Campanha Todos por Joaquim – Cirurgia realizada nesta quinta-feira (30) foi bem sucedida

Quem acompanha o Palavra Livre sabe que estamos apoiando a campanha Todos por Joaquim, que consiste em buscar recursos financeiros para bancar uma cirurgia no crânio do bebê Joaquim, cinco meses de idade, do bairro Fátima em Joinville (SC). Ele conseguiu realizar a cirurgia – a craniossinostose – na manhã desta quinta-feira (30) no Hospital Santo Antônio na cidade de Blumenau. Após quase quatro horas de espera, os pais puderam ver o pequeno gigante Joaquim sair bem, e agora está em recuperação na UTI pediátrica, e deve ter alta no próximo sábado (1/8).

A corrida da campanha Todos por Joaquim foi noticiada no Palavra Livre no dia 15 de junho (clique aqui), e reforçada em duas novas matérias em 21/7 (clique aqui) e 22 de julho (clique aqui). Os pais tentariam a cirurgia, delicada, via SUS, mas com o crescimento da contaminação e internações em leitos comuns e UTIs, por causa do coronavírus, inclusive com falta de sedativos e outros medicamentos, a cirurgia não aconteceria no tempo necessário, ou seja, até o pequeno bebê completar seis meses. Joaquim já estava com a sua “moleira” praticamente fechada, o que impossibilitaria o desenvolvimento normal do cérebro, e consequentemente podendo causar sequelas neurológicas sérias. O valor da cirurgia estava previsto em cerca de R$ 15 mil, sem contar o que será gasto depois, na recuperação.

Foto do sorridente Joaquim ilustra a campanha por sua cirurgia

A partir daí os pais Gean e Luciane passaram a correr atrás dos recursos financeiros, e para isso contaram com a ajuda de muita gente. Iniciaram com uma ação entre amigos com brindes doados por apoiadores, no valor de R$ 5 cada bilhete. Logo em seguida criaram uma vaquinha virtual na plataforma Kickante (acesse a campanha aqui), onde qualquer pessoa pode fazer uma doação de qualquer valor, anonimamente inclusive se quiser, mas lá há uma dedução da taxa de serviços da plataforma em torno de 10% do valor arrecadado. Por fim, colocaram também a conta corrente bancária da mamãe Luciane para quem desejasse ajudar com mais rapidez, sem taxas, e com o dinheiro já disponível, porque na vaquinha virtual, após o encerramento, há um tempo de até 10 dias para que o saque seja feito.

Os pais Gean e Luciane com o pequeno no colo. Luta por um filho vale qualquer batalha

Com grande engajamento nas redes sociais, a campanha Todos por Joaquim arrancou bem e já arrecadou pouco mais de R$ 7 mil até o dia de hoje na vaquinha virtual, mas é preciso que a meta seja alcançada para que os pais tenham a tranquilidade de poder quitar a conta com o hospital, equipe médica, anestesista, medicamentos e outras contas. Eles conseguiram um empréstimo para dar a entrada, e deram cheque caução da outra parte que precisa ser quitada até o dia 20 de agosto. Por isso o Palavra Livre continua no apoio ao Joaquim e seus pais!

Contamos com vocês que leem esta matéria agora para continuarem a compartilhar com amigos e amigas, via redes sociais, emails, telefonemas, pedindo doações na vaquinha virtual cujo link está logo acima na matéria, ou então diretamente na conta corrente da mãe, que segue em imagem abaixo. Fica aqui o agradecimento especial do Palavra Livre a todos e todas que se dispuseram a ajudar com doações de brindes, leilões de produtos, depósitos, compartilhamentos nas redes sociais, todos foram de grande valor e deram a possibilidade do pequeno Joaquim ter a sua cirurgia, e com isso, ter um futuro normal.

Não vamos parar, continue a colaborar, divulgar, doar! Todos por Joaquim, obrigado!

** fotos divulgadas pela família, e autorizadas devidamente.

Campanha Todos por Joaquim comunica que cirurgia está marcada para dia 30 de julho

Acabamos de receber uma informação da família do pequeno Joaquim sobre a marcação da sua cirurgia craniana para manter sua “moleira” aberta para o pleno desenvolvimento do seu cérebro, evitando assim problemas em seu crescimento, questões neurológicas e outros. A cirurgia será realizada no próximo dia 30 de julho às 7 horas no Hospital Santo Antônio em Blumenau (SC). Mais do que nunca a família precisa da solidariedade das pessoas, o apoio financeiro em doações na vaquinha virtual, ou depósito em conta corrente da mãe do Joaquim.

O Palavra Livre apoia a campanha Todos por Joaquim (clique aqui, e aqui), e tem buscado mobilizar as pessoas para que ajudem a família a arrecadar o valor para a realização da cirurgia que gira em torno de R$ 13 a R$ 15 mil. Continua o apelo aqui para que todos possam contribuir um pouco e ajudar na cirurgia que vai dar a possibilidade de desenvolvimento pleno ao pequeno bebê. Segue a nota enviada pela família e que está nas redes sociais da campanha:

“Atenção gente, temos um comunicado importante!

Preocupado com as notícias de avanço da pandemia do coronavírus em SC, o médico do Joaquim decidiu antecipar a cirurgia do nosso bebê já para a próxima quinta-feira (30/7) para garantir que ela aconteça. Os pais concordaram, e correm agora para dar garantias – caução – para o hospital e equipe médica. A ansiedade aumentou, mas é uma decisão acertada.

Já há uma crescente preocupação com possível falta de medicamentos, sedativos, leitos de UTI e de enfermarias, por que nosso estado entrou em situação gravíssima do coronavírus. Isso pode afetar a realização da cirurgia para a data planejada, e a antecipação é medida correta para proteger o Joaquim.

Os pais estão muito ansiosos pela marcação da cirurgia, e muito emocionados pelo grande carinho e amor que chegam de vários cantos do país para o Joaquim. Eles agradecem imensamente a todos que já contribuíram com a ação entre amigos, na vaquinha virtual na Kicante, e depósitos feitos na conta da mãe diretamente.

Eles jamais imaginaram que conseguiriam tocar tantos corações com o seu bebê, e gratidão eterna é o que tem por todos que já ajudaram e ajudarão. Da nossa parte temos que ampliar a divulgação entre nossos amigos, familiares, para continuar a arrecadação que vai bem, mas não pode parar! Precisamos alcançar a meta para pagar os custos da cirurgia, e continuamos a contar com todos nesta caminhada solidária!

Muito obrigado! “

Campanha Todos por Joaquim continua em busca de recursos para a cirurgia

A campanha solidária “Todos por Joaquim” iniciou semana passada com o objetivo de arrecadar fundos para que o pequeno bebê de cinco meses de idade faça uma cirurgia inadiável e delicada em seu crânio antes que complete os seis meses. A “craniossinostose” é uma intervenção para permitir mais “espaço” para o crescimento do cérebro de Joaquim, já que a sua moleira fechou antes do esperado. Assim ele pode ter complicações em seu desenvolvimento neurológico e cognitivo, além de outros problemas de crescimento. O bebê mora em Joinville (SC) no bairro Fátima, zona sul da cidade. O Palavra Livre apoia a campanha e já publicou texto sobre que você pode ler aqui.

A partir de uma consulta de rotina, os pais Gean e Luciane tiveram a notícia do médico e correram para especialistas em busca da solução, que foi esta da cirurgia. Como a pandemia está lotando hospitais e setores de saúde para o combate ao vírus, e utilizando medicamentos e sedativos que chegam a estar em falta, eles decidiram buscar arrecadar o dinheiro previsto para a cirurgia, que gira em torno de R$ 13 a R$ 15 mil reais, para fazer a cirurgia em hospital privado. Desta forma eles já promovem uma ação entre amigos com prêmios no valor simbólico de R$ 5,00 e também uma vaquinha virtual na plataforma Kicante que já arrecadou até ontem a noite o valor de R$ 3.520,00 com 70 doadores até o momento. Faltam apenas 24 dias para encerrar a vaquinha.

Os pais do Joaquim também disponibilizaram a possibilidade de apoio direto via depósito ou transferência para a conta corrente da mãe, para quem desejar assim. Assim, eles também não pagam o valor de comissão da plataforma Kicante. Na conta corrente eles já conseguiram arrecadar R$ 4.585,00 que, somado ao que já está na vaquinha virtual, dá um total de R$ 8.105,00. Isso dá pouco mais de 60% do total planejado pela família para o pagamento da cirurgia. Mesmo assim eles precisam acelerar a arrecadação via conta ou vaquinha porque a cirurgia, antes prevista para a metade do mês de agosto, deve ser antecipada para o final de julho devido também às questões da pandemia do coronavírus. Joaquim não pode correr o risco de ficar sem sala para cirurgia, sem leito de UTI pediátrica ou enfermaria, e medicamentos pós-operatórios, entre outros.

Assim o apelo dos familiares do pequeno Joaquim, cuja campanha o Palavra Livre apoia, informa e divulga os dados com total transparência, pede novamente o apoio e empenho de todos para acelerar a arrecadação. Se todos se engajarem em compartilhar com amigos em suas redes sociais, e eles com as redes sociais deles, e conseguindo arrecadar cerca de R$ 200 ao dia até a data final, o Joaquim poderá fazer a cirurgia necessária para que tenha um desenvolvimento saudável, um futuro sem sequelas. Se a pandemia tem algo a nos ensinar é que precisamos ser mais solidários, mais humanos. Se você pode ajudar divulgando, ajude. Se puder depositar algum valor, deposite. Se puder doar mais, faça. O importante é ajudar uma pequena vida neste momento.

Seguem abaixo os links para a Campanha Todos por Joaquim:

Instagram – clique aqui e acompanhe a divulgação, compartilhe com amigos

Vaquinha Virtual – clique aqui, doe e compartilhe.

Para depositar ou transferir diretamente na conta corrente da mãe do Joaquim, seguem os dados:

Joaquim precisa do seu apoio solidário para uma cirurgia no crânio

Vamos ajudar o Joaquim? Você não conhece o Joaquim, mas quem já o conheceu se encantou com a alegria, o sorriso, a energia pura de uma criança que chegou há apenas quatro meses no mundo! Nestes tempos malucos de pandemia do coronavírus, a chegada de um anjo assim nos dá esperanças de dias melhores não é mesmo? Mas o pequeno Joaquim vai ter que enfrentar a sua primeira batalha neste mundo louco: uma delicada cirurgia no crânio para corrigir o fechamento precoce da sua “moleira”. Ele mora na cidade de Joinville (SC), no bairro Fátima.

Porque será preciso uma cirurgia? Pois é, em uma consulta de rotina os pais Gean e Luciane foram informados de que é preciso fazer essa cirurgia conhecida como craniossinostose para dar mais “espaço” para o desenvolvimento do seu hoje pequeno cérebro. Como a moleira está se fechando mais rapidamente que o esperado, é preciso fazer esta cirurgia para deixar este “espaço” aberto para que o pequeno Joaquim tenha desenvolvimento pleno do cérebro. Se isso não for feito, ele pode ter impedido o seu crescimento, movimentos, raciocínio, enfim, reduzindo suas chances de uma vida normal e saudável.

Por isso a pergunta inicial ganha força, vamos ajudar o Joaquim? Como vivemos tempos duros com o coronavírus, o SUS está sobrecarregado nos atendimentos, e o pequeno Joaquim não pode esperar pelo tempo da saúde pública. Se ele não fizer esta cirurgia até completar seis meses, ou seja, brevemente, a cirurgia ficará muito mais delicada e complexa devido à complexidade necessária nos procedimentos médicos. Fazendo até os seis meses, caem os riscos, e Joaquim vai se recuperar mais rapidamente para ter sua vida e seu futuro plenos e garantidos!

Para viabilizar a cirurgia – particular – os pais deste bebê sorridente decidiram fazer uma rifa e pedir o apoio de todos que puderem contribuir com o Joaquim. Já foram atrás de prêmios a quem contribuir na ação entre amigos, e se movimentam em redes sociais, redes reais de amigos e amigos de amigos, tudo para defender a saúde do fofo Joaquim. Diz a sabedoria milenar que quem salva uma vida, salva o mundo. Vamos salvar o futuro da vida do Joaquim?

Os pais, Gean e Luciane, envolvendo Joaquim em muito amor e na luta por sua cirurgia

O tempo é curtíssimo, e por isso pedimos que se alguém puder ajudar inclusive compartilhando  esta ação com suas listas de amigos, familiares e outros, será de grande importância! O valor arrecadado vai custear o Hospital e custos da cirurgia e pós-cirurgia (uma diária em UTI Pediátrica e 2 dias de enfermaria mais taxa de uso do centro cirúrgico – 180 minutos -, materiais, medicamentos e fisioterapia), com custos estimados em torno de R$ 15 mil. Se todos ajudarem um pouco, conseguiremos ajudar o Joaquim, que tal? Vamos lá?

O valor sugerido é de R$ 5,00 por bilhete da rifa/ação entre amigos para que todos possam contribuir sem doer nos bolsos tão atingidos pela crise. Os prêmios são um corte de cabelo + barba, um perfume Marina de Bourbon, um par de sapatos, e uma cafeteira. A solidariedade é o maior aprendizado que podemos ter nestes tempos difíceis! Uma vaquinha virtual também foi criada para facilitar a arrecadação, divulgação, compartilhamento e pagamentos a quem prefere o uso da internet, e para agilizar a conquista do valor necessário, já que o tempo é muito curto para a realização da cirurgia!

E então, vamos ajudar o Joaquim a fazer a sua cirurgia? O Palavra Livre agradece desde já o apoio deu seus leitores, seguidores e amigos!

O link da Vaquinha Virtual Todos por Joaquim é só clicar aqui.

Você pode contribuir via depósito ou transferência, veja os dados abaixo:

Hospital São José de Joinville (SC) faz cirurgia inédita

Uma equipe de médicos do Hospital São José de Joinville realizou, no sábado passado (6/4), a primeira colocação endoscópica de válvula brônquica em Santa Catarina para o tratamento do enfisema pulmonar avançado. O procedimento durou aproximadamente uma hora e envolveu quatro cirurgiões torácicos, dois pneumologistas e um anestesista do corpo clínico do hospital joinvilense.

Uma equipe médica do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, pioneira no Brasil no estudo e uso desse tratamento, trabalhou em conjunto com os médicos do Hospital São José. No mesmo dia, foram realizados dois procedimentos idênticos em Blumenau.

A cirurgia de Joinville foi realizada pela equipe formada pelos médicos especialistas em cirurgia torácica Adrian Schner, Carlos Daudt, Paulo Zanoni e Sérgio Ferreira; pelos pneumologistas Fabiano Schwingel e Jaime Ferreira. O anestesista foi o médico Erasmo Augusto de Souza Júnior.

Os estudos sobre a colocação endoscópica de válvula brônquica no Brasil são recentes. Iniciaram no ano de 2002. Desde então o procedimento e o material utilizado vêm sendo aperfeiçoados, tendo o Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, como pioneiro, seguido pelo Instituto do Coração, em São Paulo.

A válvula brônquica é colocada em pessoas diagnosticadas com enfisema pulmonar avançado e, além de aumentar a qualidade de vida do paciente, lhe proporciona mais tempo até que receba um pulmão transplantado. A cada dez diagnosticados com essa doença, dois se enquadram no tratamento. O procedimento leva em média uma hora e o paciente recebe alta entre 48 e 72 horas depois. Após três meses da colocação da válvula é feita uma avaliação médica para verificar a evolução do quadro. Veja como funciona a válvula brônquica em http://www.youtube.com/watch?v=r7U_Ih7-se4

Justiça Federal determina cirurgia pelo SUS em paciente com risco de morte

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou, na última semana, que a União, o Estado de Santa Catarina e o município de Florianópolis disponibilizem com urgência procedimento cirúrgico a uma paciente portadora de atrofia muscular espinhal e escoliose com risco de morte.

A autora é menor de idade e poderá ter os órgãos internos do abdômen comprimidos pela deformidade da coluna. Conforme relatado no processo, seu quadro já é grave, com uma capacidade pulmonar reduzida a 33%. Com a cirurgia e a correção da espinha, será feita a descompressão dos pulmões.

A autora e sua mãe recorreram ao tribunal após terem seu pedido negado em primeira instância. O relator do processo na corte, desembargador federal Cândido Alfredo Silva Leal Júnior, entendeu que a Justiça deve intervir tendo em vista a urgência do caso. “Os elementos e as fotos juntadas ao processo permitem que se tenha a dimensão das restrições enfrentadas pela autora e do seu grave quadro clínico, não havendo dúvidas de que a apelação deve ser provida”, afirmou o magistrado.

Para o desembargador, o Judiciário não pode, em nome do princípio da separação dos poderes, permitir a afronta e a aniquilação de um direito protegido constitucionalmente. “O direito à saúde está intrinsecamente relacionado com o direito à vida e com o princípio da dignidade da pessoa humana, os quais têm inquestionável relevância, tanto que protegidos pela Constituição Federal”, declarou.

A doença
A atrofia muscular espinhal é uma doença degenerativa de origem genética, que leva a fraqueza e atrofia muscular com prejuízo de movimentos voluntários. No caso da autora, ocorreu a deformidade da coluna, com grave escoliose, que passou a comprimir órgãos internos.

Da Justiça Federal 4a. Região

Cesariana: Fiocruz pesquisa preferência das brasileiras pelo ato cirúrgico

Para descobrir o porquê da preferência de muitas brasileiras pelo parto cirúrgico, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, ligada ao Ministério da Saúde, está coordenando a pesquisa “Nascer Brasil: Inquérito sobre Parto e Nascimento”. O estudo vai entrevistar 24 mil mulheres em situação de pós-parto. Dados recentes do Ministério da Saúde revelam aumento no número de cesarianas.

Com base nesses dados, o Ministério da Saúde espera fortalecer ainda mais a estratégia da Rede Cegonha, ação que tem entre os objetivos melhorar a qualidade do pré-natal e do parto no Brasil.

A coordenadora da pesquisa, Maria do Carmo Leal, explica que um dos problemas observados no Brasil é que o serviço onde a mulher realiza todas as consultas do pré-natal não efetua uma conexão direta com o hospital onde ela deverá realizar o parto. Por isso, a mulher acaba tendo que buscar o hospital por conta própria, o que não é recomendado pelo Ministério da Saúde.  A estratégia Rede Cegonha também visa garantir a vinculação da gestante à maternidade do dia do parto.

A pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, Silvana Granado, explica que, no caso das mães que optaram passar por uma cesárea, será questionado o motivo da escolha.

“A gente entrevista a mãe no pós-parto na própria maternidade e pergunta um pouco sobre a história estética dela, quantas vezes ela ficou grávida, quantos filhos ela já teve. Para ver a idade gestacional que esse neném está nascendo e se foi parto normal ou cesariana”, diz a pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, Silvana Granado. Ela explica que a pesquisa também verificará qual indicação médica e a preferência pelo tipo de parto, onde ela fez o pré-natal, se foi o mesmo profissional que fez o parto. Com base nessas informações, as responsáveis pela pesquisa esperam também subsidiar o Ministério nas políticas públicas já existentes que pretendem reduzir os índices de cesarianas.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em 2010, o Brasil registrou mais cesarianas do que partos normais. Enquanto em 2009 o país alcançava uma proporção de 50% de partos cesáreos, em 2010, a taxa subiu para 52%. Na rede privada, o índice de partos cesáreos chega a 82% e na rede pública, 37%.

Estudos comprovam que as chamadas “cesáreas eletivas” são as que representam maior risco. Nesse tipo de parto, a mãe agenda o dia do nascimento e o bebê nasce sem que ela entre em trabalho de parto, o que pode causar problemas de saúde, principalmente respiratórios, na criança.

REDE CEGONHA – A estratégia, lançada em 2011, reforça as estruturas da rede pública para incentivar o parto normal. O Ministério da Saúde já liberou R$ 213 milhões para os primeiros estados que tiveram seus planos aprovados: Bahia, Pará, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.

Esses estados foram os primeiros a receber recursos para custeio dos Centros de Parto Normal, de Casas da Gestante, do Bebê e da Puérpera e Maternidades, além da qualificação de leitos de Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Canguru e leitos obstétricos para atenção à gestante de alto risco. Até agora, dezessete estados e 800 municípios já aderiram à estratégia.

Do Min. da Saúde