Colombo: governador ou vendedor de pacotes?

O governador Raimundo Colombo, ex-DEM, agora PSD, acaba de lança mais uma pacote, agora contra a pobreza em Santa Catarina. Já lançou outros, sobre infraestrutura, obras por todo o estado. Tem se revelado um ótimo vendedor de pacotes, mas a maioria deles vazios. Afinal de contas, já se passaram dois anos de seu governo, e nada se viu de prático. E aliás, ele é governador ou vendedor de pacotes?

Colombo enfrenta uma greve na saúde e faz que não vê. Escolas estão ruindo pelos municípios, inclusive na maior cidade catarinense, que também espera por algo de prático do nosso vendedor de pacotes. Opa, governador. Factóides são lançados a cada problema que aparece na mídia catarina, e que aparecem por descuido da comunicação do Governo, caso contrário, nos veríamos o tempo todo envoltos em pacotes salvadores, que nada acrescentam à vida dos catarinenses.

Governador, está na hora de trabalhar. Com todo o respeito, parece mesmo que o único feudo que recebe algo do Governo do Estado é a região lageana, pobre região diga-se de passagem, com altos índices de pobreza. Quem sabe a inspiração desse novo “pacote” tenha vindo da sua experiência de três vezes Prefeito de Lages. Pelo jeito, os pacotes por lá não deram muito certo. Será que essa pacotada vai dar algo para todos os catarinenses?

A saúde está paralisada, governador! Vamos trabalhar?

Colombo: quando vai começar a governar?

Professores em greve há 43 dias. Saúde ameaçando parar também por falta de respostas do Governo do Estado. Obras paralisadas e sem data para recomeçar. Joinville ainda esperando os R$ 40 milhões prometidos para obras de infraestrutura. E o Governador eleito com mais de 130 mil votos de diferença na maior cidade catarinense, onde anda? Segundo a mídia Colombo está no Oeste, governo itinerante. Itinerante? Paralisado, isso sim.

Enquanto o país corre atrás de produzir e se desenvolver, gerando empregos e renda, Santa Catarina parou após o final do Governo Luiz Henrique. Segundo o governador, tudo ficaria em stand by para economia dos cofres públicos. Economia onde, se até agora uma grande comitiva já foi à Europa e trouxe resultados pífios, e o colegiado viaja junto gastando combustível, diárias, etc por Santa Catarina? Quanto dinheiro vem sendo gasto com essa andança de ônibus com dezenas de assessores prá lá e prá cá? Alguém sabe?

Colombo se elegeu para a continuidade do governo Luiz Henrique, aprovado pela maioria da população catarinense. A bandeira da descentralização – com as regionais por toda Santa Catarina – que levou o governo mais próximo da população, levando-o a ser pressionado a dar resultados, está sendo solenemente ignorada por quem deveria no mínimo manter viva e forte a proposta.

O que espera Colombo com isso: será que é acabar com a descentralização? E o dinheiro que se diz não gasto, atrasando o desenvolvimento do estado, onde está? Até agora não se vê trabalho deste governo, e o prazo de paciência acabou. Afinal, ninguém é contratado com uma moratória de seis meses para ver se começa a trabalhar. Santa Catarina, e Joinville principalmente, pedem urgência de governo. Vamos trabalhar?