XVIII Exame de Ordem – Confira os locais de prova da primeira fase

Os candidatos do XVIII Exame Unificado da Ordem já podem conferir os locais de prova da 1ª fase. O Conselho Federal da OAB divulgou o edital com os locais em que serão realizados os exames no dia 29 de novembro. Acesse aqui os locais de prova.

Também foi disponibilizado o Cartão de Informação dos examinandos, no qual poderão consultar individualmente seus locais de provas, especificando estabelecimento, sala e endereço a que devem se dirigir na data do Exame, bem como o link de consulta individual aos atendimentos especiais deferidos para a realização da prova. O candidato tem acesso ao cartão na página da FGV.

A aprovação no Exame de Ordem é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB como advogado. O Exame de Ordem pode ser prestado por bacharel em Direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada.

Poderão realizá-lo os estudantes de Direito do último ano do curso de graduação em Direito ou dos dois últimos semestres.

Com informações da OAB Nacional

Fundamas, em Joinville (SC), abre matrículas para os cursos em 2016, confira!

Na próxima semana, a partir do dia 24 de novembro, a Fundação Municipal Albano Schmidt (Fundamas), da Prefeitura de Joinville, abre o calendário de matrículas para os cursos de 2016. São oportunidades para quem deseja qualificar-se nas áreas industrial, prestação de serviços, social, informática e têxtil.

Os interessados devem procurar pessoalmente cada centro de ensino da Fundamas levando CPF, RG e comprovante de residência atualizado. Os menores de idade devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis. Os cursos apresentam valores abaixo dos praticados pelo mercado.

As matrículas serão feitas em datas de acordo com cada curso e centro de ensino, para facilitar o atendimento. Portanto, é preciso ficar atento ao calendário:

Fundamas Centro XV

Rua Brigada Lopes, 153 – Glória
Telefone: 3453-2555

– Corte e Costura Industrial e Modelagem (24/11);
– Cursos Interativos de Informática (26/11);
– Inscrições para Processo Seletivo para o Curso de Marcenaria (25/11 a 02/12);
– Modista (24/11);
– Modista Especialização (informações no Centro);
– Pintura em Porcelana (26/11)

Fundamas Cespi

Rua Joinville, 13.500 – Pirabeiraba
Telefone: 3424-1633

– Cursos Interativos de Informática (24/11);
– Corte e Costura (24/11);
– Modelagem (24/11);
– Modista (24/11)

Fundamas Cesavi

Rua Iririú, s/n, – Iririú
Telefone: 3427-1828

– Cursos Interativos de Informática (24/11)

Fundamas Cesita

Rua Monsenhor Gercino, 1.040 – Itaum
Telefone: 3436-0033

– Ajustador Mecânico (25/11);
– AutoCAD e Inventor 3D (26/11);
– Cabeleireiro (24/11);
– Comandos e Acionamentos Elétricos (26/11);
– Cursos Interativos de Informática (27/11);
– Desenho Mecânico em AutoCAD (26/11);
– Eletricista Instalador Residencial, Comercial e Predial (26/11);
– Mecânica Automotiva (Autobox) (25/11);
– Modista (24/11);
– Torneiro Mecânico (25/11)

Fundamas Escola Têxtil

Rua Albano Schmidt, 4.650 – Boa Vista
Telefone: 3434-1616

– Costura Industrial (24/11)

Fundamas Casa Brasil Norte

Rua Joanna Longen Tenfen, s/n, – Jardim Iririú
Telefone: 3467-9147

Fundamas Casa Brasil Sul

Rua Julia Teixeira Delmônego, 120 – João Costa
Telefone: 3466-2436

O período de matrícula da Casa Brasil Norte e Sul será de 15 a 26/02/2016. A relação de cursos ainda será divulgada. Os cursos são gratuitos e dependem da disponibilidade de voluntários para sua oferta. As informações completas estão no site da fundação: www.fundamas.com.br.

Com informações da Ascom/PMJ

Livro “A arte da guerra – desperte o Sun Tzu que existe em você”, será lançado nesta terça (17) em Joinville (SC)

Paulo é coach e co-autor do livro que já é sucesso no Brasil
Paulo é coach e co-autor do livro que já é sucesso no Brasil

Não é nada fácil construir uma carreira profissional exitosa, e ao mesmo tempo manter uma vida pessoal saudável e feliz. Em tempos de crise, as dificuldades se acentuam.

Para enfrentar essas realidades e conquistar o sucesso, vários autores se debruçaram sobre o tema liderança e escreveram o livro “A arte da guerra – desperte o Sun Tzu que existe em você”.

Entre eles está o consultor e coach joinvilense Paulo Rubens Sousa. Paulo Rubens Sousa é professional & self coaching com certificação internacional pela European Coaching Association (ECA), pela Global Coaching Community (GCC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching desde 2011.

Analista Comportamental, Terapeuta Junguiano há mais de 20 anos, Paulo estudou psicologia na PUC/SP, é bioquímico formado pela USP, e também pesquisador de plantas medicinais e aromáticas desde 1987. Nascido em Fortaleza (CE), mora em Joinville (SC) há mais de 15 anos onde mantém o Equilíbrio – Centro de Desenvolvimento Humano (http://www.equilibriocdh.com.br).

Paulo lançará esta obra em Joinville (SC) no próximo dia 17 de novembro (terça-feira) às 19 horas na Estação da Memória (Estação Ferroviária) – rua Leite Ribeiro s/n no bairro Anita Garibaldi.

Ele fará uma pequena palestra sobre o tema. Paulo Rubens, ao lado de outros grandes mestres da atualidade que mostram como utilizar ensinamentos milenares para definir suas metas pessoas e profissionais, traçar estratégias e sair vitorioso das batalhas, compartilha parte de sua experiência de 26 anos na profissão com um artigo intitulado “A maestria como fator estratégico na arte de orquestrar estratégias”.

O livro teve a coordenação de Daniel de Carvalho Luz, Irineu Toledo e Mauricio Sita, tem 360 páginas e foi editado pela Ser Mais Editora. O livro será vendido no local.

O que é e o que faz um coach?
O Coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Pode ser considerado um treinador que assessora o cliente (coachee), levando-o a refletir, chegar a conclusões, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos.

A essência do coaching está em fornecer suporte para uma pessoa mudar da maneira que deseja, assim como auxiliar a seguir a direção desejada. O coach não precisa ser um especialista na área de atuação de seu cliente. O coaching cria consciência, potencializa a escolha e leva à mudança.

Um profissional de Coaching deve ter conhecimentos em comportamento humano, mudança, negócios e principalmente em seu nicho de atuação. Em reuniões que são sessões sejam elas, semanais, quinzenais ou mensais o coach aplica técnicas, ferramentas e um questionamento poderoso para mobilizar seu cliente(coachee) a entrar em ação para atingir suas metas e acelerar os resultados em sua vida. O Coach está focado em liberar o potencial e maximizar a performance dos indivíduos na vida pessoal e profissional.

O que é coaching?
Um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas ciências como a administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência, linguagem ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto, seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro.

Trata-se de um processo que produz mudanças positivas e duradouras em um curto espaço de tempo de forma efetiva e acelerada. Coaching significa tirar um indivíduo de seu estado atual e levá-lo ao estado desejado de forma rápida e satisfatória.

O processo de Coaching é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de aumento da autoconfiança, de quebrar barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo e alcançar suas metas de forma objetiva e, principalmente, assertiva.

Conduzido de maneira confidencial, o processo de Coaching é realizado através das chamadas sessões, onde um profissional chamado Coach tem a função de estimular, apoiar e despertar em seu cliente, também conhecido como coachee, o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que deseja.

Quem é Paulo Rubens de Sousa?
Paulo Rubens de Sousa é Professional & Self Coaching com certificação internacional pela European Coaching Association (ECA), pela Global Coaching Community (GCC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching desde 2011. Analista Comportamental, Terapeuta Junguiano há mais de 20 anos. Estudou Psicologia na PUC/SP. É Bioquímico formado pela USP, pesquisador de plantas medicinais e aromáticas desde 1987. Reiki Master desde 1988. Mora em Joinville há 16 anos onde mantém o Equilíbrio – Centro de Desenvolvimento Humano, promovendo atendimentos, palestras e estudos sobre o tema.

IFSC encerra hoje (9/11) o prazo para inscrições aos cursos técnicos gratuitos da instituição

Hoje, 9 de novembro é a data final das inscrições para o processo seletivo de ingresso nos cursos técnicos e de graduação do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), com início das aulas no primeiro semestre de 2016.

Também há vagas para cursos voltados à educação de jovens e adultos, que recebem inscrições até 18 de novembro. Todos os cursos do IFSC são gratuitos.

Ao todo, estão sendo ofertadas 4.717 vagas em 19 cidades: Araranguá, Caçador, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Garopaba, Gaspar, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages, Palhoça, São Carlos, São José, São Miguel do Oeste, Tubarão, Urupema e Xanxerê.

Na região Norte, são 903 vagas disponíveis em cursos de várias áreas nos câmpus Joinville, Jaraguá do Sul, Geraldo Werninghaus (em Jaraguá do Sul – Rau) e Canoinhas. Veja abaixo quais são os cursos disponíveis em cada um destes câmpus.

A prova de ingresso nos cursos técnicos será realizada no dia 6 de dezembro, de manhã para os cursos técnicos subsequentes e à tarde para os cursos integrados e concomitantes. Já o vestibular para os cursos de graduação está marcado para o dia 29 de novembro.

A taxa de inscrição para os cursos técnicos é de R$ 30,00 e para os cursos de graduação é de R$ 40,00. As inscrições devem ser feitas no Portal do IFSC (www.ifsc.edu.br), onde também estão disponíveis os editais com todas as informações detalhadas sobre o processo seletivo.

Há também computadores disponíveis para inscrição em todos os câmpus do IFSC para candidatos que não possuem acesso à Internet.

Neste processo seletivo, não será realizada prova para alguns cursos. A seleção dos candidatos será feita por meio de sorteio público ou análise socioeconômica. Por esse motivo, esses cursos também não possuem taxa de inscrição.

A lista dos candidatos aprovados em todos os cursos será divulgada no dia 22 de dezembro, a partir das 18h. Mais informações sobre o processo seletivo podem ser encontradas nos editais, disponíveis no Portal do IFSC.

Em caso de dúvidas, o candidato pode entrar em contato com o Departamento de Ingresso do IFSC pelo e-mail ingresso@ifsc.edu.br.

Entenda os tipos de cursos
O IFSC oferece três tipos de cursos técnicos: integrado, concomitante e subsequente. Nos cursos integrados, o aluno cursa o Ensino Médio junto com o técnico no IFSC. Nos cursos concomitantes, o aluno faz o curso técnico no IFSC ao mesmo tempo em que faz o Ensino Médio em outra escola.

E, para os cursos técnicos subsequentes, o aluno deve já ter o Ensino Médio completo e só faz o curso técnico no IFSC.

Os cursos Proeja são voltados para pessoas que não concluíram os estudos em idade regular. Esses cursos são ofertados na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) e integram a educação profissional com a formação básica. Para esses cursos, não há cobrança de taxa de inscrição e nem prova.

Os cursos de graduação também são divididos em três tipos: bacharelado, licenciatura e superiores de tecnologia. Os cursos de bacharelado são cursos mais abrangentes e possibilitam uma área de atuação maior. As licenciaturas são destinadas à formação de professores para atuar na Educação Básica.

Já os cursos superiores de tecnologia, também conhecidos como tecnólogos, são graduações de formação especializada em determinado eixo tecnológico.

Reserva de vaga
O IFSC possui reserva de vaga para candidatos que estudaram em escolas públicas. Do total de vagas ofertadas em cada curso, 50% delas são reservadas para candidatos que estudaram em escola pública.

Dentro desse percentual, há ainda a reserva de vaga para candidatos de baixa renda e para candidatos que se autodeclarem pretos, pardos ou indígenas.

Para se inscrever pelo sistema de cotas para os cursos técnicos é necessário ter cursado todo o Ensino Fundamental em escola pública. Já para se inscrever nos cursos de graduação o candidato deve ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública.

Os candidatos que não se enquadram nessas situações devem, no momento da inscrição, selecionar a opção ampla concorrência. Confira os cursos que estão com inscrições abertas em nos quatro câmpus da região Norte:

Câmpus Joinville
Técnico integrado em Eletroeletrônica – Vespertino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico integrado em Mecânica – Matutino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico concomitante em Eletroeletrônica – Noturno – 36 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico concomitante em Mecânica – Noturno – 32 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Enfermagem – Matutino – 24 vagas – ingresso por meio de prova

Engenharia Elétrica – Noturno – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Superior de tecnologia em Gestão Hospitalar – Vespertino – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Câmpus Jaraguá do Sul
Técnico integrado em Química – Matutino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Malharia – Vespertino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Malharia – Noturno – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Produção e Design de Moda – Noturno – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Vestuário – Matutino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Têxtil (Beneficiamento) – Matutino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Têxtil (Beneficiamento) – Vespertino – 35 vagas – ingresso por meio de prova

Licenciatura em Física – Matutino – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Proeja/Técnico em Vestuário (Certific) – Matutino e Vespertino – 70 vagas – ingresso por meio de sorteio público

Câmpus Geraldo Werninghaus (Jaraguá do Sul – Rau)
Técnico subsequente em Eletrotécnica – Vespertino – 32 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Eletrotécnica – Noturno – 32 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Mecânica – Vespertino – 32 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico subsequente em Mecânica – Noturno – 32 vagas – ingresso por meio de prova

Superior de tecnologia em Fabricação Mecânica – Noturno – 18 vagas – ingresso por meio de prova

Engenharia Elétrica – Matutino – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Câmpus Canoinhas
Técnico integrado em Alimentos – Matutino – 40 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico integrado em Edificações – Matutino – 40 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico concomitante em Manutenção e Suporte em Informática – Vespertino – 40 vagas – ingresso por meio de prova

Técnico concomitante em Agroecologia – Vespertino – 40 vagas – ingresso por sorteio público

Superior de tecnologia em Alimentos – Noturno – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Superior de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – Noturno – 20 vagas – ingresso por meio de prova

Com informações da Ascom/IFSC

IFSC oferece cursos gratuitos do Pronatec

A Secretaria de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (SETEC/MEC) publicou o resultado do processo de pactuação de vagas da Bolsa-Formação do PRONATEC para 2015.

O IFSC teve 3.715 vagas homologadas, das 4.756 solicitados. A maioria dos 74 cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e os dois cursos técnicos aprovados iniciarão as aulas depois do feriado de 7 de setembro.

Do total de vagas disponibilizadas para oferta no IFSC, 580 são para cursos da modalidade Mulheres Mil, que é exclusiva para mulheres em vulnerabilidade social e tem aulas voltadas para cidadania, questões de gênero e geração de renda.

Os interessados nas formações do PRONATEC devem procurar os órgãos demandantes dos cursos em seus municípios, tais como prefeituras, CRAS, Sine, Secretaria de Educação, Sindicatos e outros. É o demandante que realiza a pré-matrícula do cidadão interessado.

Veja quais os cursos previstos para região Norte de Santa Catarina:

Campus Canoinhas
bovinocultor de leite, padeiro, produtor de olerícolas. confeiteiro, costureiro de máquina reta e overloque, técnico em logística, cuidador infantil, língua brasileira de sinais (libras) – intermediário, agricultor familiar, salgadeiro.

Campus Joinville
agente de desenvolvimento cooperativista, assistente de produção cultural, operador de computador, recepcionista, reciclador, técnico em segurança do trabalho, e torneiro mecânico.

Campus Jaraguá do Sul
bombeiro civil, operador de computador e desenhista de moda.

“Meu gênero é feminino. Sou mulher”, fiz primeira coordenadora travesti da SDH

“Não me sinto inserida, me sinto excluída, mesmo ocupando um cargo como eu ocupo”.

Esse é o desabafo de Symmy Larrat, a primeira travesti a ocupar a função de coordenadora-geral de Promoção dos Direitos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

A paraense, de 37 anos, faz parte de uma minoria de trans que conseguiu superar os obstáculos do preconceito para estudar e ocupar um lugar no mercado de trabalho. Até se formar em comunicação social e chegar ao escritório político em Brasília, percorreu um longo caminho. Como a maioria dos homens e mulheres transexuais e travestis, Symmy primeiro teve que se entender, aceitar-se, para só então se assumir.

Em entrevista exclusiva à Agência Brasil, Symmy fala da realidade e das lutas desse grupo que ainda vive à margem da sociedade – a maioria condenada à prostituição, violência e morte precoce.

Homens e mulheres transexuais e as travestis são pessoas que nascem com um sexo biológico, mas se identificam e reconhecem como sendo do outro gênero. “Os transexuais se incomodam com o sexo biológico e almejam a cirurgia”.

As travestis não rejeitam seu sexo biológico. “Entendem que podem assumir o gênero feminino tendo um sexo masculino, e que isso não é conflitante”, explica Symmy. “Meu gênero é feminino e eu sou mulher. A minha genitália não me faz homem”, ressalta.

De família católica e com uma irmã mais velha, ela afirma que desde criança já tinha noção de que não era como a maioria, e os parentes e colegas de escola percebiam. Sempre preferiu as bonecas da irmã aos próprios brinquedos, por exemplo.

“Eu sabia que se falasse como eu me sentia eu seria recriminada ou tratada de forma diferente. Mas eu não tinha nitidez de que eu era uma menina no corpo de um menino, até porque a criança não trata a questão dessa forma.”

Quando chegou à puberdade, teve mais certeza do que queria ser. “Quando eu soube do processo hormonal, eu tentei. Tinha 15, 16 anos. Com o tratamento, as mudanças ficaram notórias”. Foi então que Symmy decidiu contar à mãe como se sentia. Ela não foi aceita e saiu de casa.

Apesar da rejeição, Symmy não foi abandonada. Um tio a aceitou. “Acho que minha família pecou mais por ignorância do que por preconceito motivado pelo ódio”, lembra. A família fez o que podia para tentar “curá-la”. “Fiz um ano de psicanálise e tinha que frequentar aulas de futebol e a Igreja.”

Aceitação
Passar por tudo isso deixou Symmy mais segura, aumentando a certeza de quem era. “Com mais convicção, conversei com a minha mãe e ela me aceitou de volta em casa, dizendo que entendia que eu era gay“, contou.

Era isso que Symmy achava também, não conhecia outras classificações. A mãe pediu que ela não fosse “pintosa”, ou seja, que ela evitasse trejeitos femininos.

“Eu disse que não tinha como”, conta. Então a mãe disse que podia ser feminina, mas não deveria se vestir como mulher. “No princípio aceitei, mas logo comecei a me transvestir para sair à noite, fazer shows. Eu já não queria a imagem masculina e saía à noite para extravasar a minha identidade reprimida.”

Symmy Larrat
No dia a dia, Symmy escondeu sua identidade feminina até terminar o curso na Universidade Federal do Pará.

“Frequentava o gueto do gueto, porque eu não queria que as pessoas que eu conhecia me vissem como travesti, mas, ao mesmo tempo, era muito doloroso para mim ver uma imagem que eu não queria.”

O primeiro passo foi contar a decisão para a mãe. “Chamei ela a um restaurante e contei. Nessa época eu tinha voltado a fazer tratamento hormonal e as pessoas percebiam, mas eu não tinha assumido para ninguém”, conta. “Assumir foi muito libertador, mas tive que ir pra rua.”

Prostituição com diploma no bolso

Nessa época, a travesti buscava uma colocação no mercado de trabalho, mas as portas estavam fechadas. “Era explícito, o tempo todo. Eu andava na rua durante o dia e as pessoas me recriminavam porque achavam que aquele horário não era pra mim, é como se tivesse um toque de recolher para os diferentes”. Ela não conseguiu trabalho. “Tive que me prostituir com o diploma no bolso. Só me restavam as duas opções que eram dadas às trans. Ou eu ia montar um salão – mas nunca tive aptidão – ou ia pra esquina”. Nessa época, Symmy trabalhava como prostituta de madrugada e era voluntária do Centro de Referência LGBT de Belém pela manhã, onde recebia denúncias de homofobias – homofobia, lesbofobia e transfobia – e encaminhava as vítimas para a polícia.

Acolhimento

Por achar que o acolhimento das mulheres e dos homens trans é a única maneira de permitir que se tornem médicos, professores ou tenham qualquer outra profissão, e assim ganhem espaço na sociedade, Symmy diz que uma das suas prioridades na Secretaria de Direitos Humanos é fazer com que os serviços públicos, principalmente escolas e hospitais, entendam as necessidades desse grupo.

Segundo ela, muitos trans não encontram acolhimento, e nesse contexto, a escola sai de cena. “É imenso o número de pessoas trans de 14, 15 anos, na rua, já se drogando, já se prostituindo, vivenciando toda essa mazela”, lamenta. A Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) estima que 90% das travestis e transexuais brasileiras estejam envolvidas com prostituição.

Symmy disse que é prioridade da sua coordenação lutar para que a sociedade brasileira trate essas pessoas de forma igualitária. “Falta esse olhar nos profissionais de todo o serviço público. Isso só muda com o convívio, por isso também é tão importante que as travestis frequentem a escola, para que possam conviver e aprender a se relacionar”. Symmy acredita que essa convivência pode fazer o preconceito diminuir e mudar a forma de tratamento de quem é trans. “Precisamos com urgência transformar as escolas em locais acolhedores. Hoje, quando uma aluna diz que não quer usar o banheiro junto com uma travesti, a escola não sabe como lidar, não sabe o que fazer e tem medo dos pais.”

Transexualidade

Outra pauta prioritária para pessoas trans e que poderia aumentar a expectativa de vida dessa população, estimada em 30 anos, é o acesso ao Processo Transexualizador, que já é um direito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas não está capilarizado nos estados. O processo transexualizador é um conjunto de procedimentos que auxilia travestis e transexuais, como psicoterapia, tratamento hormonal e cirurgias de mudança de sexo para as mulheres transexuais interessadas. “Hoje, pela Portaria 2.803, uma travesti deveria poder chegar a um hospital público e fazer o tratamento. Mas o SUS está lutando para conseguir disseminar hospitais nos estados e municípios] que queiram se credenciar, e é difícil.”

Segundo Symmy, há poucos médicos preparados e interessados em trabalhar com complementação hormonal, etapa importante do processo. “Não é porque a gente conquistou a portaria que o processo está garantido. A dificuldade de acesso ainda é muito grande. Precisamos levar o acesso para todo o Brasil”. Ela sabe, por experiência própria, que isso pode impedir que as travestis façam o tratamento hormonal por conta própria, sem orientação médica. “Eu fiz isso e tive uma overdose, fui parar no hospital.”

Com informações da Ag. Brasil

Cursos Técnicos: Cedup em Joinville (SC) tem quase 950 vagas abertas

Estão abertas até quinta, 18, as matrículas para os cursos técnicos do Centro de Educação Profissional Dario Geraldo Salles (Cedup), em Joinville.

Ao todo são oferecidas 945 vagas para dez especializações. A matrícula ocorre por ordem de chegada, é necessário ensino médio completo ou estar cursando o terceiro ano.

Para se matricular o interessado deve comparecer ao Cedup das 8h às 11h ou das 14h30 às 21h30. Documentos necessários e mais informações podem ser obtidas pelo endereço www.cedup.com.br ou pelo telefone (47) 3025-5001. As aulas iniciam dia 4 de agosto.

“Não haverá teste classificatório para ingresso nos cursos, os candidatos que se enquadram no pré-requisito podem fazer a matrícula direto”, afirma o diretor-geral do Cedup, Oscar do Amaral Maia.

Atualmente são oferecidos os cursos técnicos de: administração, contabilidade, eletroeletrônica, eletromecânica, fabricação mecânica, logística, marketing, mecânica, qualidade, segurança do trabalho.

O quê: matrículas para cursos técnicos Cedup
Quando: até 18 de junho
Horário: das 8h às 11h e 14h30 às 21h30
Onde: Rua Monsenhor Gercino, 2.071, Itaum – Joinville

Com informações de Mélani Schmidt – Ascom SDR

Concurso público da Udesc aceita inscrições para 65 vagas de professor efetivo até sexta-feira (12)

Até sexta-feira, 12, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) receberá inscrições do Concurso Público nº 01/2015, que tem 65 vagas de professor efetivo, com regime de trabalho de 40 horas – inicialmente eram 66 vagas, mas uma delas, na área de Ciência Social Aplicada, foi excluída depois.

Há oportunidades para várias áreas do conhecimento em Balneário Camboriú, Chapecó, Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages, Laguna e Pinhalzinho.

Para se inscrever, os interessados devem ir aos centros de ensino, enviar procurador legalmente constituído ou mandar os documentos via Sedex e pagar taxa de R$ 100.

Os endereços, os horários de atendimento e os requisitos estão no edital. As provas de conhecimento e as avaliações de títulos têm dois cronogramas, com períodos entre 13 e 17 de julho e 20 e 24 de julho, que foram definidos com base nas áreas de conhecimento com vagas.

A remuneração para o regime de trabalho de 40 horas é de R$ 6.114,52 para os candidatos com mestrado e de R$ 7.949,57 para aqueles com doutorado.

Além disso, os professores contratados receberão auxílio-alimentação de R$ 19,50 por dia útil trabalhado. Mais informações podem ser obtidas com as direções de Ensino dos centros, cujos contatos estão disponíveis no edital.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Udesc

Lei das Domésticas – Dilma sanciona com vetos a nova lei

A presidenta Dilma Rousseff sancionou com vetos o projeto de lei que regulamenta o trabalho das empregadas domésticas. A lei está publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (2).

O primeiro veto refere-se à possibilidade de estender o regime de horas previsto na lei, de 12 horas trabalhadas por 36 de descanso, para os trabalhadores de outras categorias, como os vigilantes. A presidenta vetou esse parágrafo por entender que se trata de matéria estranha ao objeto do projeto de lei e com características distintas.

O segundo veto trata de uma das razões para demissão por justa causa, a de violação de fato ou circunstância íntima do empregador ou da família. A presidenta entendeu que esse inciso é amplo e impreciso e daria margem à fraudes, além de trazer insegurança para o trabalhador doméstico.

A lei estabelece uma série de garantias aos empregados domésticos. Além do recolhimento previdenciário, a nova legislação para a categoria prevê o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A regulamentação, no entanto, ainda será feita pelo Conselho Curador do FGTS e pelo agente operador do fundo.

O empregador doméstico somente passará a ter obrigação de promover a inscrição e de efetuar os recolhimentos referentes ao FGTS de seu empregado após a regulamentação da lei.

No caso de demissão, o aviso prévio será concedido na proporção de 30 dias ao empregado que conte com até um ano de serviço para o mesmo empregador. Ao aviso prévio devido ao empregado serão acrescidos três dias por ano de serviço prestado para o mesmo empregador, até o máximo de 60 dias, perfazendo um total de até 90 dias.

A falta de aviso prévio por parte do empregador dá ao empregado o direito aos salários correspondentes ao prazo do aviso, garantida sempre a integração desse período ao seu tempo de serviço.

No caso do empregado descumprir o aviso prévio, o empregador terá o direito de descontar os salários correspondentes ao prazo respectivo. O valor das horas extraordinárias habituais integra o aviso prévio indenizado.

Com informações da Ag. Brasil

Qualificação Profissional: Fundamas abre em junho as matrículas para o segundo semestre

A Fundação Municipal Albano Schmidt (Fundamas) abre no dia 9 de junho o período de matrículas para os cursos oferecidos pelos Centros Educacionais no segundo semestre de 2015. O atendimento começa às 8 horas, na secretaria de cada centro.

Com o objetivo de atender melhor o público, a Fundamas dividiu os dias para matrícula (confira abaixo). Os interessados devem ficar atentos às datas. Há cursos com matrículas abertas somente em julho.

Para a matrícula, são necessários os seguintes documentos: RG, CPF e comprovante de residência. Os cursos têm valores acessíveis e abaixo das práticas de mercado. Na Casa Brasil Norte e Sul, são gratuitos. Confira relação de cursos e datas para matrículas AQUI.

Com informações da Prefeitura de Joinville (SC)