INEP, órgão responsável pelo ENEM, pode ter um catarinense na Presidência

Chico Soares deixou o INEP alegando problemas pessoais
Chico Soares deixou o INEP alegando problemas pessoais

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, pediu demissão do cargo.

O professor entregou o pedido de demissão ontem (29) ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Por meio de nota, o Inep informou que o nome do substituto de Soares só será definido nos próximos dias.

No documento entregue ao ministro, Soares justifica o pedido por “motivos pessoais”. O Inep é responsável pela organização e aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Além de definir e propor parâmetros, critérios e mecanismos para a realização de exames de acesso ao ensino superior, o órgão tem, também entre suas atribuições, a de coordenar o processo de avaliação dos cursos de graduação.

Com sólida formação acadêmica e experiência no tema da avaliação educacional, Chico Soares, como era conhecido, fez esforços para que os dados (resultados das provas) fossem contextualizados de acordo com a renda e as condições sociais dos alunos.

Trouxe informações sobre NSE (Nível Sócioeconômico) e implantou um indicador para minimizar a maquiagem das notas no Enem por Escola, muito utilizado por instituições privadas para publicidade.

Soares possui pós-doutorado em Educação pela University of Michigan Ann Arbor (2002), é mestre em estatística pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (1977) e doutor em Estatística pela University of Wisconsin – Madison (1981). Ele também é professor titular aposentado da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Desgaste
Desde o fim de 2015, Soares enfrenta desgaste com os servidores do Inep, após ter apresentado uma proposta de reestruturação do órgão.

Para a Associação dos Servidores do Inep (Assinep), a mudança “desestruturava e comprometia” as finalidades do instituto. O Inep afirmou que a reforma preservava todas as suas atribuições institucionais.

“O Inep precisa é de mais investimento, mais cargos de gestão para dar conta das atribuições crescentes, funcionamento do Conselho Consultivo com a participação dos servidores, planejamento estratégico, questões até agora sem resposta”, disse a direção do Assinep, que também cobrou mais diálogo do próximo presidente.

Catarinense Alexandre Santos é cotado para assumir o cargo

Catarinense de Joinville (SC), Alexandre Santos pode emplacar presidência do INEP em Brasília
Catarinense de Joinville (SC), Alexandre Santos pode emplacar presidência do INEP em Brasília

O Palavra Livre apurou que entre os nomes cotados para assumir a presidência do instituto estão Alexandre André dos Santos, diretor de Avaliação da Educação Básica, do Inep – que tem o apoio dos servidores – e Reynaldo Fernandes, ex-presidente do órgão. Mercadante disse, em nota, que o nome para substituir o ex-presidente será anunciado nos próximos dias.

Alexandre André dos Santos é atualmente diretor de Avaliação da Educação Básica (DAEB) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

O catarinense Alexandre é um jovem de 40 anos, casado e pai de três filhos, nasceu em Joinville e é servidor público federal concursado no INEP em Brasília.

Em seu currículo acumula a responsabilidade da implementação e coordenação do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, prova e provinha Brasil, avaliação de alfabetização e coordenador do Programa Internacional de Avaliação de Alunos – Pisa.

Além disso, ele tem a experiência em gestão pública que acumula no Ministério desde o ano de 2004. Estudioso, é graduado e mestre em geografia e doutorando em Planejamento e Integração Econômica e Territorial pela Universidade de Leon na Espanha.

Entre 2014 e 2015 deixou o INEP para ser o secretário de Educação do município de Bombinhas (SC), a convite de sua amiga e atual prefeita, Ana Paula, conhecida como Paulinha. O Palavra Livre noticiou à época, leia clicando aqui.

Da redação do Palavra Livre com informações de Agências.

Opinião – Impressões de Brasília 2

Educação de Bombinhas (SC) com novidades: Alexandre Santos, do INEP, assume secretaria da Educação dia 6 de março
Educação de Bombinhas (SC) com novidades: Alexandre Santos, do INEP, (camisa azul ao centro) assume secretaria da Educação

Minhas impressões políticas da viagem que fiz à Brasília continuam aqui, agora com novidades na área da educação catarinense. Confiram:

Venderam mas não conseguem entregar
As articulações brasilianas são tantas que dariam um livro a cada mês. No caso de Santa Catarina, onde a alas do PMDB disputam projetos distintos, uma pela candidatura própria, outra por continuar com Raimundo Colombo (PSD), a agitação é grande. De um lado, contam aliados de Mauro Mariani que lidera corrente pela candidatura própria, LHS e Ideli Salvatti, senador e ministra petista, venderam à Dilma que estava tudo certo para um frentão imbatível: PSD na cabeça de chapa, PMDB de vice, PT ao senado, e tudo certo. Mas não conseguiram entregar a encomenda à Presidenta.

Sem entrega do pedido
Acontece que Ideli perdeu o comando do partido em SC para seu desafeto político, o ex-deputado Claudio Vignatti, e LHS não conseguiu segurar o PMDB de Mariani, que fortaleceu e muito a tese de reconquista do governo em chapa peemedebista. E para piorar, a tese de uma chapa entre Mariani e Vignatti ganha corpo e seria uma montanha no sapato de Colombo (PSD), que teria o PSDB, PP e PSB para tentar renovar o seu mandato. Até março quanto o PMDB deverá realizar prévias ou uma pré-convenção, os nervos estarão à flor da pele em Brasília e Florianópolis.

Muda – muda
Nas movimentações feitas pela presidenta Dilma visando às eleições, muita gente já colocou as barbas de molho. Mais que uma mudança pontual de troca do titular pelo segundo nome na hierarquia, já se vê no horizonte que muita coisa vai mudar em eventual novo governo Dilma. É voz corrente que o ministério Dilma é infinitamente inferior em qualidade técnica e força política do que o time do seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Os atrasos em obras do PAC, a falta de uma boa relação politica com o Congresso e partidos políticos tem irritado demasiadamente a comandante do Planalto. E quem paga a conta são os que tentam falar com miss Dilma. Dureza.

Catarinense deixa o INEP e assume a Educação em Bombinhas
Um catarinense que conquistou Brasília unicamente por seus méritos como pesquisador e intelectual, e que há quase três anos comandava a avaliação da educação básica do Brasil no INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o joinvilense Alexandre André dos Santos, está com mala e cuia prontas para retornar a Santa Catarina, e não é para férias não. Ele foi convidado, aceitou e assume no próximo dia 6 de março a Secretaria da Educação de Bombinhas, município do litoral comandado pela prefeita Ana Paula da Silva.

Currículo invejável
Alexandre é um jovem de 39 anos, servidor público federal concursado no INEP em Brasília. Em seu currículo acumula a responsabilidade da implementação e coordenação do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM, Prova e Provinha Brasil, avaliação de alfabetização e coordenador do Programa Internacional de Avaliação de Alunos – Pisa, isso sem contar, a experiência em gestão pública que acumula no Ministério desde o ano de 2004. É graduado e mestre em geografia e doutorando em Planejamento e Integração Econômica e Territorial pela Universidade de Leon na Espanha. Sob sua coordenação, o ENEM sofreu muito menos criticas. Dilma perde um grande quadro, Santa Catarina ganha muito.

Santos quer pólo de inovação na educação
Entusiasta da educação, e ainda mais apaixonado pelo tema no trabalho que fez durante todos esse tempo país afora, conhecendo índices, gestões, e com ligações fortes com organismos de apoio à educação, Alexandre Santos diz o que pretende fazer em Bombinhas. “Meu objetivo é construir uma proposta participativa educacional que possibilite referencial nacional e inovador”, destaca o futuro secretário. Também explicou que os problemas estão nos municípios e são resolvíveis na base, salientou que construir esse projeto do Brasil inovador passa por cada servidor da educação. “Nós queremos garantir o direito da educação de qualidade para todos os estudantes do ensino municipal”, finalizou ele ao portal da Prefeitura de Bombinhas. Boa sorte a ele.

Por Salvador Neto