Confira o passo a passo de como preencher seu IR

IR-preencher

O prazo para entrega do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF 2014) começou nesta quinta-feira (6). É hora de milhões de contribuintes em todo o Brasil organizarem os comprovantes de rendimento, recibos de despesas médicas e escolares, entre outros documentos para fazerem a sua declaração.

Este ano, além do programa para computador, a Receita Federal também está disponibilizando um aplicativo para quem queira fazer a declaração pelo tablet ou pelo smartphone. A Receita não receberá mais as declarações em disquete, que eram entregues no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Os formulários de papel já haviam sido abolidos pela Receita Federal em 2011.

Deve declarar quem recebeu rendimentos tributáveis cuja a soma foi superior a R$ 25.661 em 2013, além daqueles que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil, em 2013.

O prazo final para entrega da declaração será o dia 30 de abril em 2014. A multa mínima para quem não entregar no prazo é R$ 165.

Para facilitar o preenchimento das movimentações financeiras que servirão para o cálculo do imposto, o Portal EBC preparou um guia, com orientações passo a passo, para ajudar você a declarar o seu imposto de renda:

Passo a passo da declaração do imposto de renda

1. O cidadão deve reunir todos os documentos que declarem os rendimentos tributáveis, independente de ter ou não havido retenção na fonte pagadora durante o ano de 2013. Aqui estão incluídos os comprovantes de salários, prestações de serviços, aposentadorias e previdência privada. Cabe também incluir os rendimentos recebidos de pessoas físicas, como aluguéis, pensões e outros.

2. Para declarar dependentes e garantir deduções no valor do imposto, é preciso reunir informações sobre rendimento dos mesmos que sejam tributáveis. É importante que contenha todos os valores recebidos, mesmo que os números não alcancem o limite estabelecido pela Receita, que em 2014 está fixado em R$  2.063,64.

3. O próximo passo é a organização dos documentos que geram outras deduções, como despesas médicas e com educação. Gastos com saúde devem corresponder a serviços efetivamente prestados e pagos ao longo de 2013. Fornecer ou utilizar recibos médicos “frios” (falsos) é considerado crime contra a ordem tributária, sujeitando o infrator à multa de 150% e pena de reclusão de 2 a 5 anos. Vale lembrar que gastos com educação tiveram limite estabelecido, neste ano, em R$ 3.230,46 por contribuinte ou dependente. Vale declarar, na área de educação, mensalidades ou anuidade escolares. No caso das despesas médicas, a Receita não estipulou limite, mas é necessário juntar todas as notas fiscais e comprovantes. São consideradas despesas médicas os gastos com planos de saúde, cirurgias, consultas, e terapias como psicologia e fisioterapia.

4. Outro ponto importante na declaração do imposto é o arrendamento de imóvel rural, atividade frequentemente praticada pelas Usinas de Açúcar e Álcool. O tributo incide sobre a  Declaração de Ajuste Anual como aluguel e não na receita da atividade rural. Se os valores são recebidos de Pessoa Jurídica, compensa-se a fonte; se recebidos de pessoa física torna-se obrigatório o recolhimento do carnê-leão. É preciso estar atento a muitos contratos que são indevidamente considerados como associação de parceria e são, na verdade, contratos de arrendamento. Na parceria, o proprietário do imóvel participa junto com o parceiro de riscos e resultados nas proporções do contrato, sem receber uma quantia mensal fixa. Nesse caso, a tributação desses rendimentos é efetuada como atividade rural.

5. A pessoa física que reside no Brasil e recebe rendimentos de outra pessoa física ou do exterior deve fazer uso do carnê-leão, que é o recolhimento mensal obrigatório do imposto de renda para pessoas físicas. A falta do recolhimento implica em multa isolada de 50% do valor do carnê, mesmo que tenha incluído os rendimentos sujeitos ao carnê-leão na Declaração de Ajuste Anual ou ainda que não tenha sido apurado imposto a pagar na declaração de ajuste.

6. No caso de aquisições e alienações de bens imóveis, móveis e direitos pelo valor real do bem, a Receita recolherá o imposto quando houver ganho de capital, ou seja, valorização de mercado.

7. As informações bancárias que também devem ser declaradas incluem todos os saldos (contas correntes, investimentos e demais aplicações financeiras) mantidas no Brasil e no exterior em nome do declarante ou dependente, cujo valor unitário ultrapassar R$ 140,00.

8. Para declarar doações e pagamentos efetuados é necessário informar na Declaração Anual de Ajuste os pagamentos efetuados a pessoas jurídicas (nos casos de dedução na declaração do contribuinte); e pessoas físicas (quando representem ou não dedução na declaração do contribuinte, incluindo pagamentos efetuados a profissionais liberais como médicos, dentistas, advogados, veterinários, contadores, economistas, engenheiros, arquitetos, psicólogos, fisioterapeutas e também os efetuados a título de aluguel, pensão alimentícia e juros). A falta de declaração dos pagamentos acima pode acarretar em multa de 20% sobre os valores não declarados.

Dicas úteis

A Receita Federal lembra que não é aconselhável emprestar o CPF a terceiros para aquisições de bens e direitos. Além disso, também não se deve permitir que terceiros utilizem a conta bancária do contribuinte que terá que justificar a origem dos recursos.

Após a declaração ser enviada à Receita Federal, o órgão cruza os dados informados pelas fontes pagadoras com os números enviados pelos contribuintes. Esse procedimento tem como objetivo verificar a correspondência de valores e evitar fraudes. No caso de erros apurados pela malha fina, a Receita pode sujeitar o contribuinte a multa e juros.

Do EBC.

Após 8 anos, CVM fixa multa de caso Inepar em R$ 4,5 mi

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou nesta terça-feira, 22, um grupo de seis acionistas e executivos da Inepar Participações por irregularidades em prejuízo de sua controlada Inepar S/A Indústria e Construções (IIC). Ao todo as multas do caso somaram R$ 4,5 milhões. O processo contra o grupo foi instaurado em 2006, após a investigação de denúncias feitas por acionistas minoritários em 2002 e 2005.

A CVM se baseou na gravidade das condutas para aplicar multa máxima – o teto de R$ 500 mil – e inabilitar todos os administradores da companhia envolvidos. Em um mesmo processo, a CVM superou o total de inabilitações aplicadas em 2012 (cinco) e 2011 (duas).

Os irmãos Atilano e Jauneval de Oms, sócios controladores e membros do conselho da Inepar, ficarão cinco anos sem exercer o cargo de administrador de companhia aberta, caso a decisão não seja revertida pelo Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o “conselhinho”.

O atual diretor-presidente da Inepar, Cesar Romeu Fiedler, foi inabilitado por um período de quatro anos. Além dele, receberam pena de inabilitação e multa o conselheiro Di Marco Pozzo (quatro anos), os ex-executivos e conselheiros Natal Bressan (três anos) e Mario Petraglia (três anos) – este último isento de pena pecuniária. Todos deverão recorrer, informou a advogada de defesa Maria Lúcia Cantidiano.

A holding Inepar Administração e Participações (IAP) levou cinco multas de R$ 500 mil por condutas enquadradas como abuso de poder de controle. Ao todo, pagará R$ 2,5 milhões.

As condenações dos gestores do grupo – provedor de infraestrutura e equipamentos para setores como energia, óleo e gás – foram baseadas nas condutas de abuso de poder de controle, desvio de poder, descumprimento do dever de lealdade, conflito de interesses, favorecimento de sociedade controladora e envolvimento na elaboração das demonstrações financeiras.

Fonte: Exame Mercados.

Itaú lucra R$ 7,2 bi no primeiro semestre, mas fecha nove mil empregos em um ano

Entre junho de 2011 e junho deste ano o Itaú fechou 9.014 postos de trabalho (8,8% do quadro de funcionários), dos quais 3.777 apenas no segundo trimestre de 2012, segundo o balanço divulgado nesta terça-feira 24 pelo maior banco privado do país. O brutal corte de empregos ocorreu mesmo com o lucro líquido de R$ 7,12 bilhões somente no primeiro semestre deste ano, que representa um crescimento de 2,5% em relação ao mesmo período de 2011.

“É inadmissível que um banco com esse resultado gigantesco, que não enfrenta nenhum problema, demita tantos trabalhadores, como também estão fazendo o Bradesco e o HSBC. É uma política socialmente irresponsável, que joga contra o desenvolvimento e os interesses do país”, acusa Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT. “Vamos denunciar essa política nefasta à sociedade e intensificar a mobilização e a luta pelo emprego na Campanha Nacional dos Bancários deste ano.”

O lucro do semestre seria ainda maior se o Itaú não tivesse aumentado em 26,7% as despesas para provisões para crédito de liquidação duvidosa, no comparativo entre os primeiros semestres de 2011 e 2012, chegando a R$ 12 bilhões. Essas provisões representam 38 vezes o aumento de 0,7% na inadimplência registrada pelo banco no mesmo período.

“Seguindo a mesma política do Bradesco, que divulgou o balanço na segunda-feira, o Itaú eleva de forma descabida as provisões para créditos duvidosos em relação à inadimplência real. Esse é um truque manjado dos bancos para maquiar o balanço”, denuncia Carlos Cordeiro.

“Com essa manobra contábil de reduzir o lucro líquido superdimensionando as provisões para uma inadimplência que na verdade é baixa, os bancos atingem vários objetivos simultaneamente. Chantageiam o governo e a sociedade para justificar as demissões e os juros, spreads e tarifas altíssimos”, acrescenta Carlos Cordeiro. “E com isso ainda reduzem a distribuição de PLR aos trabalhadores.”

Receitas com tarifas crescem

Os ativos totais do Itaú chegaram a R$ 888,8 bilhões, um crescimento de 12,15% em relação ao primeiro semestre do ano passado. A receita de prestação de serviços aumentou em 8,17% nesse período (para R$ 7,2 bilhões), o que significa que apenas com essa rubrica o Itaú paga uma vez e meia todas as despesas de pessoal. As rendas com tarifas bancárias cresceram ainda mais: 16,06%.

“Ou seja, a exemplo do Bradesco a redução da taxa Selic também no Itaú não teve efeitos. O banco não baixou os juros e ainda aumentou as tarifas, afrontando os esforços do governo de reduzir o custo do crédito e realizando um verdadeiro saque de toda a população”, conclui o presidente da Contraf-CUT.

Por: Contraf/CUT

 

José Álvaro Cardoso do Dieese/SC fala sobre o crescimento do PIB, juros e gastos com a dívida pública

Falando sobre dinheiro – Parte 2, por Jana Costa

Publicando aqui, com certo atraso, mais um texto da nossa consultora financeira, Jana Costa. Aproveitem!

“Falando sobre dinheiro – Parte 2
Dias atrás conversamos sobre como fazer o levantamento de despesas e receitas. Essa parte é extremamente fácil se cada um for honesto consigo mesmo na hora de colocar as despesas no papel.  Contudo, depois desse exercício feito e de ter identificado todas as despesas fica a pergunta, como gastar menos do que se ganha se existem dívidas grandes tais como o financiamento de carro e o cartão de crédito?

O Guia Folha de Finanças mostra que muitas pessoas não recorrem à poupança para quitar as suas dívidas, preferem o pagamento de altos juros dos financiamentos do que abrir mão do mísero rendimento da poupança. Mais para frente falarei do porque não é rentável investir em poupança no Brasil. Agora, para aqueles que não possuem dinheiro algum guardado é preciso mudar de hábito, e porque é tão difícil mudar de hábito? O Brasil não tem educação financeira nas escolas para as crianças, diferentemente dos EUA, onde as crianças já nascem investindo em diversos produtos financeiros. Por isso que é difícil para o brasileiro mudar seus hábitos quando se trata de dinheiro, outra coisa que dificulta o ato de poupar é o fato de sermos imediatistas em termos de consumo, é só perguntar para qualquer pessoa o que ela faria se ganhasse agora 10 mil reais, 99,9% responderia que gastaria com alguma coisa, enfim, poupar dinheiro não parecer ser o negócio do brasileiro.

Não existe segredo, para poupar dinheiro é preciso mudar os hábitos, e se você está endividado o primeiro passo é reduzir as dívidas. E como fazer para reduzir as dívidas? Primeiramente pare de comprar a prazo, não utilize mais o cartão de crédito, e evite comprar por impulso. Se você se deparar com alguma oferta irresistível pergunte a si mesmo se aquilo é realmente necessário para aquele momento. O segredo para não cair em tentação é ir para casa e pensar, a maioria das pessoas que compra por impulso se arrepende ao chegar em casa.

Depois disso, analise os juros das dívidas maiores, tente trocar as dívidas com juros maiores por dívidas com juros menores, por exemplo, pegue a dívida do cartão de crédito ou do cheque especial e troque por um empréstimo pessoal onde as taxas são mais baixas. Se isso não for possível no caso do cartão de crédito, existe a alternativa de entrar em contato com a operadora e verificar o que pode ser feito. Analise as taxas cobradas e se houver outra operadora de cartão com taxas mais baixas você poderá trocar de cartão se for conveniente. Para reduzir as dívidas você também pode trocar os cartões de créditos por cartões de débito somente. E, caso o seu nome esteja no cadastro de inadimplentes, o único jeito de tirá-lo de lá é pagar a dívida ou renegociá-la. Se você emitiu cheques sem fundos, para cancelar o registro no Banco Central é preciso entregar o cheque na sua agência ou uma declaração de pagamento com firma reconhecida emitida pela instituição que você passou o cheque.

Lembre-se, o segredo para chegar ao terceiro perfil, PERFIL FELIZ, que comentamos no primeiro texto da série postado no dia 26/10/2011, é mudar de hábito. Isso não é uma coisa fácil de fazer, mas também não é impossível. Semana que vem falaremos de como montar um plano para alcançar seus objetivos financeiros. Até lá!

Falando sobre dinheiro – por Jana Costa

Segue abaixo um artigo primoroso e fundamental para você, que vai receber seu décimo-terceiro salário, pegar férias, receber algum dinheiro novo, e tem dúvidas do que fazer. Para não jogar seus recursos fora, leia e siga alguns conselhos da consultora financeira e patrimonial Jana Costa, especialista que mora e trabalha no centro dos negócios do país, São Paulo, e participa especialmente, e exclusivamente, aqui neste humilde Blog. Leiam, curtam e participem com comentários e perguntas!

“Falando sobre dinheiro”, por Jana Costa *
Você gostaria de ficar rico? Claro, quem não gostaria de ser rico. Todo mundo busca uma fórmula mágica para se ganhar muito dinheiro. A loteria é a maneira mais rápida e de fácil acesso quando pensamos em enriquecer rapidamente, entretanto, a probalidade de se ganhar na Mega Sena é de 1 em 50.063.860. Isso quer dizer que se você fizer um jogo simples com 6 números a probabilidade de ganhar é de uma em mais de 50 milhões. A não ser que você tenha sorte, muita sorte, mas como nem todos gozamos de muita sorte, precisamos planejar. Essa é a primeira de uma sequência de matérias sobre planejamento financeiro e investimentos, e o objetivo é que todos possam alcançar uma independência financeira ideal para os dias vindouros!

Para atingir esse objetivo você deve rever suas contas e seus ganhos, coisa que não é muito fácil e nem gostoso de se fazer, mas é preciso. Planejamento e controle são palavras-chaves para qualquer pessoa alcançar sua independência financeira. O livro Guia Folha – Finanças traz alguns conceitos básicos e é de fácil leitura para que todos compreendam um pouco mais sobre o mundo do dinheiro, ele retrata 3 perfis diferentes quando se trata de finanças:

* Perfil do Endividado: Aquele que gasta mais do que ganha.
* Perfil do Imprevidente: Aquele que gasta tudo o que ganha.
* Perfil do Feliz: Aquele que gasta menos do que ganha, investindo a diferença.

Para chegar no último perfil vamos começar pelo primeiro, como uma pessoa que hoje está endividada pode chegar ao terceiro perfil e viver feliz? Essa pessoa conseguirá chegar no terceiro perfil com PLANEJAMENTO FINANCEIRO. O que isso quer dizer e como funciona? É simples, primeiramente teremos de começar com a ANALISE DAS DESPESAS, e para que serve esta analise? Ela tem dois objetivos bem básicos: descobrir com o que se gasta o dinheiro e induzir a criação de hábitos mais saudáveis relacionados a finanças.

A ANALISE DAS DESPESAS nada mais é do que registrar todas as despesas do no mês, anote tudo para que depois você possa saber para onde vai o seu dinheiro. Grandes despesas são mais fáceis de serem controladas porque elas, geralmente, são pagas em cheque, cartão, ou por débito automático, o problema são as despesas de valores pequenos como as que pagamos em dinheiro. Este controle deve ser feito sempre e se você vai começar agora e não tem histórico alguma inda tente estimar em detalhes as despesas extras.

Monte uma tabela para iniciar o seu planejamento. O importante é registrar todos os gastos, como por exemplo, Aluguel, água, luz, parcela do carro, etc, e também destacar o quanto cada gasto representa, em porcentagem, em relação à sua renda. Depois de você ter registrado tudo o que gastou no mês e com o que gastou, você precisa saber agora qual é a sua renda e de onde ela vem. Monte outra tabela para registrar todas as rendas e de onde elas são provenientes, e também nesse caso, colocar o quanto cada renda representa no total que você recebe, e nunca se esqueça de colocar tudo no papel, todos os detalhes tanto das despesas quanto da renda.

Com as duas tabelas preenchidas você já terá noção de todas as suas rendas e de tudo com o que você gasta o seu dinheiro. Com essa visualização das entradas e saídas de dinheiro, podemos saber exatamente que despesa temos de cortar ou reduzir e o mais importante, esse exercício de preencher as tabelas deve ser mensal, com controle diário dos gastos. Sem essa disciplina não temos como chegar a lugar algum.

Esse é o primeiro passo para nos tornarmos uma pessoa com as finanças sadias, e o primeiro passo é o mais importante para alcançarmos o terceiro perfil! Na próxima semana saberemos o que fazer com as dívidas e como dar sequência ao plano financeiro para se chegar no objetivo do perfil Feliz.

* Jana Costa, Administradora de Empresas e Agente Autônoma de Investimentos certificada pela ANCOR/CVM desde 2007.  Email: janayna.eloterio@gmail.com

O mercado de capitais e suas diferentes escolas

O mundo do mercado de capitais
O mundo do mercado de capitais

Da agente de investimentos Janayna da Costa que atua em São Paulo no mercado de capitais, recebo artigo sobre o assunto e publico abaixo. Para quem deseja investir em ações, um bom começo é ler sobre o tema antes de colocar seus reais no jogo. Obrigado Janayna, sobrinha deste blogueiro e recém-formada em administração pela Sociesc com louvor. 

Quando uma pessoa resolve investir em ações, visando garantir o crescimento do seu capital, ela procura informações sobre qual ação é melhor, ou qual é o momento ideal para se comprar ou vender determinado ativo, é nesta hora em que ela se depara com dois diferentes tipos de análises, a Análise Técnica e a Análise Fundamentalista. Os investidores experientes seguem uma dessas duas escolas no Mercado de Capitais, às vezes até misturam as duas na busca de maximizar seus resultados. Mas o que é, e como funciona cada uma delas? É sobre isso que explanaremos no decorrer deste artigo.

Conforme comentado nos textos anteriores, você é a melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro, e por este motivo, é preciso buscar informações, ler livros sobre economia e sobre mercado de capitais, estudar, e freqüentar cursos e palestras com o propósito de obter resultados positivos em seus investimentos. As Análises estudadas a seguir apresentam diferentes particularidades, e a Escola Fundamentalista é um pouco mais difícil do que a Escola Técnica no momento de avaliar os ativos.

A Análise Fundamentalista se baseia nas informações financeiras, econômicas e mercadológicas das empresas, analisando possíveis impactos que possam afetar os resultados das companhias. Os investidores dessa Escola avaliam os relatórios das empresas e dos concorrentes levando em conta índices de endividamento, retorno sobre o patrimônio líquido, investimentos e o crescimento dos lucros auferidos no período. Esse tipo de análise é o preferido pelos profissionais analistas de mercado. A Escola Fundamentalista busca determinar o preço justo de uma ação, avaliando a expectativa dos resultados futuros das empresas. Este tipo de análise exige muito mais do investidor, o qual deve entender de análise financeira de balanços, controle gerencial e economia como um todo, diferentemente da Análise Técnica.

A Análise Técnica ou Gráfica é o estudo dos gráficos dos ativos negociados na bolsa, buscando identificar pontos de compra ou de venda destes ativos. Também se pode dizer que é o estudo analítico da manifestação exposta da soma do medo, da ganância e da expectativa das pessoas nos gráficos. É por este motivo que, ao entender como as ferramentas disponibilizadas pela Análise Técnica funcionam, as decisões acerca de quando comprar ou vender se tornam mais fáceis e automáticas.

Essa análise teve origem no Japão, no século XVIII, quando um negociante de arroz de Sakata conseguiu identificar certos padrões de comportamento ao observar as cotações de abertura e fechamento, máximas e mínimas ao longo do tempo. Pela facilidade de compreensão e acesso, a Análise Técnica, é a corrente mais difundida entre os investidores não profissionais. Podemos encontrar várias literaturas sobre o tema, dentre elas, os mais conhecidos no país são os livros do Márcio Noronha que podem ser encontrados no site do autor www.timing.com.br, e os livros do Alexandre Wolwacz e Leandro Ruschel que podem ser encontrado no site dos mesmos www.leandrostormer.com.br, além dos cursos que ambos oferecem.

Os investidores seguem uma dessas correntes na hora de investir e pode-se dizer que a maioria que segue a Escola Fundamentalista não gosta da Escola Técnica ou vice e versa, entretanto, existem aqueles que utilizam a Análise Técnica na hora de comprar ou vender, mas também analisam os fundamentos da empresa que estão comprando, principalmente quando o investimento é para longo prazo.

Na próxima semana saberemos o que é risco e o que é arriscado, e os princípios para se investir nesse mercado. Tenha sempre em mente…, a melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro É VOCÊ MESMO! Uma ótima semana a todos e até a próxima!”

Artigo assinado por Janayna da Costa – Agente Autônomo de Investimentos – janayna.eloterio@gmail.com