Governo anunciou novo Secretário da Casa Civil em SC

O Governo de SC anunciou o nome do novo Secretário de Estado da Casa Civil no lugar de Douglas Borba, que deixou a pasta em meio às denúncias de sua participação na suspeita compra dos respiradores milionários. Recebemos o texto enviado pela SECOM, e reproduzimos aqui no Palavra Livre.

“O Governo do Estado informa que Amandio João da Silva Junior, ex-secretário adjunto do Desenvolvimento Econômico e Sustentável, será o novo Chefe da Casa Civil. Ele assume suas novas funções nesta segunda-feira, dia 11, e imediatamente passa a compor a equipe de Governo que tem trabalhado 24 horas por dia no enfrentamento ao novo coronavírus.

Este desafio frente à pandemia – que é de todos os cidadãos catarinenses – se soma à missão primordial do Governo, que é a de trabalhar ininterruptamente para melhorar a qualidade de vida dos catarinenses. A estrutura governamental segue ativa e atuante em todas as demais áreas, além da Saúde, garantindo a quem vive em nosso Estado a manutenção dos serviços essenciais e a continuidade dos projetos e ações de Governo. Unidos venceremos mais este desafio”.

Política não pode atrapalhar combate ao Covid-19

Santa Catarina começa a dar sinais que vai, assim como Brasília, passar a priorizar a disputa política em detrimento da união de esforços contra o inimigo comum, o Covid-19, o famoso coronavírus. É o que se depreende das mais novas manifestações de deputados estaduais contra as ações do Governo de Carlos Moisés (PSL). Agora a bola da vez e que pode incendiar o parquinho em hora imprópria é o investimento em um Hospital de Campanha a ser instalado em Itajaí (SC).

Segundo as denúncias, o valor estaria super dimensionado em relação ao que o Governo Federal propõe em outros estados como Goiás. Há muitas diferenças entre os modelos, e isso deve ser sim acompanhado e fiscalizado. É papel dos deputados. Nos bastidores, o que se comenta é que há na verdade um alvo a ser abatido, o homem forte do governo Moisés, o secretário da Casa Civil, Douglas Borba (PSL). Essa fogueira estava com fogo baixo, mas sopros de fogo amigo fizeram as chamas se elevarem neste momento em que as cifras milionárias começam a aparecer. Afinal, há muito o que se fazer para que Santa Catarina possa ter leitos, equipamentos, profissionais, UTIs, para atender ao que vem aí, muita gente infectada, e pior, acamada a necessitar de cuidados especiais.

Isso custa muito dinheiro não só em SC, mas no país, e no mundo. Os preços aumentaram, e a escassez de equipamentos, máscaras e insumos atrapalham o acompanhamento de preços, se super dimensionados, ou não. O fato é que é possível se fiscalizar e cobrar atitudes, desde que com bom senso e evitando deixar a população em último lugar, e a fogueira das vaidades em primeiro lugar visando objetivos políticos. Agora é hora de união contra o vírus. As disputas pelo poder podem esperar, e a cobrança por erros ou atos nada republicanos, acontecerão em momento próprio.

No Fio da Palavra #3

Sexta-feira, sei lá qual dia do isolamento social ao qual me submeti, e esqueci…. Estamos fazendo a nossa parte em favor da saúde de todos, porque se todos juntos nos cuidarmos, todos sairemos desta armadilha do Coronavírus ainda mais fortes. Segue mais um Fio da Palavra:

Todos por Udo
O deputado estadual em exercício pelo PT e ex-prefeito de Joinville, Carlito Merss, tem uma análise interessante sobre a eleição a Prefeito da cidade. “Dos 15, nove são da ala Udo, cinco são BolsoMoros, e tem o Assis”, afirma reforçando o nome colocado por seu partido até aqui.

Adiamento das eleições
Com a crise do Coronavírus tomando todas as atenções da política e da gestão pública, o adiamento das eleições municipais ainda pode acontecer. Aí todos, vereadores e prefeitos, ganhariam pelo menos mais dois anos. Teríamos eleições gerais, de Presidente a Vereador, em 2022.

“Cidade não aguenta”
O presidente do Podemos de Joinville, Cleonir Branco, ainda não acredita que o adiamento eleitoral aconteça. Mais que isso, torce que não ocorra. “Joinville não merece, e não aguenta mais dois anos desse desgoverno. Joinville tem ansiedade por mudar”. Branco é um dos antigos emedebistas que saíram do partido por conta do Prefeito Udo.

Ivandro e vice do DEM
O Podemos joinvilense está firme com o nome do empresário do ramo da construção civil, Ivandro de Souza, para capitanear a candidatura à Prefeitura. O DEM deve indicar o nome do vice de uma lista de três nomes que vai apresentar em breve.

Nomes
Adalto Moreira, presidente do DEM joinvilense está confiante que conseguirá eleger pelo menos três vereadores em outubro. Teria a sua nominata já consolidada com sobras. Entre os nomes, o ex-deputado Patricio Destro.

CoronaCorreria
Não há crise pandêmica que pare os políticos. Até dia 4 de abril filiações, troca-trocas partidários, desistências e aparecimentos de candidatos acontecerão. As articulações andam a milhares de bytes online.

Krelling passa rodo
O deputado Fernando Krelling, nome do MDB e de Udo Döhler à Prefeitura de Joinville, passa o rodo em filiações tirando gente de outros partidos. Busca o seu exército mais forte com nomes de pequenos partidos que não conseguirão formar nominatas. Lista vem do PSDB e vai até o Solidariedade….

Coelho vai
Rodrigo Coelho, deputado federal, tem focado ações em projetos de lei no âmbito de combater o Coronavírus, mas mantém firme a disposição da disputa em Joinville. Sim, pelo PSB. Assim, deve se consolidar como o principal opositor ao candidato do Prefeito.

Sem licitação não…
Está dando o que falar a dispensa de licitação do Governo do Estado para publicidade emergencial devido ao Coronavírus. O deputado estadual João Amin (PP) entrou com ação popular para suspender e cobrar os autores da dispensa, Douglas Borba e seu adjunto na Casa Civil. São R$ 2,5 milhões… Hummmm.

O primeiro ministro percorre o Estado

O secretário da Casa Civil do governo do Estado, Douglas Borba, é o primeiro ministro do governador Carlos Moisés. Ex-vereador de Biguaçu, município da Grande Florianópolis, é o mais poderoso secretário e quem administra as pautas bomba, a relação com o Parlamento, e agora também está viajando o Estado para “integrar” o Governo e suas estruturas administrativas. Douglas Borba cumpre sua missão focado nas eleições de 2022. Não há dúvidas.

Sob o seu comando estão estruturas como a Casa Militar, Articulação Nacional e a Comunicação. Não é pouco. Ele foi um dos poucos que acreditou e esteve ao lado de Carlos Moisés naquela eleição improvável que os colocou no comando da administração estadual em 2018. Lucas Esmeraldino, candidato a senador na mesma chapa e quase eleito, está sumido em sua secretaria. Borba não, está super ativo, mas sem promover muita marola.

De olho em 2022, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, deu início nesta quarta-feira, 4, a uma série de visitas aos 21 Núcleos de Gestão de Convênios (NGCs) do Governo de Santa Catarina que estão espalhados pelo estado. O roteiro começou pelo maior deles, o de Rio do Sul, que atende 28 cidades da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi). Na ocasião, a Casa Civil também realizou o primeiro encontro de integração regional entre os gestores locais da Administração Pública Estadual.

“Com essas visitas queremos estreitar ainda mais os laços com os núcleos, que são o braço do Governo do Estado nos municípios. É por meio deles que chega grande parte das demandas locais e que são firmados convênios que atendem diretamente o cidadão”, reforçou Borba.

Borba conheceu a estrutura do NGC de Rio do Sul, conversou com os servidores e garantiu o pagamento de 54 emendas de 19 parlamentares para Alto Vale. O repasse tem valor total de R$ 10,9 milhões e vai beneficiar pelo menos 22 cidades. “Além disso, reforçamos investimentos já anunciados pelo governador Carlos Moises, como o Centro de Inovação, a continuidade do Projeto Recuperar para melhoria da malha viária e o aporte financeiro da política hospitalar às unidades de Saúde da região”, afirmou.

O núcleo, que integra a Casa Civil por meio da Central de Atendimento aos Municípios (CAM), foi criado após a extinção das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). O coordenador da CAM, Gabriel Arthur Loeff, que acompanha o roteiro, explica que o núcleo é o principal elo entre os municípios e as secretarias setoriais do Governo, dando agilidade nos processos e na execução de contratos. “Tivemos um resultado muito positivo do ano passado até agora, com 156 convênios celebrados por meio do núcleo de Rio de Sul. Isso significa dinheiro direto na conta do município para atender o cidadão”, esclareceu Loeff.

No fim da tarde, o chefe da Casa Civil ainda participou do encontro de integração com gestores estaduais para uma apresentação do balanço anual e das perspectivas do Governo. A iniciativa busca o alinhamento das ações nos diferentes setores do Executivo.

“Foi um momento de aprendizado mútuo, de trazer os servidores ainda mais para perto da gente e, sobretudo, para promover a integração de todas as áreas do Governo. Afinal, somos um só Governo”, explicou Borba. O primeiro ministro sai a campo, vamos ver o resultado disso em breve.