nasceu em São Paulo, em 1952. Finalista do prêmio Jabuti por duas vezes, trabalhou nos principais jornais e emissoras de TV do país. Apresentou durante mais de dez anos o programa Roda Viva, até 2007, quando assumiu a presidência da Fundação Padre Anchieta, mantenedora das rádios e da TV Cultura.

No sábado (15), a abertura dos trabalhos está marcada para as 8 horas, com café aos participantes. A partir das 9 horas começa a palestra com o doutor em literatura, o escritor  goiano José Fernandes. Ele vai falar sobre o tema “Literatura, Criação e Leitura”. José Fernandes é professor de Literatura Brasileira, crítico literário, poeta, cronista, contista, membro da Academia Goiana de Letras e União Brasileira de Escritores – Goiás e tem inúmeras obras publicadas.

Logo após haverá um momento musical, e momento especial para a apresentação de todas as associações, academias de literatura que se inscreveram previamente.

As 10:45h outro escritor e doutor em literatura, o catarinense Celestino Sachet. Ele abordará o tema “A literatura catarinense contemporânea”. Professor, escritor e pesquisador já atuou em todas as áreas da cultura e da educação. Escreveu livros didáticos que foram usados, na escola, por milhares de adolescentes, escreveu para a televisão – “Santa Catarina, 100 anos de História”, estudou e fez conferências em países como Portugal, México, Argentina e Bélgica. Foi reitor da Universidade Estadual de Santa Catarina.

Dos mais de vinte livros publicados até hoje, alguns são preciosos para a literatura produzida por autores que vivem em nosso Estado, pois são registro e história das letras catarinenses, pesquisados autor a autor, livro a livro, com carinho e dedicação.

Após o intervalo para almoço, a programação segue a partir das 13:30h com a presença de outro catarinense ilustre, o escritor, crítico literário e editor Carlos Henrique Schroeder. Já publicou mais de oito livros, entre contos, romances e poesia, e recentemente assinou contrato com a editora Record para escrever dois livros. Ele falará sobre “Sensini: Agruras e dificuldades do mercado editorial brasileiro e catarinense”.

A partir das 15h os participantes do II Encontro terão um painel com o tema “Como driblar as pedras na literatura” com as presenças de Sueli Brandão, diretora do Instituto da Cultura e Educação e criadora da Feira do Livro de Joinville e outras cidades; David Gonçalves, escritor e presidente da Associação Confraria das Letras; José Fernandes, escritor, professor e doutor em literatura, e Jura Arruda, escritor e teatrólogo com várias peças de teatro escritas e produzidas, além de escritor de vários livros. O jornalista Salvador Neto mediará o painel.

Encerrando esta vasta e forte programação, às 16 horas acontece um Sarau Literário com acompanhamento do músico Ananias Almeida. O grande final terá uma mensagem especial da Associação a todos os participantes seguido de coquetel de encerramento com a participação do Conservatório de Belas Artes de Joinville.

Para o presidente da Associação, David Gonçalves, Joinville será em novembro a capital da cultura catarinense com a presença de grandes nomes nacionais.

“A cidade é reconhecida como referência na economia, na tecnologia, e também nas artes com o Festival de Dança, a própria Festa das Flores que acontecerá junto com o II Encontro. E nós queremos que ela seja também referencia na literatura, porque não? Temos um grande número de bons escritores, e queremos debater a literatura para faze-la crescer. E cada vez mais este evento se ampliará porque acreditamos na literatura como forma de transformação da sociedade. Esperamos todos em Joinville”, convida David.

Histórico
Há quase um ano um grupo de escritores, cronistas, poetas, contistas, contadores de histórias promoveu um marco importante para a literatura: o I Encontro Catarinense de Escritores.

O evento aconteceu no dia 9 de novembro de 2013, no auditório Alfredo Salfer – Centreventos Cau Hansen. Durante todo o dia, um sábado, a Associação Confraria das letras conseguiu reunir cerca de 110 escritores e amantes da literatura.

Agora a Associação prepara o II Encontro para os dias 14 e 15 de novembro no Bom Jesus/Ielusc, com metas ambiciosas de reunir aproximadamente 180 inscritos, ampliando o tempo disponível para a reflexão e o debate sobre a literatura com presenças renomadas de todo o país.

A Associação mantém página no Facebook – www.facebook.com/associacaoconfrariadasletras – e o email de contato para informações é associacaoconfrariadasletras@outlook.com.

Literatura: Vem aí o II Encontro Catarinense de Escritores em novembro

Há quase um ano um grupo de escritores, cronistas, poetas, contistas, contadores de histórias promoveu um marco importante para a literatura: o I Encontro Catarinense de Escritores.

O evento aconteceu no dia 9 de novembro de 2013, no auditório Alfredo Salfer – Centreventos Cau Hansen. Durante todo o dia, um sábado, a Associação Confraria das letras conseguiu reunir cerca de 110 escritores e amantes da literatura.

Agora a Associação prepara o II Encontro para os dias 14 e 15 de novembro no Bom Jesus/Ielusc, com metas ambiciosas de reunir aproximadamente 180 inscritos, ampliando o tempo disponível para a reflexão e o debate sobre a literatura com presenças renomadas de todo o país. O jornalista e escritor Paulo Markun vai abrir o evento.

Para valorizar o evento, a Associação Confraria das Letras vai realizar o lançamento oficial do II Encontro Catarinense de Escritores no próximo dia 1 de outubro (quarta-feira) às 10 horas no salão de eventos do Hotel Slaviero localizado na rua 7 de setembro, 40 no centro de Joinville (SC), com a presença de representantes da Associação, imprensa, apoiadores, escritores, autoridades e convidados.

No evento será realizada uma entrevista coletiva com mais detalhes para a imprensa e mídia em geral. A entidade mantém página no Facebook – www.facebook.com/associacaoconfrariadasletras – e o email de contato para informações é associacaoconfrariadasletras@outlook.com.

Vale Cultura deve impulsionar mercado editorial no Brasil, acredita a Câmara Brasileira do Livro

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) espera aumento de 5% na venda de publicações no país com a introdução do vale-cultura, benefício que será dado a trabalhadores celetistas (regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT). No valor de R$ 50 mensais e preferencialmente destinado a trabalhadores com renda de até cinco salários mínimos, o vale-cultura será usado no pagamento de atividades culturais.

O diretor executivo da CBL, Mansur Bassit, explicou que a expansão do consumo foi calculada com base no número de livros vendidos no Brasil no ano passado: 268,5 milhões, segundo pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe/USP).

O Ministério da Cultura espara a adesão de 1 milhão de trabalhadores no primeiro ano do programa. Com isso, a CBL estima que cada pessoa que receba o cartão magnético do programa adquira pelo menos um livro por mês.

“Queremos ser otimistas. O importante é ele [trabalhador] consuma cultura: teatro, cinema, inclusive cursos de circo, dança, fotografia, música, artesanato. O livro é muito importante, e é claro que cada um vai querer brigar pelo seu mercado”, disse Bassit.

Quando o vale-cultura estiver totalmente implantado, a expectativa do Ministério da Cultura é de atendimento a 17 milhões de trabalhadores. Assim, a CBL estima registrar aumento de 76% nas vendas, em relação às do ano passado. “O livro tem grande apelo e grande chance – basta ver as bienais do livro, a loucura que foi agora no Rio de Janeiro, e sempre é em São Paulo também”, ressaltou Bassit.

Para ele, o vale-cultura será importante também para incentivar o volume de livros lidos por pessoa no país. “O brasileiro lê quatro livros por ano. Isso é muito pouco, se comparado a qualquer país da América do Sul, sem falar nos da Europa”, disse Bassit. “O programa vai abrir possibilidades, democratizar e fomentar a cultura, não só do livro, mas de tudo o que é produto cultural para essas pessoas que estão cada vez mais politizadas, capacitadas e querem ser incluídas no mercado cultural.”

Da EBC

Feira do Livro de Joinville alcança 150 mil visitantes e se consolida como mais importante projeto do segmento em SC

Salvador Neto Feira do Livro-17Em sua décima edição, a Feira do Livro está consolidada como o mais importante setor do segmento em Santa Catarina. A avaliação é de Sueli Brandão, criadora do evento e desde então sua organizadora, ao comentar os resultados alcançados e projetar a próxima edição.

Segundo a presidente do Instituto de Cultura, Educação, Esporte e Turismo, o objetivo alcançou todos os objetivos. O saldo final superou as metas que haviam sido definidas pela organização. Durante os dez dias de evento, a visitação alcançou num público de 150 mil visitantes e comercializou cerca de 160 mil unidades.

“Mais do que um espaço de comercialização de livros, estamos felizes porque a feira se consagra a cada ano no seu papel de aproximar leitores e escritores para a construção da cidadania. Este tem sido nosso propósito desde o início, associando ao ato da leitura em si a perspectiva de estimular o pensamento crítico, considerando que cidadãos melhor preparados culturalmente e politicamente maduros podem compreender o mundo e promover as transformações sociais necessárias ao seu desenvolvimento”, afirma orgulhosa, Sueli.

Os títulos mais procurados abordam temas das áreas técnicas (em 20012 os preferidos eram os de auto-ajuda) e entre os mais vendidos estão os livros voltados ao público infantil e infanto-juvenil. As vendas registraram crescimento médio de 50% em relação à nona edição. Além dos escritores do circuito nacional e internacional, convidados para palestras e lançamentos de livros, a feira oportunizou a escritores locais e regionais encontros com o público por meio do espaço “Fala do Escritor” organizado pela Confraria de Escritores, e o lançamento de mais de 20 títulos, com destaque para os autores de Joinville.

“Estamos em festa com esta edição, que foi um momento de celebração, mas já estamos pensando na edição 2014, que trará novidades como a maior tematização de títulos e destaque para a Copa do Mundo que será realizada no Brasil. O público irá se surpreender”, completa Sueli Brandão, prometendo dar mais detalhes nos próximos meses.

Centro de Convivência do Idoso participará da Feira do Livro de Joinville

Aliflor1O aprendizado fomentado pela literatura alcançará todas as gerações na 10ª Edição da Feira do Livro de Joinville. Este ano o evento contará com um estande do Centro de Convivência do Idoso (CCI) que oportunizará a troca de experiências, através da exposição do trabalho desenvolvido pelos idosos. A participação na Feira do Livro disponibilizará ao idoso e seus familiares a chance de vivenciar atividades multiculturais que integram diferentes formas de expressão e aproximam os autores de seus leitores.

Durante o evento acontecerá a exposição de livros confeccionados pelos idosos e a exposição de uma colcha de retalhos. O trabalho reúne um pouco da história de cada idoso, através de memórias de infância retratadas com trabalhos manuais como pintura e bordado. “Todo este projeto iniciou ano passado quando os idosos começaram a escrever as histórias para os livros. Agora eles poderão expor seus trabalhos e também participarão das atividades da Feira”, conta a coordenadora do CCI, Estefania Rosa Basi.

Entre as ações, os idosos também conheceram a biografia do escritor Carlos Adauto Vieira, que este ano será homenageado na Feira do Livro. “Eles aprenderam sobre a vida do autor e debateram a valorização do trabalho da escrita. Também montamos uma mini biblioteca aqui no Centro de Convivência. Tentamos de várias formas incentivar a literatura entre os idosos”, relata a terapeuta ocupacional Silvane Penkal.

O processo do envelhecimento ativo, saudável e autônomo é incentivado através da literatura trabalhada com os idosos, que envolve temas relacionados à saúde, atividades físicas e direitos do idoso. As atividades propostas para a Feira do Livro possibilitam ao idoso o desenvolvimento de novas potencialidades, além de propiciar a valorização de experiências pessoais. A 10ª Edição da Feira do Livro de Joinville acontecerá de 5 a 14 de abril, no Expocentro Edmundo Doubrawa.