Apoio para empresas depende de sanção do Governador, diz Alesc

O direcionamento de todas as linhas de crédito do Badesc para o financiamento de capital de giro das micro e pequenas empresas de Santa Catarina ainda depende de manifestação do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) para ser concretizado. A medida consta no Projeto de Lei (PL) 53/2020, aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa no dia 31 de março.

A matéria, de autoria do deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) e assinada por todos os parlamentares, estabelece ainda que as empresas que utilizarem os recursos do Badesc terão carência de 6 a 12 meses para pagar as parcelas. O débito poderá ser parcelado em até 36 vezes, sem juros, encargos ou multas. O PL também estabelece que o governo estadual irá subsidiar os juros das operações de crédito.

O objetivo da proposta é oferecer recursos para que as micro e pequenas empresas catarinenses possam enfrentar a queda de receita provocada pela crise econômica causada pela pandemia do coronavírus. Muitas dessas empresas suspenderam suas atividades em função dos decretos estaduais que determinaram o fechamento de atividades não essenciais, devido à necessidade do distanciamento social para conter a disseminação do vírus.

Proposta semelhante foi encaminhada pelo Poder Executivo e deu entrada na Assembleia também no dia 31 de março, em regime de urgência. Trata-se do PL 102/2020, que autoriza o Poder Executivo a subsidiar parte dos juros remuneratórios de operações de crédito tomadas por micro e pequenos empreendedores no Badesc e no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A matéria já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça e está sob análise da Comissão de Finanças e Tributação.

“Se o governo tem interesse em efetivar empréstimos especiais para micro e pequenas empresas poderia dispor do projeto aprovado no Parlamento [PL 53/2020], ou editado medida provisória com finalidade semelhante e efeito imediato”, argumenta o deputado Luiz Fernando Vampiro. Conforme determina a Constituição do Estado de Santa Catarina, em seu artigo 54, o governador tem até 15 dias úteis, contados a partir da expedição do autógrafo pela Alesc (o que ocorreu em 7 de abril), para se manifestar se veta ou sanciona projeto aprovado pelos deputados. Caso não se manifeste, a proposta será automaticamente sancionada.

Governo anuncia injeção de R$ 83 milhões na economia

PalavraLivre-economia-credito-financiamento-governo-DilmaPara impulsionar a produção e recuperar o crescimento, o governo anunciou ontem (28) medidas de estímulo ao crédito que injetarão R$ 83 bilhões na economia.

Algumas ações de estímulo foram anunciadas mais cedo pela presidenta Dilma Rousseff, no encerramento da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão.

A medida que, segundo o governo, terá mais impacto sobre a economia é a agilização da aplicação dos recursos do Fundo de Infraestrutura do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) em empreendimentos da área e a simplificação da emissão de debêntures de infraestrutura, que liberará até R$ 22 bilhões. Essa medida, no entanto, necessita de aprovação do Congresso Nacional.

Em segundo lugar, está a autorização para que parte da multa rescisória do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), paga em demissões sem justa causa, possa ser usada como garantia para o crédito consignado – com desconto das parcelas diretamente no salário – por trabalhadores do setor privado. A expectativa do governo é que a medida resulte na injeção de R$ 17 bilhões em crédito.

Em seguida, vem a abertura da linha de crédito para refinanciar as prestações do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e do Programa de Financiamento de Máquinas e Equipamentos (Finame), que deverá resultar em empréstimos de R$ 15 bilhões.

O governo também anunciou o reforço da concessão de crédito por bancos públicos com taxas menores que as de mercado. Os principais setores beneficiados serão as micro e pequenas empresas, a construção civil, os exportadores e o agronegócio.

A retomada da linha de pré-custeio agrícola do Banco do Brasil deverá injetar mais R$ 10 bilhões e a aplicação de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em Certificados de Recebíveis Imobiliários deverá impulsionar o crédito habitacional também em R$ 10 bilhões.

A reabertura da linha do BNDES para financiar capital de giro de empresas com garantia do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI) e com redução das taxas de juros deverá resultar na liberação de mais R$ 5 bilhões.

Por fim, o aumento do prazo máximo de pagamento e a redução da taxa de juros da linha de pré-embarque de produtos exportados injetará R$ 4 bilhões.

Segundo o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, as medidas não resultarão em custo para o governo porque os financiamentos terão taxas de mercado e o governo está apenas simplificando procedimentos e reduzindo riscos, o que ajuda o próprio mercado a reduzir as taxas de juros.

“Em relação ao crédito, a maior parte das iniciativas são administrativas. Sem gerar custo adicional para os contribuintes brasileiros. Queremos usar melhor os recursos disponíveis”, declarou.

Com 47 empresários e 45 representantes da sociedade civil e das centrais sindicais, o Conselhão é um fórum de discussão sobre medidas a serem adotadas para recuperar o crescimento econômico.

Depois de um ano e meio sem reuniões, o colegiado foi reativado recentemente pela presidenta Dilma. Segundo o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, deverão ser feitas quatro reuniões no ano. A próxima será em abril.

Com informações do Portal do Planalto

FIES – Estudantes tem até hoje para se inscrever no processo seletivo

PalavraLivre-fiesTermina hoje (29) às 23h59 o prazo para inscrições no processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) do primeiro semestre de 2016. As inscrições são feitas exclusivamente pela internet.

O Fies financia cursos superiores não gratuitos com avaliação positiva. Nesta edição, são ofertadas 250.279 vagas. O resultado da pré-seleção na chamada única será divulgado no dia 1° de fevereiro.

Pode se inscrever no processo seletivo do Fies o estudante que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, obtido pelo menos 450 pontos na média das provas e não tenha tirado 0 na redação. O candidato precisa ter também renda familiar mensal bruta per capita de até 2,5 salários mínimos.

O candidato poderá se inscrever em um único curso e turno entre aqueles com vagas ofertadas. Durante o período de inscrição, poderá alterar sua opção de vaga, bem como fazer o cancelamento. Os estudantes serão classificados de acordo com as notas no Enem na edição em que tiver obtido a maior média.

Do total de vagas ofertadas nesta edição, 47% vão para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A maior parte da vagas (63%) vai para os cursos considerados prioritários pelo Ministério da Educação nas áreas de saúde, engenharias e formação de professores.

A divisão das vagas é a seguinte: 30,4% para cursos de saúde, 18,8% para formação de professores e 13,8% para as engenharias. Os outros 37% são para cursos das demais áreas.

Lista de espera
O processo terá chamada única e lista de espera. Os estudantes que não forem pré-selecionados na chamada única serão incluídos na lista de espera para o preenchimento das vagas eventualmente não ocupadas. O resultado da pré-seleção na chamada única e a lista de espera serão divulgados no dia 1º de fevereiro.

Com informações do MEC

Brics libera R$ 24 milhões para financiar projetos de pesquisa

PalavraLivre-financiamento-bricsOs países do Brics firmaram acordo para que seja criado um fundo de financiamento de projetos científicos conjuntos.

Os representantes do bloco (Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul) reuniram-se, na semana passada, em Pequim, onde ficou acertado montante de R$ 24 milhões para essas ações. Desse total, o Brasil contribuirá com R$ 1,2 milhão.

A primeira chamada multilateral deve ser lançada em abril de 2016 e contará com a participação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, elogiou a decisão dos países.

“Nós queremos imprimir uma agenda muito ousada e bastante pretensiosa, uma agenda externa vigorosa do Ministério ao longo de 2016, buscando recursos no exterior, com diversos parceiros”, disse.

“Os países do Brics são parceiros privilegiados nossos, caminham em linha com a estratégia do governo brasileiro, do ponto de vista da geopolítica do País. E tivemos sorte, pois a nossa delegação está na China, reunida com representantes do Brics na área de ciência e tecnologia, e já temos uma proposta concreta de criação de um fundo de R$ 24 milhões para ser usado imediatamente em desenvolvimento de ações conjuntas em CT&I entre os países do bloco. Da nossa parte, estamos entrando com R$ 1,2 milhão”, completou Pansera.

Na capital chinesa, o CNPq foi representado pelo diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde, Marcelo Morales. Ele explicou que os recursos proveniente do Brasil representam R$ 1 milhão para área de segurança cibernética e ciberdefesa e R$ 200 mil para área de prevenção e monitoramento de desastres naturais. “A reunião foi um sucesso”, avaliou.

A II Reunião de Agências de Fomento à CT&I e a I Reunião do Grupo de Trabalho sobre Financiamento à CT&I do Brics foram marcadas pela expectativa de que os editais conjuntos aprofundem a colaboração entre os países em pesquisas de excelência para o conhecimento global e para a criação de produtos e processos inovadores.

“A criação de um mecanismo dos países do Brics para o financiamento de pesquisa e inovação é um marco histórico extremamente auspicioso. A reunião na China foi um grande sucesso. A partir de agora, a ciência, a tecnologia e a inovação são elementos centrais da parceria estratégica entre nossas nações”, explica o chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais do MCTI, Danilo Zimbres.

Por sua vez, o assessor especial do ministro Pansera, Daniel Alvão, disse que o acordo de Pequim reafirma o compromisso do governo brasileiro com CT&I para superação dos desafios.

“A estruturação do mecanismo de financiamento do setor de ciência, tecnologia e inovação do Brics é um acontecimento da maior relevância, pois reafirma a importância dada por seus países-membros à produção de conhecimentos científicos. Reafirma o compromisso do governo brasileiro e do MCTI com o incentivo à produção de ciência, tecnologia e inovação para a superação dos nossos desafios econômicos e sociais”, ressaltou.

Fonte: Portal Brasil, com informações do CNPq

Agroindustrias serão financiadas pelo programa Terra Forte em SC

Dois projetos de agroindústrias elaborados por cooperativas da Reforma Agrária catarinense foram aprovados pelo programa de incentivo à agroindustrialização de assentamentos da reforma agrária do Incra, Terra Forte. O resultado da seleção que classificou 122 projetos em todo o país foi apresentado na última segunda-feira (01/07).

Os recursos previstos nesse primeiro edital do programa viabilizarão para Santa Catarina a instalação de agroindústria da Cooperativa Regional de Industrialização e Comercialização Luis Brunetto (Cooperdotchi), em Rio Negrinho, e a ampliação, diversificação e modernização da agroindústria da Cooperativa Regional Agropecuária Terra Livre (Coopertel), em Ponte Alta.

Até então, a Cooperdotchi focava sua atuação na venda dos produtos in natura dos assentamentos da região para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do Ministério da Educação (MEC), e para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Com a implantação da agroindústria, passará a beneficiar a produção com o objetivo de obter mais lucro.

Já a Coopertel, pretende ampliar a oferta e qualidade dos produtos elaborados na agroindústria que mantém desde 2010 às margens da BR-116 em Ponte Alta. O foco da cooperativa são os produtos derivados da moranga, como sementes saborizadas, doce, purê e farinha, entretanto, também são produzidas conservas, doces, entre outre outros.

Outra oportunidade

Lançado em fevereiro deste ano, o edital nº 01 do programa Terra Forte destina R$ 300 milhões para financiamento de projetos de cooperativas e associações que visem a implantação e/ou modernização de empreendimentos coletivos agroindustriais em assentamentos do Incra. Uma segunda etapa de apresentação de pré-projetos para financiamento pelo Terra Forte ainda está prevista para esse ano, com inscrições a partir de 02 de setembro.

Confira relação completa dos selecionados no primeiro edital na página www.incra.gov.br.

BNDES e Bradesco firmam contrato para financiar exportações para África e AL

O BNDES e o Banco Bradesco S/A firmaram o primeiro contrato de financiamento a exportações que poderá ser utilizado para a venda de bens de capital fabricados no Brasil para países africanos. A linha de crédito, de até US$ 200 milhões, será repassada por agências internacionais do Bradesco e utilizada para financiar importadores de máquinas e equipamentos brasileiros. Além da África, também serão financiadas exportações para a América Latina.

Os financiamentos serão realizados por meio do BNDES Exim Automático, linha de crédito criada no final de 2010 pelo BNDES. O Exim Automático opera com a concessão de limites de crédito para bancos no exterior, que fomentam as operações com seus clientes locais e assumem o risco de crédito perante o BNDES. Os desembolsos são feitos ao exportador, no Brasil, após o embarque, à vista e em reais.

Desde o início das operações, 30 bancos já obtiveram limites de crédito, totalizando US$ 1,4 bilhão, para financiar importadores em países latino-americanos, na aquisição de bens exportados do Brasil.

Entre os produtos exportados, destacam-se máquinas e implementos agrícolas, máquinas e ferramentas industriais, ônibus e caminhões, máquinas rodoviárias, geradores, transformadores e equipamentos de telecomunicação de fabricação nacional.

Com prazos de pagamento de até cinco anos e taxas competitivas, o BNDES Exim Automático contribui para ampliar as vendas das empresas brasileiras no exterior, principalmente no concorrido segmento de bens de capital, o que deverá ser agora incrementado, com a participação internacional do Bradesco na África e na América Latina.

Rádios comunitárias poderão ter financiamento pelo BNDES

As entidades prestadoras de serviços de radiodifusão comunitária poderão obter financiamentos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para implantar projetos de capacitação técnica e operacional. É o que prevê projeto de lei do Senado (PLS 556/07), aprovado nesta quarta-feira, em decisão terminativa, pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). A proposição é de autoria do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), licenciado e atual ministro da Pesca.

Segundo a proposta, os recursos do financiamento poderão ser utilizados para aquisição de equipamentos, modernização de instalações e de sistemas radiantes, produção de programas culturais e educativos, programas de formação profissional e apoio à atuação de conselhos comunitários.

As regras para a concessão dos financiamentos constam de substitutivo elaborado pelo relator do projeto, senador Walter Pinheiro (PT-BA). O texto será ainda submetido a votação suplementar pela comissão. O projeto original previa a concessão de financiamento para emissoras que viessem a migrar para o sistema digital. Em seu voto, porém, o relator observou que o padrão digital a ser utilizado pelas emissoras de rádio do país ainda não foi escolhido.

– De fato, ainda não há definição sobre o padrão digital de rádio a ser implantado no país. Mesmo assim, em nosso entendimento, a crônica dificuldade de autofinanciamento dessas emissoras justifica a busca de alternativas para sua sustentabilidade – afirma Walter Pinheiro em seu parecer.

Apoio cultural

A CCT aprovou também parecer favorável ao PLS 629/11, do senador Paulo Paim (PT-RS), que inclui o apoio cultural ao serviço de radiodifusão comunitária entre os projetos aptos a receber recursos incentivados. O projeto altera a Lei 8313/91 (Lei de Incentivo à Cultura) para beneficiar as emissoras comunitárias.

Em seu voto favorável, o relator ad hoc do projeto, senador Cyro Miranda (PSDB-GO), recordou as dificuldades de financiamento enfrentadas pelas emissoras comunitárias. Ele recordou que a legislação em vigor admite apenas o patrocínio, sob a forma de apoio cultural, proveniente de estabelecimentos situados na área da comunidade atendida.

– Isso não parece ser suficiente para atender às necessidades das rádios comunitárias. Assim, faz-se necessário identificar novas fontes de financiamento, razão pela qual entendemos que a proposta de inclusão de tais entidades na Lei de Incentivo à Cultura é louvável e deve ser acolhida por esta comissão – sustentou Miranda.

Lixo Eletroeletrônico

Durante a reunião, foi rejeitado – por sugestão do relator, senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) – o PLS 488/11, destinado a disciplinar o descarte do chamado lixo eletroeletrônico. Segundo o relator, o tema já se encontra regulamentado pela Lei 12305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A comissão aprovou ainda 45 projetos de decreto legislativo que autorizam o funcionamento de emissoras de rádio e televisão em diversas partes do país.

Do Correio do Brasil

Conselho do FGTS amplia acesso à moradia popular

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) publicou hoje no Diário Oficial da União resoluções que facilitam à população de baixa renda o acesso a moradia. A primeira delas aumenta de R$ 3,9 mil para R$ 4,3 mil a renda familiar mensal bruta exigida para a concessão de financiamento à habitação popular. Para municípios de regiões metropolitanas, sedes de capitais estaduais e municípios com população igual ou maior que 250 mil habitantes o limite de renda continua em até R$ 5.400,00.

Em outra resolução, o Conselho autoriza a inclusão da Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) e da Concessão Especial para Fins de Moradia (CUEM) no rol de garantias admitidas nas operações de financiamento habitacional com recursos do FGTS. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que preside o conselho, explicou que a ampliação do limite operacional para financiamento se deve ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) per capita das cidades com população abaixo de 250 mil, identificado pelo IBGE.

Da Agência Estado

Simdec 2011: divulgados os vencedores do mecenato 2011

A Fundação Cultural de Joinville (FCJ) divulgou nesta sexta-feira (07/10) o resultado dos projetos aprovados no Mecenato 2011 do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec). Nesta edição foram inscritos 160 projetos, sendo contemplados 54 destes. Esse ano o valor aprovado para captação é de R$ 1.559.575,00, divididos em 21 modalidades.

As novidades desta edição ficaram por conta do acréscimo de novas categorias, como “fomento para grupos de música, teatro e dança”, “apoio à produtores locais” e “exposição museográfica”. Em destaque aos projetos contemplados, podemos citar o projeto de Capacitação do Profissional de Artesanato, que pretende realizar oficinas sobre gestão de pessoas e o desenvolvimento de projetos dos produtos artesanais. As aulas voltadas para os artesãos da cidade serão desenvolvidas sob a consultoria do Sebrae.

O resultado previsto para ser divulgado no mês de setembro, foi adiado devido as demandas de avaliação pela Comissão de Avaliação de Projetos (CAP). Outro fator que contribui para essa situação foi o grande número de projetos inscritos neste ano. A CAP, conforme definido pela Lei Municipal nº 5.372/2005, é uma comissão paritária formada por dez integrantes, sendo cinco representantes do poder público e cinco representantes da sociedade civil. Os projetos contemplados tem o prazo de um ano para a captação, a partir da primeira parcela de captação o contemplado tem mais um ano para execução dos trabalhos.

Neste ano, o Simdec recebeu o número recorde de inscritos, sendo 461 projetos distribuídos entre o Edital e o Mecenato. Esse número demonstra o reconhecimento e a valorização que o sistema recebe por parte da sociedade, aumentando a adesão de novos proponentes a cada ano. Em relação ao Mecenato, outro ponto positivo foi a captação de recursos. “Cabe destacar que todos os projetos aprovados em 2010 conseguiram captar os recursos, e muitos destes com a contribuição da Fundação Cultural de Joinville”, comenta Luciano da Costa Pereira, coordenador do Simdec. Com a aprovação, os proponentes poderão captar os recursos junto ao contribuinte, por meio da renúncia fiscal do ISSQN e do IPTU em até 30% do valor devido.

A lista dos aprovados estará disponível no Blog do Simdec – blogdosimdec.blogspot.com e no site da FCJ – www.joinvillecultural.sc.gov.br.

Confira a lista dos projetos aprovados no Mecenato 2011:
Modalidade: Apoio à Produtores Locais

Prot. Projeto Proponente Valor
197/2011 Temporada da peça “Um príncipe chamado Exúpery” Muriel Bartz Szymczak 10.000,00

 

Modalidade: Artes Visuais

Prot. Projeto Proponente Valor
180/2011 Projeção Mapeada-Organismos Públicos-Museu Nacional da Imigração Leandro Manoel Mendes 20.000,00
379/2011 AAPLAJ no Circuito Catarinense II AAPLAJ – Associação dos Artistas Plásticos de Joinville 39.081,00

 

Modalidade: Artesanato

Prot. Projeto Proponente Valor
294/2011 Capacitação do profissional de artesanato Maria Celina Ferreira 37.700,00

 

Modalidade: Audiovisual

Prot. Projeto Proponente Valor
376/2011 A Noiva de Tarantino Ebner Maciel Gonçalves – ME 40.000,00
116/2011 Luciana Alceu Bett 37.584,75
399/2011 Nos trilhos da Estação de Joinville Henrique Tobal Neto 40.000,00

 

Modalidade: Canto Coral

Prot. Projeto Proponente Valor
241/2011 Coral da Lírica- CD- Melodias Inesquecíveis Sociedade Cultural Lírica. Dirigente: Osvaldo Hinsching 10.000,00
342/2011 Coral da Univille-Tributo a Jovem Guarda Fundação Educacional da Região de Joinville- FURJ/Univille. 9.850,00

 

Modalidade: Carnaval

Prot. Projeto Proponente Valor
130/2011 Gres Unidos pela diversidade Jackson de Olivieira 12.000,00
304/2011 Carnaval Joinville 2012 Liga das Entidades Carnavalescas de Joinville. 40.000,00

 

Modalidade: Circo

Prot. Projeto Proponente Valor
434/2011 Palco Itinerante Griselda Anahi Arce Neves 14.700,00

 

Modalidade: Cultura Popular

Prot. Projeto Proponente Valor
245/2011 Dia Nacional do Samba – 2 de dezembro Luana Monique de Mira 10.000,00
210/2011 Renovart-Renovação Através da Arte Diogo Santiago 8.000,00
392/2011 Customização em Roupas – a arte de reaproveitar Mara Rúbia Furtado 10.000,00
070/2011 Capoeira na Escola APP Arnaldo Moreira Douat 10.000,00

 

Modalidade: Dança

Prot. Projeto Proponente Valor
024/2011 Dança Folclórica Italiana Cristo Rei Grupo de Desenvolvimento da Mulher Rural Cristo Rei 15.450,00
288/2011 Bolshoi para Joinville Instituto Escola de Teatro Bolshoi no Brasil 24.940,00
448/2011 Nós – Espetáculo de Dança Juliana Yara Araújo 25.000,00
369/2011 Manutenção do grupo de dança Maniacs Crew Daniela Cristina Viana 25.000,00
396/2011 Seriautos – espetáculo de dança Kenio roberto Cabrla Nogueira 39.276,73

 

Modalidade: Diversidade

Prot. Projeto Proponente Valor
131/2011 Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos pela Diversidade Jackson de Oliveira 30.000,00
363/2011 Manutenção, ampliação e divulgação do Afoxé Omi Lodê Zélio Hermínio da Rosa de Freitas 30.000,00

 

Modalidade: Exposição Museográfica

Prot. Projeto Proponente Valor
262/2011 Educação e Acessibilidade: readequação museográfica da exposição de longa duração do Museu Casa Fritz Alt Fundação Cultural de Joinville 18.000,00

 

Modalidade: Festas, Feiras, Mostras e Festivais

Prot. Projeto Proponente Valor
018/2011 Domingo Musical com Arte e Cultura Sociedade Cultural Alemã de Joinville 16.220,00
041/2011 II Festa da Banana Popular na Comunidade Estrada Blumenau Grupo de Desenvolvimento da Mulher Rural – Mulheres Unidas 10.000,00
023/2011 16 Festa do Arroz Grupo de Desenvolvimento da Mulher Rural Cristo Rei 20.000,00
381/2011 Cena 9-Mostra da Associação Joinvilense de Teatro Samira Sinara Souza 40.000,00
353/2011 Semana da Consciência Negra Karla Caroline Barbosa Carvalho 40.000,00
172/2011 Bandoneon Fest Joaraia Aparecida Trapp 40.000,00
263/2011 Programação Cultural da 73a. Festa das Flores Agremiação Joinvilense de Amadores de Orquídeas – AJAO. 40.000,00
343/2011 Abril Mundo literatura infantil 2012-a literatura africana e afro-brasileira Fundação Educacional da Região de Joinville- FURJ/Univille. 36.487,50

 

Modalidade: Fomento para Grupo de Dança

Prot. Projeto Proponente Valor
106/2011 Fomento, Manutenção e Pesquisa da AMA Cia de Dança Amarildo Cassiano da Silva 50.000,00

Modalidade: Fomento para Grupo de Teatro

Prot. Projeto Proponente Valor
445/2011 Atos Teatro 10 anos – Fundação da Companhia Atos de Arte Cênica/CACA Eliane Maria Nunes Ramim 50.000,00

 

Modalidade: Fomento para Grupo Musical

Prot. Projeto Proponente Valor
352/2011 Banda Reino Fungi RF Produções e Eventos 49.100,00

 

Modalidade: Livro e Leitura

Prot. Projeto Proponente Valor
265/2011 Relato do Sol Vanessa Bencz 13.000,00
151/2011 São Francisco do Sul: Memória e História-anotações de Manoel Deodoro de Carvalho Eneida Raquel de S.Thiago 15.000,00
166/2011 Acorde Literário Fernanda Lange 11.969,00

 

Modalidade: Música Erudita

Prot. Projeto Proponente Valor
045/2011 Concertos Didáticos nas Escolas Marise Malinski 14.980,00
235/2011 Temporada de Concertos – Camerata Dona Francisca Tobias Schroeder 40.000,00

 

Modalidade: Música Popular

Prot. Projeto Proponente Valor
387/2011 Joinville Bate Lata e Dança Gilmar Benedito dos Santos 15.000,00
188/2011 Gravação de CD Double Bass Luiz Thiago Moraes 15.000,00
417/2011 Zombie Cookbook – Outside The Grave Lucas Fernando Scaravelli De Re 4.608,60
163/2011 Gravação do 1º cd da dupla sertaneja Henrique e Michel Maurício José Antonio 14.903,00
067/2011 Banda Toca Brasil 2ª Edição – Banda Mirim do CBVJ Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Jlle. 40.000,00
093/2011 Espaço Autoral Ass. de Músicos de Jlle 40.000,00

 

Modalidade: Patrimônio Cultural (Restauro e Conservação)

Prot. Projeto Proponente Valor
307/2011 Obras de restauro e conservação da cobertura do Museu de Arte de Joinville: edificação tombada pelo Estado de SC Fundação Cultural de Joinville. 90.000,00
186/2011 Capela Senhor Bom Jesus Associação Diocesana de Promoção social – ADIPROS. 90.000,00
065/2011 4 Etapa – restauração da Casa de Enxaimel Victor Cavinatto 88.827,36

 

Modalidade: Teatro

Prot. Projeto Proponente Valor
224/2011 Ser ou não ser – Shakespeare na Comunidade Norberto Xavier Deschamps 20.000,00
071/2011 Teatro Presente no Meio Rural de Joinville Fundação Municipal de Desenvolvimento Rural 25 de Julho 10.000,00
292/2011 Circulação do espetáculo Werther: tempestade e ímpeto Cassio Fernando Correia 22.898,00
447/2011 A Onça e o Bode – Teatro infantil Juliana Yara Araújo 25.000,00
428/2011 Manutenção, formação e divulgação da AJOTE Studio F Produções Artísticas e Cinematográficas ltda. 40.000,00

Mais informações pelo (47) 3433.2190 com equipe do Simdec.

Fies só exigirá Enem para estudante que concluiu ensino médio a partir de 2010

O Ministério da Educação (MEC) alterou as normas para obtenção do Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Portaria com as novas regras foi publicada hoje (7) no Diário Oficial da União.
Para solicitar um financiamento, uma das exigências era que o candidato tivesse prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A partir de agora, essa exigência valerá apenas para o estudante que tiver terminado o ensino médio a partir de 2010, ou seja, quem concluiu antes desse ano não precisará mais comprovar a participação no exame.

O financiamento é concedido a estudantes matriculados em cursos de graduação presenciais com avaliação positiva nas avaliações do Ministério da Educação.

Da Agência Brasil