Cultura – Alesc começa a analisar a MP de Apoio à Cultura na pandemia

Já está tramitando na Assembleia Legislativa desde a quinta-feira (20) passada a Medida Provisória (MP) 229/2020, editada na semana passada pelo Poder Executivo para conceder auxílio financeiro ao setor cultural do estado. Conforme o Regimento Interno da Alesc, os deputados têm até 15 de outubro para analisar a matéria e transformá-la em lei.

A MP foi editada pelo governo no dia 13 de agosto e publicada na última segunda-feira (17) no Diário Oficial do Estado (DOE). Ela dispõe sobre a destinação de R$ 4 milhões em caráter emergencial aos trabalhadores e às pessoas jurídicas do setor cultural catarinense, com o objetivo de mitigar os prejuízos econômicos causados pelas medidas de isolamento e distanciamento social, que inviabilizam desde março as atividades do setor.

Na justificativa da matéria, a presidente da Fundação Cultural Catarinense (FCC), Ana Lucia Coutinho, explica que 6% da população do estado dependia diretamente do setor cultural. Um levantamento do Conselho Estadual de Cultura, conforme a dirigente, apontou que, apenas de fevereiro a maio, 15 mil atividades culturais foram canceladas ou adiadas, o que resultou num prejuízo de R$ 112 milhões.

Ana Lucia lembrou que o setor cultural também é importante para movimentar outros segmentos da economia. Ela cita estudo da FGV Projetos, o qual revela que a cada um real investido em eventos culturais há um retorno de R$ 13 para a economia local, em virtude do “efeito cascata dos gastos efetuados pelos frequentadores e consumidores.”

Condições
O auxílio financeiro ao setor será pago durante o período em que perdurar o estado de calamidade pública devido à pandemia da Covid-19. Ao todo, serão destinados R$ 4 milhões para o auxílio, sendo que desse montante R$ 2 milhões vieram de doação da Assembleia Legislativa.

Poderão ser beneficiados trabalhos apresentados por artistas, profissionais e fazedores de cultura das artes visuais, artes circenses, audiovisual, cultura popular e diversidade cultural, dança, literatura, música e teatro.

Quem requisitar o auxílio deverá comprovar atuação no setor cultural entre 1 de janeiro de 2019 e 17 de agosto deste ano, data da publicação da MP. Além disso, o requerente tem que apresentar inscrição homologada em pelo menos um dos seguintes cadastros: Mapa Cultural SC, Cadastro Nacional de Empreendimentos Econômicos Solidários (Cadsol), Cadastro Nacional de Pontos e Pontões de Cultura ou Sistema Estadual de Museus de Santa Catarina (SEM-SC).

A MP estabelece, ainda, que os critérios para a destinação dos recursos serão definidos em edital de chamamento público gerido e executado pela FCC. Os valores que serão pagos variam de R$ 500 a R$ 3 mil, conforme a modalidade à qual o trabalho for inscrito.

Tramitação
Na Alesc, a MP 229/2020 terá sua admissibilidade apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caso ela seja admitida pela comissão e em plenário, será transformada em projeto de lei (PL) e apreciada pelas comissões de mérito, antes de ser novamente votada em plenário.

Cultura – Governo de SC edita MP que garante auxílio financeiro ao setor

O setor cultural catarinense receberá auxílio emergencial para diminuir os prejuízos econômicos decorrentes da pandemia de coronavírus. A Medida Provisória 229, que estabelece o benefício, foi editada pelo governador Carlos Moisés e publicada nesta segunda-feira, 17, no Diário Oficial do Estado (DOE).

“O Governo do Estado está sensibilizado com o momento crítico que a categoria enfrenta e acredita que essa medida ajudará a mitigar os efeitos econômicos negativos do setor”, declarou o governador.

Os recursos que vão garantir os repasses são de transferências orçamentárias fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda e da Casa Civil à Fundação Catarinense de Cultura (FCC). No total, serão destinados R$ 4 milhões para pagamento dos benefícios, dos quais R$ 2 milhões são de devolução do Duodécimo pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

“Fizemos um esforço conjunto para conseguir alcançar esses valores ao setor cultural, e acreditamos que será de extrema importância para muitos trabalhadores e empresas no Estado”, reforçou o chefe da Casa Civil em exercício, Juliano Chiodelli.

A Medida Provisória estabelece que os valores serão destinados para remuneração de trabalhos realizados por profissionais e pessoas jurídicas residentes em Santa Catarina, com comprovada atuação no setor cultural entre 1º de janeiro de 2019 e a data de publicação desta MP.

Os critérios para escolha dos trabalhos e dos candidatos serão definidos em edital de chamamento público, que será executado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

“Esta Medida Provisória é importante para dar garantia jurídicas ao auxílio emergencial, viabilizado pelo Governo do Estado e pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), que vai contribuir com os trabalhadores e fazedores da cultura, tão abalados pelo pandemia da Covid-19. Na elaboração da MP, a FCC contou com a parceria da Casa Civil e dos órgãos controladores do Estado”, declarou a presidente da FCC, Ana Lúcia Coutinho.

Para participar do edital é preciso que o profissional ou empresa comprove apresentação de inscrição homologada em pelo menos um dos cadastros: no Mapa Cultural SC, no Cadastro Nacional de Empreendimentos Econômicos (Cadsol), no Cadastro de Pontos e Pontões de Cultura ou no Sistema Estadual de Museus de Santa Catarina. O pagamento dos trabalhos vai variar entre R$ 500 e R$ 3 mil, dependendo da modalidade.

Prêmio Elisabete Anderle – FCC abre inscrições

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abriu as inscrições para o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2020. Nesta edição, o valor total é de R$ 5,6 milhões e serão contemplados 215 projetos culturais para proponentes de todas as regiões de Santa Catarina. Mais uma vez a premiação está dividida em três editais: Patrimônio e Paisagem Cultural, Artes Populares e Artes.

As inscrições são gratuitas e totalmente digitais, sem necessidade de impressão em papel ou custos com correios. A plataforma para inscrições é intuitiva e de fácil navegação. Os projetos poderão ser enviados até 23h59 do dia 16 de agosto de 2020.

:: Clique aqui para acessar a plataforma de inscrições

Os prêmios serão divididos entre as seis mesorregiões de Santa Catarina, assim, projetos de todas as regiões terão as mesmas oportunidades de ser contemplados.

Conheça as categorias

Patrimônio e Paisagem Cultural, com 61 prêmios nas seguintes categorias:

– Patrimônio Material

– Patrimônio Imaterial

– Museus

– Bibliotecas Públicas

Artes Populares, com 64 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Circenses

– Culturas Populares e Diversidades

– Culturas Negras e Afro-Brasileiras

– Culturas dos Povos Indígenas

Artes, com 90 prêmios, nas seguintes categorias:

– Artes Visuais

– Dança

– Música

– Teatro

– Letras: Livro, Leitura e Literatura

Para tirar dúvidas

As dúvidas sobre o Prêmio Elisabete Anderle 2020 serão respondidas somente pelo Portal de Compras do Governo do Estado de Santa Catarina ou durante as apresentações virtuais do edital que serão realizadas ao longo do mês de julho. Serão disponibilizados ainda tutoriais com detalhamento do processo de inscrição e sobre o envio de dúvidas.

É importante ressaltar que para participar do Prêmio Elisabete Anderle 2020 é necessário fazer inscrição no Mapa Cultural de Santa Catarina, disponível no link http://mapacultural.sc.gov.br.

Apoio aos artistas – Auxílio Emergencial a artistas vira lei

Foi publicada na edição desta terça-feira (30) do Diário Oficial da União a nova lei que estabelece auxílio emergencial para artistas. O texto, chamado pelos parlamentares de Lei Aldir Blanc, em homenagem ao artista falecido em decorrência da covid-19, prevê a destinação de R$ 3 bilhões para o setor cultural. O dinheiro deverá ser repassado pela União, em parcela única, para estados e municípios. Veja a íntegra da Lei 14.017/2020.

O objetivo da iniciativa, apresentada pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ), é ajudar profissionais da área e espaços que organizam manifestações artísticas que foram obrigados a suspender suas atividades por causa da pandemia. O texto prevê o pagamento de três parcelas de R$ 600 para os artistas informais. Estima-se que o setor emprega, em todo o país, mais de 5 milhões de pessoas.

Os artistas poderão usar o dinheiro “como subsídio mensal para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições organizações culturais comunitárias”.

A lei também permite o uso do recurso em editais, chamadas públicas; prêmios; compra de bens e serviços vinculados ao setor cultural; instrumentos destinados à manutenção de agentes, de espaços, de iniciativas, de cursos, de produções, de desenvolvimento de atividades de economia criativa e de economia solidária, de produções audiovisuais, de manifestações culturais, bem como para a realização de atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet ou disponibilizadas por meio de redes sociais e outras plataformas digitais.

Palavra Poesia – Vidas Negras Importam

O Palavra Livre é também arte e cultura em todas as suas formas, especialmente a literatura a qual o editor é um aficcionado e produtor de textos. Tempos terríveis e uma imensa tristeza e tragédia com a morte de negros unicamente por serem negros… trouxe a tona a veia poética de um jovem autor que já tem uma poesia publicada aqui neste espaço. Edmundo Steffen nos brinda com outra construção simbólica da dor que sentimos como humanos de fato, carne, osso, pele, sangue…

Sensibilizar a si mesmo é uma tarefa que exige um mergulho profundo no sentimento que nos faz o que somos, gente. Aproveitem a viagem com o autor:

“Vidas Negras Importam”- Autor: Edmundo Alberto Steffen

Vidas Negras Importam
Mas não só essa semana
É um grito que corre nas ruas
Mas das periferias emana

Eles estão cansados de morrer
Porque a pele transforma em alvo
E como diria Leandro Karnal
Eu branco, já nasci salvo!

Não morro pela minha cor
Não levo 80 tiros de aviso
Um Estado que se preocupa em matar
Porque periferia viva, dá mais prejuízo

Toda vida importa? Concordo
Mas nunca vi branco morrer pela cor
A luta antirracista é de todos nós
Por isso vou parar para compor

A cada 23 minutos morre um jovem negro
O que você pensaria se fosse da sua família?
O Estado age sem piedade
E mais corpos empilha

Jenifer, Kauã, Ágatha e João Pedro
Esses foram os que ganharam visibilidade
Mais quantos ainda vão morrer?
Sem nem ao menos oportunidade

Quantos cientistas, artistas e pensadores
Dos quais não poderão existir
Quantas famílias cheia de dores
Que orgulho não poderão sentir

Vidas são cerceadas
Na Necropolítica do Estado
Que decide quem vive e quem morre
Mas é sempre do mesmo lado

Nas favelas, entram nas casas sem mandado
Nos condomínios, pedem licença
Até quando são mandados

Mais uma vida que foi tirada
Em prol da segurança do Brasil
Mortes banalizadas
Confundiram guarda-chuva com fuzil

Você que acha vitimismo todo esse discurso
Procure se informar e sair da bolha
Pois nascer sem informação, tudo bem
Mas continuar sem, é uma escolha!

  • Edmundo Alberto Steffen nasceu em Joinville-SC, no dia 13 de outubro de 1997, cursou Ensino Fundamental na rede municipal de ensino da mesma cidade, Ensino Médio no Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari e atualmente é estudante de Filosofia da PUCPR em Curitiba. Autor do livro “Poesias aos Ventos”, escreve poesias, textos e análises sobre cinema e literatura em seu Instagram “ @edmundo.steffen “ .

Fundação Cultural de Joinville (SC) seleciona músicos para a Orquestra Municipal

PalavraLivre-musicos-selecao-orquestra-joinvilleA Fundação Cultural de Joinville (FCJ) abriu o processo de seleção de 38 músicos bolsistas que irão compor a Orquestra Cidade de Joinville (OCJ).

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o próximo dia 8 de julho, das 8 às 14 h, no setor de Licitação da FCJ – Avenida José Vieira, 315, América. O edital com maiores informações, documentação necessária e anexos está disponível no site da Fundação Cultural.

Destes 38 músicos bolsistas que serão selecionados, um atuará como spalla (corresponsável com o maestro pela condução da orquestra ), 12 como chefes de naipe (músicos líderes e responsáveis por naipes/seções ) e 25 como músicos instrumentistas e/ou instrumentistas oficineiros. O resultado da seleção deve ser divulgado no dia 26 de julho, no site da Fundação Cultural de Joinville.

Sobre a Orquestra Cidade de Joinville
A Orquestra Cidade de Joinville iniciou suas atividades em 2014 e é a única orquestra púbica do Estado de Santa Catarina. Tem por objetivo desenvolver intensa atividade musical em prol do crescimento cultural de Joinville e região, além de ajudar a formar músicos profissionais de alta qualidade.

Atualmente, a Orquestra é dirigida pelo maestro Martinho Lutero Klemann. Desde a sua criação, o grupo, que tem repertório que transita entre o erudito e o popular, realizou concertos gratuitos como o de Natal, o da Homenagem aos Imigrantes de Joinville e o do Dia Mundial do Rock, além dos concertos de sua temporada oficial e dos concertos itinerantes nos bairros da cidade.

Com informações da FCJ

“Sábado na Estação” tem mais uma edição neste sábado (21/5) em Joinville (SC)

PalavraLivre-arte-lazer-estacao-da-memoriaA Estação da Memória de Joinville recebe neste sábado (21), das 9 às 16 h, mais uma edição do “Sábado na Estação”. Quem passar pelo local irá conferir inúmeras opções de artesanato, brechó, gastronomia e atrações musicais.

Às 11 horas, bandas da Escola de Música Arte Maior sobem ao palco do evento. No repertório, clássicos do pop e rock nacional e internacional. Há 14 anos, a Arte Maior realiza um festival de bandas que mobiliza dezenas de alunos e atrai grande público. Já às ​​13h15, haverá um aulão de zumba, que será conduzido por profissionais da Academia Coach.

Na sequência, às 14h30, é a vez da Banda Bendiga se apresentar no ‘Sábado na Estação’. Há quatro anos, a Bendiga busca a mistura ideal entre o rock, o reggae e o rap. O grupo lançou seu primeiro CD em 2015.

Levando nas letras uma mensagem positiva, a banda procura levar ao público algo além do entretenimento, mas sim uma forma de pensar no cotidiano que seja construtiva e positiva. A Bendiga é envolvida em uma série de ações sociais.

O ‘Sábado na Estação’ é promovido pela Fundação Cultural de Joinville, no terceiro sábado de cada mês. O evento é aberto ao público.

Serviço
O quê: Sábado na Estação

Quando: sábado (21), das 9 às 16 h

Onde: Estação da Memória – Rua Bento Ribeiro, s/n, Anita Garibaldi

Aberto ao público

Com informações da AI da Fundação Cultural de Joinville

Dia do Samba – Não deixe o samba morrer…

“Deixo ao sambista mais novo o meu pedido final: não deixe o samba morrer”. O clássico de Edson Conceição e Aluísio que ficou eternizado na voz da cantora Alcione traz um sambista que “entrega o seu anel de bamba” a quem o mereça usar.

A partir dessa imagem, perguntamos a grandes nomes do samba brasileiro quem são os artistas da nova geração que mantêm o samba vivo.

Zeca Pagodinho não conseguiu escolher nenhum nome, mas justificou o porquê: “Tem muita gente boa por aí”. Nelson Sargento, sambista da Velha Guarda da Mangueira, concorda e é categórico:

“No nosso país, em todas as esquinas têm um grande compositor, o importante é achá-los”. Monarco, da Velha Guarda da Portela, também se mostrou confiante com o futuro do samba:

“acho que estamos seguros com esta nova geração. Quando a gente chegou, a velha geração nos ajudou. Agora é a vez de a gente ajudar eles”.

Veja nas fotos fotos a seguir e confira quem são os novos sambistas que “não deixam o samba acabar”. E para saber mais sobre eles, entre na matéria original clicando aqui.

 

Monarco

Martinho da Vila

Elza Soares

Beth Carvalho

Ney Lopes

Nelson Sargento

Leci Brandão

Moacyr Luz

Tantinho da Mangueira

Arlindo Cruz

Expediente:
Produção: Marília Arrigoni, Davi de Castro, Patrícia Serrão
Edição: Ana Elisa Santana e Anderson Falcão
Design e implementação: Marcelo Nogueira

Concertos Matinais em Joinville (SC) apresenta Sarau Trio no domingo (18/10)

Músicos se apresentam no domingo (18) em Joinville (SC).
Músicos se apresentam no domingo (18) em Joinville (SC).

O Sarau Trio é a atração deste domingo (18) em Joinville do projeto ‘Concertos Matinais’. A apresentação irá ocorrer a partir das 10h30, na Sociedade Cultural Lírica (rua Max Colin). A entrada é gratuita.

Marcado por ritmos brasileiros como o choro e o maxixe, o trio, composto por Marisa Toledo (piano), Cláudio Moraes (saxofone e flauta transversa) e Rafael Vieira (percussão) segue pelo Brasil afora com a mesma sintonia e o mesmo propósito — um show permeado por comentários sobre os autores, as obras e o contexto histórico em que foi composto.

São 50 minutos de boa música e bom papo, fazendo com que a plateia e músicos se sintam em casa. “Queremos estimular a apreciação da música instrumental, contribuindo para a formação de plateia”, destaca a pianista Marisa Toledo.

Serviço
O quê: Concertos Matinais – Sarau Trio
Quando: domingo, 18 de outubro, às 10h30
Onde: Sociedade Cultural Lírica – rua Max Colin, 1483, América
Quanto: gratuito

Com informações da FCJ e Secom/PMJ

Começa nesta sexta-feira (11) a 37a. Festa da Colheita em Pirabeiraba, distrito de Joinville (SC)

A comunidade de Pirabeiraba prepara uma série de atrações para a 37ª edição da Festa da Colheita, que ocorre dias 11, 12 e 13 de setembro, neste final de semana, na Sociedade Dona Francisca.

Na programação, competições de tiro, apresentações culturais, concurso de rainha, desfile de agricultores, tarde-dançante e as delícias da gastronomia colonial.

A ‘Erntenfest’, festa da colheita no dialeto alemão, já é tradicional no meio rural de Joinville. Segundo Hilda Schulze, uma das organizadoras do evento, a previsão é de casa cheia nos três dias de comemoração. “Esperamos que o público venha prestigiar e conhecer um pouco das nossas tradições”, comentou.

Na sexta-feira (11), a programação prevê competição de tiro ao alvo seta, jantar típico com Schwartzauer (sopa preta) e animação com o musical Liriane e Rodrigo (zwei Lustige Musidanten), de Ibirama (SC). O jantar custa R$ 15 e ingresso para o baile é livre.

Sábado a festa retoma a partir das 21h30, com o concurso à rainha, princesas e miss simpatia. Na sequência, apresentação do grupo folclórico Windmühle e o baile com o musical Corpo e Alma, do Rio Grande do Sul.

Às 10 horas de domingo, o ponto alto da festa, com o desfile de agricultores e seus carros alegóricos, alunos da Escola Municipal Germano Lenschow, atiradores da Sociedade Dona Francisca, musical Estrela de Outro, grupos folclóricos e rainha e princesas da festa. A passeata ocorre na rua Dona Francisca, que ficar fechada para a comemoração.

O almoço colonial será servido a partir das 11h30. No cardápio, cinco tipos de carne, saladas e demais acompanhamentos. O preço individual é de R$ 28. No período da tarde a festa prossegue com o musical Estrela de Ouro, de Jaraguá do Sul (entrada livre).

Na tradição da festa, no final do dia, às 18 horas, será realizada a colheita dos produtos doados pela comunidade e expostos no salão. Mais informações com Hilda Schulze, fone (47) 3428-0271.