Fundação lança edital de R$ 6 milhões para apoiar pesquisas contra Aedes aegypti

PalavraLivre-dengue-zika-mosquito-combateA Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP) do Distrito Federal lançou hoje (10) edital de apoio a projetos de pesquisa sobre o Aedes aegypti e as arboviroses Zika, chikungunya e dengue no valor de R$ 6 milhões. Arboviroses são viroses transmitidas por artrópodes, como os mosquitos.

De acordo com a entidade, o objetivo da seleção pública é fortalecer redes de pesquisa e consolidar a base científica e tecnológica sobre o mosquito, além de contribuir com o bem-estar e a saúde da população do Distrito Federal.

As propostas devem ser submetidas à fundação como projetos cooperativos, em formato de rede de colaboração com outros pesquisadores.

Além de técnicos e estudantes, podem participar pesquisadores com vínculo empregatício ou funcional de laboratórios e secretarias do governo de Brasília; instituições de ensino ou pesquisa públicas e privadas; e empresas de base tecnológica sediadas no DF ou em outras unidades da federação.

A rede de pesquisadores deverá ser formada por pelo menos três bolsistas, com experiência comprovada por currículo nas seguintes linhas de pesquisa prioritárias:

a) Estudos de prevenção, controle, monitoramento de vetores e desenvolvimento de novos produtos como inseticidas e larvicidas;

b) Estudos de ecologia, mecanismos de resistência, genética de populações e interação vetor-vírus;

c) Estudos relativos aos diversos aspectos das doenças, como clínicos, novas metodologias de diagnóstico, epidemiologia e fisiopatologia;

d) Caracterização e variabilidade genética de vírus circulantes no DF;

e) Criação de um banco de dados com informação genômica e proteômica;

f) Produção de kits de diagnóstico molecular e imunológico;

g) Produção de vacinas e desenvolvimento de drogas antivirais.

As propostas devem ser encaminhadas entre os dias 17de março e 25 de abril, pelo site da FAP. O valor máximo por projeto de pesquisa é de R$ 3 milhões. Acesse aqui o edital completo.

Com informações da FAP, EBC

Mobilização contra zika busca repercussão em todo o país neste sábado (13)

PalavraLivre-zika-dengue-doenca-saude-O governo quer fazer com que a mobilização nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, no próximo sábado (13), seja também uma “medida de impacto”  com repercussão em todo o País.

O objetivo é fazer com que a sociedade se sensibilize com o tema e ajude a eliminar os criadouros do inseto transmissor do zika vírus.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse que o governo vai precisar da ajuda das equipes dos ministérios para que a visita de conscientização dos cerca de 220 mil militares a mais de 300 municípios seja também uma “ação de comunicação”.

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, o ato será “simbólico”. Além da distribuição de panfletos, há estimativa de  visitas a casas, ao lado dos governadores, prefeitos e agentes de combate às endemias.

Para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é importante que os próprios ministros batam de “porta em porta” e busquem conscientizar a população sobre os riscos da epidemia.

Marcelo Castro informou que, além dos militares, a ação vai contar com a presença de 46 mil agentes de combate às endemias, mais de 266 mil agentes comunitários de saúde, além de governadores, forças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

Mais cedo, ao detalhar a ação, o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, lembrou que milhares de militares estão sendo treinados para a aplicação de produtos químicos para matar o Aedes aegypti, preparando-se para atuarem em etapas posteriores à mobilização deste sábado.

O ministro do Esporte, George Hilton, descartou nesta quinta-feira (11) a hipótese de os casos de zika vírus prejudiquem os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

“Definitivamente, a Olimpíada está garantida e será um grande evento. É um trabalho de conscientização inclusive das lideranças das federações internacionais, está todo mundo mobilizado. Não é um problema do Brasil, isso é um medo do mundo, e todos estamos cientes da responsabilidade, mas nada que comprometa o grande espetáculo”, disse o ministro após participar de reunião no Palácio do Planalto sobre o combate ao vírus Zika.

Com informações do Portal Brasil

Dengue: Joinville registra dez casos, todos vindos de outras cidades

A Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde informa que já existem 10 casos confirmados de dengue em Joinville neste ano. Todos os casos são de pessoas que contraíram a doença em outros municípios, mas que já passaram pelo tratamento adequado, portanto, estão livres da doença transmitida pelo Aedes aegypti.

Mais cinco supostos casos de dengue estão sendo investigados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Florianópolis. Apesar do número de casos confirmados de doença em moradores do município, “a doença está controlada e diz respeito a casos importados de outros lugares”, afirma Jeane Vieira, gerente da Unidade de Vigilância em Saúde.

O município também já acumula 47 focos do mosquito transmissor da dengue. Os três últimos focos do Aedes aegypti foram localizados nos bairros Floresta, São Marcos e Nova Brasília, na última quinta-feira (28/2), pelos agentes do Programa de Combate à Dengue. O bairro Floresta continua liderando as estatísticas de focos do mosquito com o número de 16, o que representa quase um terço do total de focos do mosquito encontrados no município só nessa região.

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Thaísa Kulevicz, reforça que os moradores devem manter todos os cuidados possíveis para evitar a proliferação do mosquito em água parada. “A dengue é uma doença possível de prevenir e os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti são essenciais para manter a cidade livre da doença. Encher de areia os pratinhos dos vasos de plantas e verificar se há água parada nas calhas são ações que ajudam a evitar a infestação do mosquito”, declara.

O que é a dengue?
A dengue é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus da família Flaviridae e é transmitida através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti (da família dos pernilongos), também infectado pelo vírus. Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública de todo o mundo.

Informações: Programa Municipal de Combate à Dengue/ Secretaria Municipal da Saúde.
Telefone: (47) 3432- 2337

Dengue: Brasil tem 77 municípios em situação de risco e 375 em alerta

Levantamento divulgado hoje (27) pelo Ministério da Saúde indica que 77 municípios brasileiros estão em situação de risco para a dengue, incluindo uma capital, Porto Velho. Nessas áreas, onde vivem mais de 5,7 milhões de pessoas, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentam larvas do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti.

Além disso, 375 cidades estão em situação de alerta para a dengue (índice de infestação entre 1% e 3,9%), enquanto 787 registraram índices considerados satisfatórios (menores que 1%).

A pesquisa foi realizada em 1.239 municípios brasileiros. No ano passado, 800 prefeituras haviam participado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), feito pelo governo desde 2003.

Das 77 cidades em situação de risco para a dengue, 58 participaram da pesquisa pela primeira vez e dez mantêm a classificação desde o ano passado. Em 2011, 48 municípios foram identificados em situação de risco, 338 estavam em alerta e 414 apresentaram índice satisfatório.

No Nordeste, mais de 70% das larvas do mosquito se concentram em reservatórios de água. No Sudeste, mais da metade dos focos (59,2%) estão em depósitos domiciliares. No Sul e no Centro-Oeste, o problema maior é o lixo, enquanto no Norte há uma situação de equilíbrio entre o armazenamento de água e o lixo.

O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, lembrou que, em dezembro, o verão começa oficialmente no país e que o período é considerado predominante para a circulação do vírus da dengue. “Contamos com a parceria importante de estados e municípios para que a gente tenha uma mobilização com antecedência para evitar epidemias no próximo verão”, disse.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, alertou que o LIRAa funciona como uma espécie de fotografia de momento e que a circulação da dengue deve aumentar em alguns municípios. “Teremos mais chuvas, o que é um ambiente mais provável para infestação do mosquito. Certamente teremos municípios com situação de epidemia”, disse.

Da Ag. Brasil

Caminhada contra a Dengue nesta sexta-feira (23/11) em Joinville (SC)

O Programa de Controle à Dengue da Secretaria Municipal da Saúde organiza, nesta sexta-feira (23/11), uma Caminhada contra a Dengue no bairro Aventureiro. A saída será às 8 horas, em frente à Igreja Católica Cristo Libertador, na rua Jacupiranga, seguindo até a rua Lauro Schroeder. A passeata é aberta a toda comunidade.

Agentes comunitários de saúde e alunos da Escola Municipal Senador Carlos Gomes de Oliveira já confirmaram a participação. Além de comemorar o Dia Nacional de Combate à Dengue, a ação tem por objetivo transmitir uma mensagem de alerta para que a população se previna e tome os cuidados necessários contra o mosquito.

O Aventureiro foi o escolhido para a caminhada pois é o bairro com maior incidência de focos do Aedes Aegypti em 2012. Até a primeira quinzena de novembro foram notificados 97 casos de foco de dengue em Joinville, 15 deles no Aventureiro.

“A caminhada contra a dengue acontece num momento importante para alertar a população, pois é nesta época do ano em que há aumento do calor e, consequentemente, mais chuva, que há mais incidência de focos do mosquito da dengue. Por isso, é importante cuidar para que vasos, pneus e outros objetos não acumulem água parada, facilitando, assim, o desenvolvimento de novos focos do Aedes Aegypti”, alerta a coordenadora do Programa de Controle à Dengue, Bárbara Nied.

Número de focos por bairro

Aventureiro: 15

Itinga: 14

Santa Catarina: 13

Floresta: 12

Distrito Industrial: 10

Itaum: 6

Glória: 5

São Marcos: 5

Pirabeiraba: 4

Bucarein: 2

Anita Garibaldi: 2

Boehmerwald: 2

Rio Bonito: 2

Bom Retiro: 1

Costa e Silva: 1

Jardim Sofia: 1

Nova Brasília: 1

Boa Vista: 1