Livro resgata a história dos 50 anos da Udesc Joinville

palavralivre-livro-udesc-joinvilleNa Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville se formaram mais de cinco mil engenheiros. Quando surgiu, na década de 60, com o nome de Faculdade de Engenharia de Joinville (FEJ), era distante o planejamento se de tornar o maior centro de ensino superior estadual.

A história da implantação da faculdade e a consolidação como centro universitário é contada no livro “Udesc Joinville 50 anos: uma trajetória de sucesso no ensino público superior de Santa Catarina”. A obra com 286 páginas e arquivo de imagens foi lançada na última terça-feira, 8.

A secretária executiva da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Joinville, Simone Schramm, participou da solenidade na sede da Associação dos Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc), juntamente com o reitor em exercício, Leandro Zvirtes, e diretor do campus Joinville, José Fernando Fragalli.

“A Udesc é motivo de orgulho para a nossa cidade porque contribuiu para o desenvolvimento de toda Santa Catarina e, principalmente, porque transformou a vida das pessoas”, disse Simone.

Na publicação, organizada pela professora Jurema Iara Reis Belli e pelos técnicos Marilena Manske e Sergio Sestrem, há registros dos bastidores da criação da universidade.

“Em 1956, a cidade se destacava como principal pólo industrial e no mesmo ano uma comissão era criada para tratar da instalação da faculdade de engenharia no Município, junto ao governo estadual”. Mas efetivação só teve êxito anos mais tarde quando um grupo liderado pelo dom Gregório Warmeling teve êxito nas negociações com o governador Celso Ramos.

Nascida para contribuir com a formação de engenheiros, atualmente oferece gratuitamente nove cursos de graduação, dez mestrados, dois doutorados e 11 de pós-graduação.

A Udesc é a primeira universidade pública a expandir pelo interior e é considerada a sétima melhor no Brasil. Localizada em uma área de 67 mil metros quadrados, está sendo expandida com a construção de mais um bloco.

O novo prédio de seis andares e 7,5 mil metros quadrados, denominado de bloco I tem investimento de R$ 12.333.056,60 milhões. A estrutura vai agregar ensino, pesquisa e área de vivência. Um andar será dedicado à biblioteca juntamente com um mezanino. Um pavimento será destinado ao auditório para 200 pessoas. Nos outros quatro andares, haverá laboratórios, salas de aula e pesquisa.

Literatura – 9a. edição do Concurso Conto e Poesia do Sinergia tem inscrições abertas

 

nono-poesia-01-cartaz-002-1-aSegue até 09 de dezembro, as inscrições para a 9ª edição do Concurso Literário Conto e Poesia. De abrangência estadual, é aberto a todos os catarinenses residentes ou não no estado de SC, e não catarinenses residentes no estado.

Os participantes poderão apresentar até 3 textos inéditos (não publicados em livro) em cada gênero. Os contos não deverão exceder a seis páginas, e as poesias a três páginas.

A temática do concurso é livre e a premiação aos autores classificados é a publicação dos trabalhos em livro, além de 15 exemplares do mesmo.

A obra, contendo 15 contos e 30 poesias, é enviada para todas as bibliotecas públicas do Estado de Santa Catarina, entidades culturais do estado e do país. Para acessar o regulamento e ficha de inscrição: http://www.sinergia.org.br/paginas/noticia/65.

Em 1992 o Sindicato dos Eletricitários de Florianópolis – Sinergia lançava a primeira edição do concurso, com o objetivo de incentivar e dar acesso à escrita e leitura, além de ser uma ferramenta de diálogo do sindicato com a sociedade.

Vários dos classificados no concurso, nas oito edições anteriores, atuam hoje na área da literatura, produzindo e publicando em outros espaços.

O Concurso Literário Conto e Poesia é uma referência para o público e produtores da literatura catarinense, e tem sido um espaço de experiência e afirmação da qualidade dos escritores selecionados.

A comissão selecionadora é formada por escritores residentes em Santa Catarina. Já participaram Eglê Malheiros, Alcides Buss, Leonor Scliar-Cabral, Fábio Brüggemann, Regina Carvalho, Dennis Radünz, Raquel Stolf, Sérgio da Costa Ramos, Simone Schmidt, Carlos Damião, Tânia Ramos, o saudoso Salim Miguel, entre outros.

Com informações do Sinergia

Joinville (SC) sediará o IV Encontro Catarinense de Escritores nos dias 18 e 19 de novembro

palavralivre-encontro-catarinense-de-escritores-2016Nos dias 18 e 19 de novembro o IV Encontro Catarinense de Escritores, promovido pela Associação das Letras, vai movimentar a literatura catarinense.

O evento será realizado no Teatro Juarez Machado e terá, além de palestras e rodas de conversas com escritores, apresentações artísticas e culturais.

Para conhecer a programação e fazer sua inscrição (acesse aqui), ou acesse o site da Associação das Letras – www.associacaodasletras.com.br,  para saber mais novidades.

palavralivre-programacao-encontro-catarinense-escritores-joinville-2016

 

Com a Palavra, Salvador Neto – Edição #2 – Distância e saudade

palavralivre-poema-distancia-saudade-salvador-neto-jornalista-escritorNeste retorno à edição do Palavra Livre, vamos escrevendo e publicando textos guardados em outras gavetas, outras memórias. Eis aqui uma poesia de minha autoria feita há dois anos. Talvez possa virar música, se algum compositor tiver a vontade de…

Leiam, curtam, comentem e claro, compartilhem! Ah, e se tiver algum que você escreveu, mande que publicamos aqui, mande já!!

Distância e saudade

Sinto falta dos acordes do violão
Do tan tan do bongô
Das artes e transformações
Dos teatros, vídeos, das vozes

Sinto falta dos desenhos
Caricaturas de gente esquisita
Quase fotografias criadas por mãos especiais
Sinto falta dos cabelos crespos, ondulados e lisos

Pensando na rota do bumerangue
Lancei amor, paixão, torci e estive ali, lado a lado
Na volta, recebi algo não esperado

Sinto falta do que dei e não recebi
Sinto falta dos chutes e treinos
Das corridas nos campos
De ver os jogos e torcer
Até ver as medalhas, com suor no rosto

Sinto falta de cantar junto
Desafinar, mas cantar
Sinto a falta de ver, e ver crescer
E fico somente a imaginar

Sinto falta das crianças que foram
E que hoje não mais são
Sinto muito, mas não perco a esperança
De acabar com a distância, e matar a saudade

Sinto falta dos acordes do violão
Do tan tan do bongô
Das vozes juntas, dos carinhos
Dos teatros, dos vídeos, das vozes
Do bater dos corações

Sinto falta, mas continuo mandando
Amor e sonhos,
Desejos de vitórias
Com o mesmo bumerangue
Esperando na volta
O fim da falta, o fim da distância

Por Salvador Neto, jornalista e editor do Palavra Livre, escrito em 10 de outubro 2014

Bob Dylan leva o Prêmio Nobel de Literatura

palavralivre-premio-nobel-dylanO prêmio Nobel de Literatura 2016 foi atribuído a Bob Dylan, por ter criado novas formas de expressão poéticas no quadro da grande tradição da música americana, anunciou hoje (13) a Academia Sueca.

Bob Dylan  é o nome artístico de Robert Allen Zimmerman, nascido em 24 de maio de 1941 – compositor, cantor, pintor, ator e escritor norte-americano.

Nascido no estado de Minnesota, neto de imigrantes judeus russos, aos 10 anos Dylan escreveu seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho.

Começou cantando em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly, mas quando foi para a Universidade de Minnesota em 1959, voltou-se para a folk music, impressionado com a obra musical do lendário cantor folk Woody Guthrie, a quem foi visitar em Nova York em 1961.

Em 2004, foi eleito pela revista Rolling Stone o sétimo maior cantor de todos os tempos e, pela mesma revista, o segundo melhor artista da música de todos os tempos, ficando atrás somente dos Beatles.

Uma de suas principais canções, Like a Rolling Stones, foi escolhida como uma das melhores de todos os tempos. Em 2012, Dylan foi condecorado com a Medalha da Liberdade pelo presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

*Com informações da Agência Lusa

Manifestantes protestam contra a extinção do Ministério da Cultura e demissão na EBC

PalavraLivre-extincao-ministerio-cultura-temer-pmdbDezenas de artistas, produtores e agentes do setor cultural realizaram, nesta terça-feira, um concerto ao ar livre em protesto contra a extinção do MinC e a demissão do presidente da EBC, jornalista Ricardo Melo. O ato aconteceu no Palácio Capanema, no Centro do Rio.

Na véspera, a sede do Ministério da Cultura e da Fundação Nacional de Artes (Funarte), na Avenida Graça Aranha, Centro, foi ocupada por centenas de manifestantes contrários à extinção da pasta e ao governo do presidente Michel Temer.

Nesta terça-feira, o protesto aumentou, após a demissão de Melo. O cargo que ocupava é eletivo, com mandato de quatro anos, dos quais o executivo, nomeado pela presidenta Dilma Rousseff, exerceu por apenas 11 meses.

Na ocupação do Palácio, houve também o ato, chamado de “abraçaço”, em que foi dado um abraço simbólico no prédio modernista que, no passado, abrigou o Ministério da Educação.

Também houve um ato chamado de “abraçaço”, em que foi dado um abraço simbólico no prédio

No segundo andar do edifício, onde os ocupantes montaram a base da ocupação, cartazes pedem “cuidado com o patrimônio”, “não comer no carpete” e “não fumar”. Pelo lado de fora, faixas dizem “Fora Temer”, “Golpe”, “Fascistas não passarão” e “Teatro pela Democracia”.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores no Rio de Janeiro (CUT-RJ), Marcelo Rodrigues, diz que a CUT apoia o movimento:

“Nós estamos dando total apoio a esse movimento, desde cedo. Por volta de dez horas, começou a ocupação e vamos continuar aqui o quanto for necessários, estamos junto. É contra a extinção do Minc, contra esse governo golpista. A pauta é única. Precisamos do Minc, precisamos levar a cultura mais a sério nesse país e precisamos derrubar esse governo golpista”.

Uma das organizadoras do abraçaço, a atriz e diretora Iara Rocha, da companhia teatral Língua de Trapo Pontos de Cultura, de Petrópolis, diz que a ocupação não tem dia para terminar.

Segundo ela, pelo menos cem pessoas devem pernoitar no Capanema e haverá revezamento entre os manifestantes para manter a mobilização. Ela diz, também, que o movimento não reconhece Michel Temer como presidente.

Segundo ela, participaram da ocupação coletivos do audiovisual, movimento Teatro pela Democracia, Pontos de Cultura, Programa Cultura Viva, representantes do circo e do teatro. O prédio passa por restauração na parte externa e as atividades normais do Capanema não foram interrompidas pela ocupação.

Com informações do Correio do Brasil

Confraria do Escritor comemora cinco anos de atividades nesta sexta-feira (15)

Confraria iniciou atividades na Biblioteca Pública e hoje faz encontros itinerantes
Confraria iniciou atividades na Biblioteca Pública e hoje faz encontros itinerantes

A festa do quinto aniversário da Confraria do Escritor será nesta sexta, dia 15 de abril próximo, às 20 horas.

Haverá programação especial, no restaurante Casa do Capitão – Gastronomia e Eventos (Rua Saguaçu, 212), junto à sede da Ajao (Agremiação Joinvilense de Amadores de Orquídeas) em Joinville (SC).

A noite festiva terá no cardápio um sarau literário, com apresentação de textos pelos autores que integram a Confraria, e os interessados deverão se inscrever  pelo e-mail: tar-taru-gas@hotmail.com , até um dia antes do evento.

No acompanhamento musical estarão presentes, Fio José e Alan.Um espaço será reservado para os escritores divulgarem suas obras e conversarem com os leitores.

O cerimonial ficará a cargo de Alcione Pauli e Marlete Cardoso, professoras e escritoras que fazem parte do grupo de fundadores da Confraria do Escritor. A participação no evento é gratuita!

O restaurante estará aberto exclusivamente para a festa e servirá um jantar ao preço de R$ 20,00 (bebida à parte).

13a. Feira do Livro de Joinville (SC) abre oficialmente dia 1 de abril (sexta-feira)

PalavraLivre-livros-leitura-literatura-feira-do-livro-de-joinvilleEm sua décima terceira edição, a Feira do Livro de Joinville abre oficialmente no dia 1º de abril, às 19 horas. Com o slogan “A literatura pede passagem”, um dos mais importantes eventos do gênero no Brasil se consagra por promover o encontro de autores de várias regiões com o público e estimular a formação de leitores.

A programação oficial da 13ª Feira do Livro de Joinville está definida e oferece atrações para crianças, adolescentes e adultos. O roteiro de atividades que serão cumpridas de 1º a 10 de abril no complexo do Centreventos Cau Hansen (Teatro Juarez Machado e Centro de Exposições Edmundo Doubrawa) e pode ser conferido em www.feiradolivrojoinville.com.br. Informações pelo telefone (47) 3422-1133 e pelo e-mail feiradolivro@institutofeiradolivro.com.br.

No dia 1º de abril, o público poderá começar a visitar a feira às 9h, mas a abertura oficial do evento ocorrerá às 19h, com a visitação prosseguindo nos dias seguintes das 9h às 21h e nos sábados e domingos até 20h.

Além da visitação à feira onde serão comercializados livros de todos os gêneros literários, haverá palestras, mostra de autores catarinenses, lançamentos de livros e sessões de autógrafos, mostra comentada de filmes, sessões de teatro e de música, exposições e apresentações culturais etc. Integrado ao evento principal ocorrem o painel em torno do tema “A importância da Leitura na formação do operador do direito?, com a participação de representantes do Poder Judiciário, e um seminário para professores que debaterá o tema “Desenvolvendo o gosto pela leitura”.

Como ocorre todos os anos, o acesso à programação da Feira do Livro de Joinville é gratuito. Escolas, empresas e instituições interessadas em realizar visitas em grupos podem agendar pelo telefone (47) 3422-1133 ou pelo e-mail agendamento@institutofeiradolivro.com.br.

Na edição 2016, o evento homenageia o artista joinvilense Juarez Machado, que será homenageado no dia 5 de abril, às 19h. Juarez Machado lançará um livro inédito – “A saída” – e o relançamento de seu primeiro livro de imagens – “Domingo de manhã” – já esgotado. Segundo a escritora Maria Antonieta Cunha, curadora da Feira do Livro, a presença do artista representa uma homenagem ao talento de um joinvilense que consagra a arte brasileira no cenário internacional.

Outro aspecto desta edição é a presença de autores da região ao lado de nomes com atuação marcante na literatura brasileira, promovendo um encontro de experientes escritores em diferentes gêneros e permitindo ao público conhecer o melhor da literatura nacional.

Ao lado de Juarez Machado, estarão na programação da 13ª Feira do Livro de Joinville os escritores Léo Silva (RJ), Márcia Széliga (PR), Juliane Rodrigues (RJ), Masina Krás Borges (RS), Lira Vargas (RJ), João Batista Melo (MG), Eberson Teodoro (SC), Elizabeth Fontes (SC), Ana Janete Pedri (SC), Marlete Cardoso (SC), Nilza Helena Vilhena (SC), Odenilde Martins (SC), Bernadete Costa (SC), Humberto Soares (SC), Taiza Mara Rauen Moraes (SC), Fábio Henrique Nunes Medeiros (SC), Maurício Biscaia Veiga (SC), Rita de Cássia Alves (SC), Valério Mattos (SC), Vanessa Martinelli (SC), Lúcia Fidalgo (RJ), Maria Alexandre de Oliveira (SP), Jura Arruda (SC), Vanessa Bencz (SC), Janda Montenegro (RJ), Alcides Buss (SC), Guilherme Diefenthaeler (SC), Marinaldo de Silva e Silva (SC), Luís Pimentel (RJ), Eleonora de Medeiros (RS), Luciana Costa (RJ), Graciela Mayrink (RJ), Isabella Ingra (RJ), Cacá Melo (RJ), Celso Gutfreind (RS), Maria Eduarda Razzera (SC), Flávia Cunha (SE), Stella Cáceres (SE), Manoela Ramoniga Furtado (SC), Miriam Ramoniga (SC), Ana Rapha (PR), Borges de Garuva (SC), Urda Klueger (SC), Helenah (DF), Quésia Cunha (SC) e Valmir Capim Neitsch (SC), entre outros nomes.

Sueli Brandão, presidente do Instituto da Cultura e Educação e idealizadora da Feira do Livro de Joinville, comenta que a edição 2016 ocorre em um momento importante do Brasil, em que a Educação e o incentivo à leitura oportunizam a reflexão quanto ao futuro do país.

“Temos o privilégio de ter em Joinville um evento que desde a sua primeira edição buscou este diferencial de promover o encontro de autores com o público e de se notabilizar como agente de formação de leitores e de cidadãos críticos do seu papel na sociedade, ao mesmo tempo em que proporciona ao público a condição de ter acesso a boas obras a preços acessíveis. Um processo de educação só é bem-sucedido com a sinergia destes fatores”, afirma Sueli Brandão, destacando que embora o momento difícil da economia a Feira do Livro se mantém sintonizada com os mesmos propósitos que acompanham a trajetória de 13 anos consecutivos em que é realizada.

A Feira do Livro de Joinville é uma iniciativa do Instituto da Cultura e Educação com apoio da Prefeitura de Joinville e Fundação Cultural de Joinville.

Com informações do Instituto Cultura e Educação

Atenção escritores! A Associação das Letras promove sua I Vivência Literária no sábado (19/3)

Divulgação Vivêcia 19 03 2Vem aí a primeira ação da Associação das Letras neste ano. Com o objetivo de fomentar a literatura, a produção literária, a descoberta de novos talentos e oferecer capacitação a seus associados e público em geral, a entidade promove no próximo sábado, 19 de março em Joinville (SC) a sua primeira Vivência Literária de 2016.

A “Oficina da palavra selvagem” tem o objetivo de incentivar à aquisição da linguagem, e fazer com que o participante da Vivência descubra a sua potencialidade como escritor, envolvendo a música, o desenho e a leitura, em busca do claro enigma.

O encontro, que acontecerá durante todo o sábado, será marcado pela leitura e degustação conjunta de textos literários, pelo incentivo à apreciação estética e ao compartilhamento de experiências e informações, visando estimular a curiosidade, a sensibilidade, o potencial de comunicação e a criatividade.

Discussões sobre arte, literatura, linguagem, oralidade e escrita fornecem suporte teórico ao processo de produção assistida de textos.

Ludicamente, o participante, enquanto escreve, reescreve, troca impressões sobre textos produzidos, parafraseia, inventa, explora o cotidiano ou solta a imaginação. Cada participante é estimulado a encontrar e aprimorar sua própria voz.

A proposta dessa Vivência se atém aos exercícios de produção de textos, despertando a linguagem mais profunda, a voz única que cada um de nós possui.

orientador será Fernando José Karl, que vive em São Bento do Sul, tem 55 anos, é natural de Joinville/SC. É escritor, jornalista, dramaturgo, roteirista de cinema, músico e artista plástico.

Autor, entre outros, dos livros “Teares de pedra” (Prêmio Emílio Moura/Minas gerais/1992); “Diário Estrangeiro” (Prêmio Cruz e Sousa/1996/Editora da UFSC); “Travesseiro de Pedra” (Prêmio Cruz e Sousa 1997/Editora da UFSC); “Breviário” (Prêmio da Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/2001); “Brisa em Bizâncio” (Travessa dos Editores/2002); “O livro perdido de Baroque Marina” (Prêmio Cruz e Sousa 2010/Categoria Romance/Editora da UFSC) e “Casa de água” (Antologia em comemoração aos 25 anos de poesia/Editora Letra D’água).

Entre suas peças de teatro, cita-se “O aquário de Hilda e o Führer”. Em parceria com o cineasta e fotógrafo Alceu Bett, fez os roteiros de “As mortes de Lucana” (2013), “O aquário de Antígona” (2014), “O golfinho” (2014) e “O voyeur” (2014). Tem três obras-em-progresso: “O livro de cabeceira de Hitler” (Romance); “A última carta de Nietzsche à chuva” (Contos) e “Cadenciando-um-ning” (Poesia).

Fernando José Karl criou essa proposta cultural como método alternativo de aquisição de linguagem, para despertar o hábito da escrita e da leitura. Fernando tem 20 anos de experiência em ministrar oficinas, atuando em diversas cidades do país: Curitiba, Joinville, Itajaí, Blumenau, Florianópolis, São Francisco do Sul, Lages e São Bento do Sul, envolvendo mais 1200 pessoas.

Serviço:

O quê: I Vivência Literária da Associação das Letras 2016

Quando: 19 de março (sábado)

Hora: das 8h30min  às 12horas – 13h30min  às 18 horas

Onde: Hotel Slaviero Slim Joinville –  Rua Sete de Setembro, 40 – Centro

Promoção: Associação das Letras

Inscrição: R$ 15,00 (Associadas) R$ 30,00 (Público interessado)

Vagas limitadas – Inscrições antecipadas

Contato: associacaodasletras@hotmail.com  – 47 9613-7451(TIM)

Mulheres e Literatura – Livro “Elas contam”, escrito por oito mulheres, será lançado dia 8 de março

Convite (Livro)O projeto nasceu com Nilza Helena da Silva Vilhena e a ideia foi aceita e fomentada por Ana Janete Pedri, lá em 2013. O desejo sempre foi publicar um livro com autoria de mulheres, contando histórias de mulheres, mas que não fosse somente para mulheres.

O tempo passava e, por vários motivos, o desejo não se realizava. Até que no final de 2015,  um time de 8 mulheres se formou e, com ele, a ideia de lançar o livro no dia 08 de março – quando se comemora o dia da mulher.

O grupo de escritoras ficou assim definido: Ana Janete Pedri, Elizabeth A. C. M. Fontes, Marlete Cardoso, Nilza Helena da Silva Vilhena e Odenilde Nogueira Martins.

O critério utilizado foi observar a similaridade de escrita, de trajetória e de sentimentos, bem como, a disponibilidade das escritoras para abraçar esse projeto, até porque ele utilizaria (e utilizou) recursos próprios.

As outras mulheres que vieram reforçar o grupo e fechar o “8” foram: a artista plástica Tania Cotrim, que assumiu a capa e as fotos; a escritora, doutora em Geografia Urda Alice Kruger, que cuidadosamente preparou as orelhas do livro e a Profa. Dra.Taiza Mara Rauen Moraes, que com gentileza ímpar, cuidou do prefacio do, enfim materializado,   “ELAS CONTAM”.

Curiosidades sobre o projeto:

  • A artista plástica Tania Cotrim fez o trabalho de capa com um fragmento de sua obra “8 metros de galáxias”, onde apresenta a feminilidade em formas arredondadas ressaltando o universo criador das mulheres.
  • O lançamento será dia 08 de março, no Petit Jardin – Café e bistro, dirigido pela querida Juni Schlichting e terá a participação da artista jaraguaense Bel Bandeira, apresentando trabalhos de grandes escritoras em performance que envolverá interpretação e música.
  • A noite de autógrafos em Joinville está sendo organizada pela Mari Silveira – promoter do Capitão Space Batataria e Pizzaria e o momento contará com a participação de um cantora, trazendo, mais uma vez a presença da mulher para esse trabalho.

“Não temos dúvidas de que a energia da MULHER atraiu todas essas almas de diferentes artes para a realização do ELAS CONTAM. Talvez porque ele seja do bem, talvez porque o idealizamos com o coração… Não sabemos, mas está aí e o leitor será seu possuidor agora”. (Nilza Helena da Silva Vilhena).

Sobre as escritoras:
As escritoras, na maioria catarinenses, já têm outras obras publicadas, individualmente e em antologias, e participam ativamente dos movimentos literários da região.

ELIZABETH A. C. M. FONTES – Nasceu em Leopoldina, MG (1965), radicada em Joinville, SC, desde 1999. Bacharel em Piano e Licenciada em Música pelo Conservatório Brasileiro de Música Lorenzo Fernandez (RJ). Pós-graduada em Arte Educação (CEPEMG) e em Arte Terapia (INPG). Musicista, compositora e escritora. Acadêmica honorária da ALASFS – Academia de Letras e Artes de São Francisco do Sul, SC. Membro da “Associação das Letras” e “Confraria do Escritor”, Joinville, SC.

Publicou os livros História de uma Aquarela (Ed.Panamericana, Bogotá, 2013) e Sobre os jardins (Ed. Univille, Joinville, 2014). Com outros autores, participou das antologias Saganossa – outras histórias, Letras associadas 1, Letras associadas 2 e Rede das letras, publicadas pela Associação das Letras (2015). beth.fontes@gmail.com.

MARLETE CARDOSO – Nasceu em Itajaí – SC (1961), radicada em Joinville desde menina. Professora graduada em Pedagogia com pós-graduação em Interdisciplinaridade pela Univille. Membro fundadora da Confraria do Escritor e Associação das Letras.  Autora de Coração Guarani (a ser publicado em 2016). Com participações em jornais, em antologias da Letras da Confraria e de A Ilha Supl. Lit. de Florianópolis. Leitora e escritora por amor às ideias! marlete.cardoso@hotmail.com.

ANa JANETE PEDRI – Nasceu em Jaraguá do Sul, SC (1958). Pós- graduada em Filosofia pela UGF. Três livros publicados: O amiguinho círculo, Amores caminhos e descaminhos, e Amores delicados. Quatro livros publicados em coautoria e mais de vinte participações em antologias. Acadêmico fundador da ALBSC Jaraguá do Sul, ocupando a cadeira 12. Acadêmico honorário da ALASFS. Membro da Associação das Letras (Joinville/SC), participa na coordenação das Cirandas Literárias (Jaraguá do Sul), desde 2010. Integra Panorama da Literatura Jaraguaense – (Loreno Luiz ZateliHagedorn, 2010) e a Literatura dos Catarinenses – (Celestino Sachet, 2012). E-mail: ana.janete@pedri.com.br.

NILZA HELENA DA SILVA VILHENA – Nasceu em Rio Negro, PR, nos idos de 1963. Desde 2004, adotou Santa Catarina como seu canto. É Funcionária Pública Federal, graduada em Pedagogia, pós-graduada em Tecnologias e EAD – Educação a Distância. Membro da Associação das Letras e Confraria do Escritor (Joinville/SC), participa na coordenação das Cirandas Literárias (Jaraguá do Sul), desde 2010. Publicou um livro de contos intitulado Quinione em 2009 e, de lá para cá, tem participação em mais de dez antologias. “Por que contos? Para contar os múltiplos significados das existências, que merecem um olhar, um registro, um sentimento!”E-mail: nilzahelenas@yahoo.com.br.

ODENILDE NOGUEIRA MARTINS – Nasceu em Palmitos, SC (1957), radicada em Joinville há mais de trinta anos, considera-se joinvilense de coração. Graduada em Letras pela UNIVILLE – Professora de Língua portuguesa e Literatura. Pós-graduada em Interdisciplinaridade pelo IBPEX – UNIVILLE. Membro da Associação das Letras – Joinville. Publicações em jornais, antologias, miniantologias e o livro de contos Caso encerrado. E-mail: prof.odenilde@hotmail.com.

Serviço

Lançamento: Dia 08 de março – 20h, no “Petit Jardin – Café e Bistrô”, em Jaraguá do Sul

Rua Mal. Deodoro, 1233 – Centro

(participação Bel Bandeira)

Noite de autógrafos:

Dia 10 de março – 20 h, no “Capitão Space Batataria e Pizzaria”, em Joinville

                        Rua Marquês de Olinda, 3340 – Glória

Tarde de autógrafos:

Dia 12 de março – 15 h, na Livraria Blulivros, em Blumenau

Shopping Park Europeu – Rod. Paul Fritz Kuehnrich, 1600

Livro: ELAS CONTAM – Contos e crônicas
Editora Sucesso Pochet, 134 páginas
Autoras: Ana Janete Pedri, Elizabeth Fontes, Marlete Cardoso, Nilza Helena da Silva Vilhena e Odenilde Nogueira Martins.
Preço do exemplar – R$ 25,00

Com informações das autoras