Programa Xeque Mate começa nova temporada

Bastidores de gravações do Xeque Mate na TV Babitonga - foto Gi Rabello/2012

Há quase um ano aceitei o desafio de fazer televisão. Proposta feita pelo amigo Roger Santos, que iniciava a TV Babitonga Canal 9 da NET Digital para a região de Joinville (SC), foi aceita e desde então tentamos realizar todas as segundas e quintas-feiras às 21 horas, o melhor programa de entrevistas. O programa Xeque Mate ousa pelo seu formato diferenciado, frente a frente entrevistado e entrevistador, buscando a informação mais precisa, aquilo que o telespectador quer saber, mas não pode perguntar.

Após uma parada de descanso, voltamos hoje com novas entrevistas, porque até então a TV Babitonga estava reexibindo alguns dos programas realizados em 2012. Na entrevista desta noite, 21 horas, vamos saber mais sobre o Museu da Bicicleta de Joinville, o MUBI, que esteve fechado por quase dois anos. Era o único existente na América Latina e um dos poucos existentes no mundo. A promessa é de volta agora em março, nos festejos de aniversário da cidade. O idealizador e amante da história da bicicleta, Valter Bustos, é o entrevistado. Historiador, jornalista free-lance, Valter é também um polemizador do meio urbano, da falta de mobilidade.

Na próxima quinta-feira, 7 de fevereiro, o tema será a pequena e microempresa. Mulher empreendedora, advogada e agora presidente da Ajorpeme, maios associação empresarial do país com sede em Joinville, Cristiane Schramm vai nos brindar com sua história profissional, falar sobre a entidade que reúne o motor da economia nacional. Se você quiser participar com a gente, mande suas sugestões de pautas, entrevistas, temas interessantes. Ajude a fazer o Xeque Mate, com sua ajuda fica tudo mais fácil!

Vamos ver o que sairá deste “xeque-mate” de hoje? Conto com vocês, 21 horas na TV Babitonga Canal 9 da NET Digital em Joinville. Quem não tiver NET, ou não tenha ainda o sistema digital, pode assistir pela internet em www.babitonga.tv.net. Até mais!

 

 

De volta para alegria de uns e desespero de outros… é a vida!

Olá amigos e amigas, leitores e leitoras do Palavra Livre, que este ano seja o melhor ano de suas vidas, com muita saúde, paz, sucesso, oportunidades, bons amigos, bons livros, bons teatros, cinemas, vida a dois, enfim, com tudo o que a vida trouxer a cada um e cada uma que nos acompanha há quase cinco anos. Cinco anos! Sério, em abril completam-se cinco anos dessa aventura de escrever e divulgar informações relevantes para as pessoas.

Quem atua no jornalismo sabe o quanto é dura a vida de quem busca espaço para mostrar seu trabalho. Poucos jornais, e estes poucos nas mãos de poucos, assim como tvs, rádios, etc. Para além disso, imposições de ordem política, econômica, salários baixos, e toda ordem de coisas que impedem, ou dificultam muito, o exercício da profissão. Por isso a internet é uma dádiva, um meio que veio para democratizar de vez a disseminação de informações sem bloqueios, censuras, impedimentos.

A situação de manter um órgão informativo alternativo, seja ele impresso, ou em mídia eletrônica, é a mesma: faltam recursos. Patrocinadores se repetem em órgãos já antigos, conservadores, de grandes grupos midiáticos. Lá despejam milhões. Sobram para os loucos blogueiros como eu o apoio de amigos, de leitores que acreditam no trabalho sério que faço aqui no Blog Palavra Livre, e também no programa Xeque Mate da TV Babitonga Canal 9 da NET Digital da região de Joinville (SC), onde estou desde junho de 2012.

Mas, como conheço um pouco o caminho das pedras, e como desviar de algumas para se chegar ao objetivo final, tenho conseguido altos índices de leitura e compartilhamento do que divulgo, opino e informo aqui e acolá. Por isso me sinto feliz e reconfortado, sempre acreditando e perseverando naquilo que acredito. Porque somos o que sonhamos, e portanto, se somos do tamanho de nossos sonhos, devemos sonhar grande, muito grande, e perseverar muito, acreditar, lutar, trabalhar. Porque o Criador apoia quem trabalha, quem dá o seu melhor e não desiste nunca! Por isso, vamos em frente?

Conto com vocês para fazer um Palavra Livre ainda melhor, mais completo, mais participativo que nunca. Obrigado mais uma vez a todos que acompanham, acreditam e compartilham das palavras que por aqui buscam seus sentidos, e com eles, um mundo mais justo, solidário e feliz. Como já disse no título, estamos de volta para alegria de uns, e muito desespero de outros… Abraços a todos e todas!

Agradecer

Gratidão. É isso que sinto por mais um ano de batalhas vencidas e perdidas, de vida vivida intensamente em todos os aspectos. Gratidão. Como não ser grato pela saúde que tenho, pelos meus filhos, minha esposa e companheira Gi Rabello, pela minha Rayssa, pela saúde que minha mãe Isolde tem e, com isso, compartilha sua vida conosco? Como não ser grato pelo trabalho que tenho, pelas oportunidades vividas e que virão, pelos amigos que fiz, pelos que perdi, pelos que ainda virão? Como não agradecer as dificuldades, as dores que tive e tenho, as ingratidões, traições, erros ? Gratidão. Palavra que diz tudo. Sentimento que exprime o melhor do humano, e que atrai somente coisas boas.

Este ano tive perdas como todos tem, não é mesmo? No inicio dele me vi excluído de escrever em um jornal local os perfis que me davam um enorme prazer, pelo que traziam de humano, de vida, de dores e vitórias. O dinheiro não dava nem para as despesas, mas o prazer de ouvir as pessoas e suas histórias de vida, e transcrever o máximo em dois mil caracteres, valeu tudo! Mas depois lancei em companhia de Marco Schettert, pela segunda vez, o livro “Na Teia da Mídia – A Família Plocharski e o caso Maníaco da Bicicleta” na livraria Curitiba. Livro que conta uma história triste, real, que mostra o quanto podemos fazer mal a alguém por pressões, exibicionismo, ansiedade, pressa. Erros que custaram uma vida. Faz um ano que lancei o livro. Ganhei um novo filho, este livro, mas perdi uma grande amiga, personagem dele, neste ano.

Dona Marli Plocharski, mãe de Aluísio Plocharski, vítima dos erros da imprensa e da polícia, nos deixou em julho deste ano após longos anos de luta contra a depressão que o caso trouxe à família. Amiga de todas as horas, das mais ruins às mais alegres, visita esperada, ou o telefonema pedindo a nossa presença, e na presença a entrega do struddel, da sardinha recheada… de amor e carinho. Talvez tenha sido uma das grandes perdas da minha vida. O vazio que essa amizade deixou é irreparável. Estive na sua casinha de madeira no Atiradores, onde os pássaros cantavam muito entre nossas entrevistas. Falei com seu Ludovico, o viúvo, porque não posso deixar de agradecer. Sei que ele está sempre por lá, e por entre nós. Obrigado dona Marli, Deus e os anjos é que a tem em boa companhia.

Depois me chega um convite inusitado: vamos fazer um programa de TV? Roger Santos me veio com essa ao começar um novo projeto com a TV Babitonga Canal 9 da NET Digital. Pensei, ponderei, conversei. Nunca tinha feito televisão em frente às câmeras, sempre nos bastidores como assessor de imprensa. Topei. Estreei em 28 de junho com entrevista especial do prefeito Carlito Merss, no limite da lei eleitoral. No programa Xeque Mate já passaram várias personalidades, personagens que tem algo a dizer de relevante para a cidade e região. Agradecer, é isso, sempre agradecer. Creio que as pessoas gostaram, e espero continuar o Xeque Mate em 2013 se assim for o desejo das energias do universo.

E tem mais. Como bom geminiano, voltei às lutas eleitorais. A convite, entre tantos que recebi e neguei, da advogada Roberta Schiessl, produzi seu plano de comunicação para as eleições deste ano, onde teria como atribuição cuidar da comunicação. Acabei coordenando a campanha com a famosa “onda lilás”, que pensei ser um meio de tornar a candidata conhecida. Muitas dificuldades como toda campanha a vereadora, mas o resultado foi de quase dois mil votos, assustando adversários e a colocando como a mulher petista mais votada até hoje. Agradecer, sempre agradecer. Esta campanha mostrou novamente que sou um bom estrategista, e bom executivo. Agradecer sempre.

E durante todo o ano, muitas outras coisas boas aconteceram, projetos que empreendi como free-lance, vários deles. Mudamos o site do Sindicato dos Mecânicos a quem assessoro há anos, mantive atualizado e ativo este Blog Palavra Livre que vai completar cinco anos em abril de 2013. Interagi muito com meus artigos no Blog via Facebook e Twitter, estabelecendo novos amigos, colegas, negócios. Muitos dos quais acontecerão durante 2013, com a graça divina. Penso que o Criador sempre te dá algo de bom mesmo nos momentos mais agudos da vida. Cabe a nós perceber, e se utilizar da melhor forma das marcas que esses acontecimentos nos dão. Tenho exercitado muito isso. Gratidão. Agradecer é tudo.

Finalizo o ano feliz, com saúde e com sonhos e planos para realizar. Finalizo o ano agradecendo e sendo grato a tudo e a todos que tive a honra e o prazer de conhecer, ajudar, brigar, trabalhar, criar, viver. Agradeço principalmente à minha família na pessoa da minha amada Gi Rabello, mulher que sempre está ao meu lado para tudo, no amor, na dor, nas pressões, nas tristezas, nas chateações, nas viagens, nas alegrias, meu suporte leal e sincero que mudou minha vida para muito melhor há quatro anos. A ela o meu maior desejo de saúde, paz, sucesso e felicidades que é o mesmo que desejo à minha mãe Isolde e a minha filhota Rayssa. E que desejo aos meus filhos Gabriel, Lucas e João Pedro, mesmo distantes. Porque agradecer é preciso, viver não é preciso, viver é simplesmente…. viver!

Feliz Natal a todos e todas que acompanham este Blog comentando ou não o que divulgamos aqui. E que 2013 venha com muita luz, energias positivas, saúde, paz, sucesso e oportunidades! Boas Festas! O Blog Palavra Livre volta no próximo ano com novidades e ainda mais forte, abraços e até lá!

 

STF, Congresso e Mensalão

Já faz algum tempo acompanho essa criação midiática chamada “mensalão”. Digo midiática porque entendo do riscado, pois atuo na área há mais de 20 anos. E mais ou menos o mesmo tempo trabalhei em política, e portanto, conheço bem os bastidores tanto do Executivo quanto do Legislativo. Do Judiciário entendo bem por vivência própria. E agora resolvo dar meu pitaco aqui no Palavra Livre.

Em primeiro lugar, se houve mensalão no governo do presidente Lula, do PT, então houve mensalão desde que aqui se instalou a República. Não há governo que não coopte parlamentares em algumas situações, ou para governar, ou para garantir apoio de votos a projetos importantes. Quando a mídia tenta impingir uma história a um partido, o faz de caso pensado. O faz com interesses outros que jamais irá confessar. Aí você vai me dizer: mas não és jornalista, atua nos meios? Sim, sou e trabalho sim, mas sei bem o que é liberdade de imprensa, liberdade de expressão, e liberdade dos “donos da imprensa”, essa última sim vale forte, e mais que outras.

Esse caso “mensalão”, conforme tentam fazer ao povo brasileiro crer, não passa de financiamento de partidos políticos para manter composição de governo. Somente isso. É ilegal, claro que é! Mas é o que fizeram, fazem e farão todos os partidos para lutar pelo poder em base municipal, estadual e federal. Mas o Brasil é hipócrita, finge que acredita, fala de corrupção ao mesmo tempo que se ocupa de pedir um “favorzinho” a esse ou aquele político. Portanto, o STF julgou uma coisa que não existe. Porque se existisse “mensalão” para votar todos os projetos de interesse do governo, esse país teria mudado muito mais rápido. E não é isso que vimos.

Agora, após fazer o serviço pedido pela mídia, os barões da mídia conservadora, o STF resolve também investir nas prerrogativas do outro poder, o legislativo! Além de julgar algo com olhos vesgos, ou míopes, nossos ministros de toga querem também cassar mandatos contra o que diz a Constituição Federal. E mais que isso, cria um impasse perigoso, institucional, que pode – esse sim – causar danos à democracia. Democracia essa tão jovem, tão frágil ainda. A quem interessa esse embate institucional?

Quem conhece um pouco da história brasileira, principalmente a política, saberá do que falo agora. Getúlio Vargas foi tão açoitado, tão agredido pelos meios de comunicação conservadores lá pelos idos da década de 1950, que chegou a cometer o suicídio. O que desejavam Carlos Lacerda, jornalista e deputado, e setores militares, das forças armadas? Tomar o poder para “enfrentar o comunismo”. Mesmo com a morte do pai dos pobres, não conseguiram.

Juscelino Kubitschek de Oliveira, o JK, então governador de Minas, se lança na disputa pela Presidência da República. É atacado, denunciado, agredido até em seus atos pessoais. Eleito pelo voto direto e soberano dos brasileiros, eis que a velha mídia ataca, junto com Lacerda e setores das forças armadas para impedir sua campanha, sua vitória, sua posse e até seu governo! O mantra repetido era “JK não pode concorrer. Se concorrer, não pode vencer. Se vencer, não pode tomar posse. Se tomar posse, não pode governar”. Assim foi todo o seu governo, com a mídia conservadora o atacando. Só não conseguiram o impedir de construir Brasília.

Depois, as mesmas criações de fatos levaram nosso país à ditadura tão desejada. Igreja e mídia se uniram para derrotar comunismo, e colocaram o Brasil nas mãos dos militares durante mais de 20 anos. Perseguições, torturas, cassações, fim das liberdades, mortes, desaparecimentos, fase das mais brutais da nossa história. Nesse período houve também corrupção, negociatas, obras gigantescas a preços inimagináveis. Mas ninguém podia falar, e a mídia conservadora manteve tudo por debaixo de panos quentes. Voltamos à democracia com muita luta de gente guerreira, alguns morreram, outros sofreram horrores para que hoje possamos nos manifestar livremente, mesmo que com algumas censuras…

Collor, Itamar Franco, FHC – este o queridinho da mídia… – Lula, Lula, Dilma. O primeiro foi cassado por corrupção – será que foi por isso mesmo? – Itamar era o inconsequente, solteiro, etc. Mas lançou FHC, que virou pai do Plano Real, pai das privatizações que deixaram o país sem soberania de suas terras, bens, pai da compra de votos para a reeleição… mas isso não interessa para a grande mídia. O príncipe foi o “must” para esses senhores. Veio Lula, operário, ex-metalúrgico. Não sabe falar, não sabe nada, pensavam. Eis que Lula ganha as eleições, não sem antes acertar ponteiros com o mercado, claro…

E o metalúrgico governa para os mais pobres. Dá recursos aos miseráveis, cria universidades, retoma o crescimento econômico, inclui milhões de brasileiros com programas sociais. Se reelege contra a mídia conservadora, e ainda faz a sucessora. Dilma. Ex-guerrilheira, etc. Esta, governa ainda melhor diante da crise. Já se avizinha a reeleição da mulher, para desespero de neoliberais. E o pior acontece: Haddad vence Serra na maior cidade brasileira, São Paulo. E agora?

Agora, vamos amplificar o mensalão, condenar duramente, cassar, vamos também pegar o Lula com a delação premiada do Marcos Valério (homem de crédito não é?) e… o que pode vir depois? Esse filme já foi visto antes. E com a anuência do STF pela força militar. Agora, outros tempos, internet, comunicação democratizando cada vez mais, que tal mostrar que a democracia cria corruptos, e quem está no governo é o grupo mais corrupto da história brasileira, e precisamos “limpar” o país? Que tal?

Amigos, sei que crio polêmica com esse post mal escrito, mas é claro o interesse de grupos gigantes da especulação, do neoliberalismo, da mídia conservadora que monopoliza os meios nas mãos de poucos. Esses movimentos que parecem tão singelos, e tão patrióticos são na verdade incitações perigosas para a democracia. O STF tem o dever de guardar a Constituição Federal, e não se impor a ela. Julgaram, condenaram? Feito o serviço! Cassações de mandatos, deixem com o Congresso Nacional, a sabedoria manda isso.

Ditaduras iniciaram assim como vemos agora. Será que queremos isso novamente no Brasil? Eu não, e você?

Controle da internet?

Nesse momento, em um encontro da ONU na cidade de Dubai, regimes autoritários estão fazendo pressão pelo controle governamental completo da Internet em um tratado global obrigatório – se eles tiverem sucesso, a Internet pode se tornar menos aberta, mais cara e muito mais lenta. Temos apenas 2 dias para impedí-los.

A internet tem sido um exemplo incrível do poder popular – ela permite conectar-nos, ter uma voz e pressionar líderes políticos como nunca antes. Isso acontece em grande parte porque a Internet foi governada até então por usuários e organizações sem fins lucrativos, não por governos. Mas agora, países como Rússia, China e Emirados Árabes Unidos estão tentando reescrever um grande tratado de telecomunicações chamado ITR para colocar a Internet sob seu controle – a rede seria então modelada pelos interesses do governo, não por nós, os usuários. Tim Berners Lee, um dos “pais da Internet”, alertou para o fato que essas medidas podem aumentar a censura online e invadir a nossa privacidade. Mas se nós protestarmos com uma gigante petição criada por pessoas, podemos fortalecer os poucos países que lutam contra essa tomada de poder.

Impedimos ataques como este no passado e podemos impedí-los mais uma vez antes que o texto do tratado seja fechado essa semana. Uma onda de oposição a um novo ITR já está crescendo – assine a petição para dizer aos governos que tirem suas mãos da nossa Internet! Em seguida, encaminhe esse email para todos que você conhece. Quando chegarmos a 1 milhão de assinaturas, entregaremos a petição diretamente às delegações que participam do encontro.

http://www.avaaz.org/po/hands_off_our_internet_i/?bfficdb&v=20031

O encontro que atualizará o ITR (Regulamentações Internacionais de Telecomunicações) foi convocado por um orgão da ONU chamado União Internacional de Telecomunicações (ITU). Normalmente, esse encontro não receberia muita atenção, mas Rússia, China, Arábia Saudita e outros países estão tentando usá-lo para aumentar o controle dos governos sobre a Internet por meio de propostas que permitiriam cortar o acesso com facilidade, ameaçar a privacidade, legitimar o monitoramento e o bloqueio de tráfego de dados, além de apresentar novas taxas para acessar conteúdo online.

Atualmente a nossa Internet não possui um corpo regulatório central, mas várias organizações sem fins lucrativos trabalham juntas para gerenciar os diferentes interesses tecnológicos, comerciais e políticos que permitem a Internet existir. O modelo atual certamente não é isento de falhas. O domínio dos EUA e a influência das empresas privadas destacam a necessidade de reforma, mas mudanças não devem ser ditadas por um tratado opaco feito apenas entre governos. Elas devem emergir de um processo participativo, aberto e transparente, colocando os interesses dos usuários, nós, no centro das discussões.

A ITU faz um trabalho extremamente importante, expandindo o acesso barato para países pobres e garantindo o funcionamento das redes. Mas esse não é o lugar certo para fazer mudanças sobre como a Internet opera. Vamos garantir que nossa Internet se mantenha livre e governada pelo povo, e mostrar à ITU e ao mundo que não ficaremos em silêncio diante deste ataque contra a Internet. Clique abaixo para assinar e compartilhe amplamente este email:

http://www.avaaz.org/po/hands_off_our_internet_i/?bfficdb&v=20031

Membros da Avaaz já se uniram outras vezes para salvar a liberdade da rede e vencemos. Mais de 3 milhões de nós exigimos que os EUA barrassem um projeto de lei que daria ao governo o direito de tirar qualquer website do ar, ajudando a pressionar a Casa Branca a desistir de apoiar o projeto. Na União Europeia, o parlamento europeu respondeu após 2.8 milhões de nós exigirem que eles desistissem do ACTA, outra grande ameaça à liberdade da rede. Juntos, podemos vencer mais uma vez.

Com esperança,  Pascal, Ian, Paul, Luca, Caroline, Ricken, Kya e toda a equipe da Avaaz.

Kennedy ou Udo? Você decide no domingo

Vamos ao que interessa. Domingo, 28 de outubro, vamos eleger o novo Prefeito de Joinville, maior cidade catarinense, maior PIB, maior isso e aquilo, mas ainda menor em representatividade política (onde estão nossos deputados quando o caos na saúde se instala?), em obras e ações fundamentais na infraestrutura, lazer, cultura e por aí afora. Participar desse momento cívico, cidadão, é mais que uma obrigação, uma necessidade porque influi diretamente no que queremos para a nossa vida. Sim, porque vivemos na cidade, com mais 600 mil pessoas que a constroem dia após dia. Como disse, vamos ao que interessa, analisar o momento dos dois nomes postos, Kennedy Nunes (PSD – 55) e Udo Döhler (PMDB – 15).

Kennedy Nunes se notabilizou politicamente como vários outros na política, usando o microfone do rádio, e depois na televisão. Nesta carreira, e com base na oratória e rituais utilizados no segmento evangélico, o jovem ocupou espaços na mídia, e logo foi alçado a um cargo público na administração de Freitag em 1993 como Secretário do Desenvolvimento Comunitário, depois vereador assumindo a cadeira em 1998, se reelegendo em 2000. Concorreu a Prefeito em 2004 e 2008, e entre essas duas eleições, conseguiu ser eleito deputado estadual em 2006, se reelegendo em 2010, cujo mandato cumpre no momento.

Carismático, dominando todos os macetes da comunicação como poucos, sempre teve como objetivo chegar à Prefeitura. Nesta eleição, após passar por PMDB,  PFL, DEM, PP e agora PSD do governador Raimundo Colombo, Kennedy chega ao segundo turno embalado por uma retórica de renovação no atual quadro político. De mudar as coisas como estão. Atacou todos os postulantes ao cargo, como já o fez nas eleições anteriores, mas nesta buscou a estratégia desde o seu desembarque do governo Carlito no início de 2009. Desconstruir a imagem do petista foi sua obsessão. Falando sobre mentiras de Carlito sobre baixar tarifas de água e transporte coletivo, ele se colocou como alternativa inovadora. Os resultados do primeiro turno mostram que conseguiu seu intento. Mas aí veio o segundo turno.

Franco favorito, o deputado pessedista recebeu imediatamente o apoio do ex-prefeito e deputado federal Marco Tebaldi do PSDB, derrotado fragorosamente nas urnas, onde ficou em quarto lugar. E logo em seguida, a cúpula do PT, sob o comando de Carlito Merss, levou o diretório a declarar apoio a Kennedy Nunes, o seu algoz durante quatro anos. O discurso da renovação e mudança empunhados por Kennedy começaram a ser rebatidos, afinal, como pode ser o novo se já está há mais de 20 anos na política, e agregando aos dois prefeitos que já passaram pela administração municipal, e que neste pleito foram reprovados pelas urnas?

Kennedy Nunes chega na reta final já não tão favorito quanto há três semanas, sendo desconstruído naquilo que ele mais domina: a comunicação e sua imagem. E as pesquisas apontam sua queda progressiva, resta saber se a diferença será mantida até às 17 horas de domingo.

Udo Döhler é um empresário reconhecido, com mais de 70 anos de idade, e sempre envolvido na política de forma mais distante, e jamais enfrentou as urnas. Teve o nome várias vezes apontado como possível candidato a Prefeito, mas essa é a primeira vez que disputa uma eleição. Descendente de alemães, dono de uma indústria centenária, se notabilizou comandando a Associação Empresarial de Joinville, a ACIJ, por cinco vezes. Ocupou a presidência da Fundamas, órgão da Prefeitura, há 40 anos. Essa é sua experiência no setor público mais relevante. Sempre foi voz forte comunitariamente, comandando várias campanhas institucionais pela cidade, como a vinda da Ufsc, novas empresas, e sempre foi crítico da lentidão no setor público.

Foi filiado ao PL, que hoje é o PR. Convidado pelo senador Luiz Henrique, acabou filiando-se ao PMDB em 2011 já no projeto do partido de reconquistar a maior Prefeitura do estado. O PMDB compôs o governo Carlito até o início de 2011, quando entregou os cargos e definiu o seu projeto. De lá para cá, Udo foi construindo seu caminho, e também as  coligações possíveis. Como novato na política – apesar da idade – teve dificuldades no primeiro turno, mas com a força partidária e o interesse do eleitor em mudar a administração, acabou surpreendendo Marco Tebaldi e Carlito Merss e chegou ao segundo turno. Mesmo com um também surpreendente ataque petista com o vídeo da mulher amarrada.

No segundo turno, Udo não recebeu o apoio que se previa do PT. Pelo contrário, não só não veio o PT do Governo Carlito Merss, quanto também não veio o PSDB de Tebaldi. Outra dificuldade do peemedebista foi enfrentar um adversário formado na comunicação, mas o que se viu até aqui foi um avanço considerável na performance de Udo Döhler em debates, entrevistas e sabatinas. Administrador, sentiu-se seguro quando os temas chegaram na gestão. E diferente do que se pensava, sua campanha cresceu e as pesquisas mostram que já há empate técnico com Kennedy Nunes.

Enfrentando as urnas pela primeira vez, com um adversário forte e calejado na arena política, acusações de racismo, maus tratos a trabalhadores, de subordinação ao seu padrinho político Luiz Henrique da Silveira, Udo Döhler chega forte na reta final, cujo resultado é imprevisível, e a diferença será muito pequena. Se a subida nas pesquisas se refletirá nas urnas, domingo saberemos.

Dito isso sobre os dois candidatos a Prefeitura de Joinville, é certo que a empreitada das últimas 48 horas será duríssima para os cardíacos de ambos os lados. Eu já decidi meu voto há muito tempo. Você leitor, se ainda não fez a sua, aproveite nossas considerações aqui no Palavra Livre, converse, discuta, veja novamente quem é quem, suas propostas, se factíveis ou não, e decida seu voto com independência e consciência. Você merece, Joinville merece. Boa sorte à Udo Döhler e Kennedy Nunes. Bom voto a todas e todos!

De volta à ativa

Após me dedicar a campanha eleitoral, comandando a campanha da advogada Roberta Schiessl, retorno à ativa com meu blog. Nesses últimos 90 dias senti falta de fazê-lo diariamente, escrever minhas crônicas, notas, compartilhar notícias importantes da cidade, estado, país e mundo. Mas agora volto, com a mesma energia, e muita, muita coisa para contar aos leitores.

O Palavra Livre é um espaço que permite a todos o debate, o envio de poesias, noticias, convites, enfim, busca ser o mais democrático possível. Esse é o meu jornal diário, livre dos desejos das mídias tradicionais, das pressões de editores, onde posso viajar por todos os segmentos literários, jornalísticos, oferecendo algo mais que interesse do público, e sim, de interesse público.

Obrigado a todos pela paciência, vocês verão que o retorno vale a pena, e que a aparente saída temporária, também!

Minha Crônica, em homenagem aos pais: “Seu Zeny”

Seu Zeny teria hoje 82 anos de idade e muita coisa para ensinar e aconselhar

Demorei a escrever esse texto, até longo, porque não é fácil escrever sobre quem se ama, e infelizmente já perdeu. Neste dia dos Pais, falar sobre seu Zeny é mexer com emoções latentes, emoções guardadas no baú da saudade, da memória. Mas saiu. Compartilho com os leitores do Blog, e assim penso que homenageio a todos os pais, que no dia a dia tentam dar o seu melhor a seus filhos. Feliz Dia dos Pais, e boa leitura!

“Seu Zeny”

A rua Santa Catarina era ainda uma estrada de chão batido, caminho de carroceiros que vinham do planalto norte e seguiam rumo ao sul de Santa Catarina. Áreas essencialmente rurais e ocupadas por descendentes de alemães, que cultivavam a terra, criavam gado, porcos, galinhas, além das famosas arrozeiras que por longos anos produziram o arroz nosso de cada dia. Até na BR 101 existiu a perigosa “curva do arroz” onde muitos se acidentaram e morreram, e onde também está hoje o elevado do Eixo de Acesso sul a Joinville. Naquela região em 14 de novembro de 1929 nasceu um dos seis filhos de Salvador Thomaz da Costa e Georgina Machado Pereira da Costa, a quem eles deram por nome Zeny Pereira da Costa.

Seu Salvador fazia parte do Exército Brasileiro, e foi lhe dada a missão de manter uma escola no quilômetro sete da então estrada Santa Catarina. Ao mesmo tempo, a família trabalhava cuidando da subsistência familiar na roça. Zeny botou a mão no cabo da enxada desde muito novo, e acompanhou seu pai a ensinar ao povo a escrever, ler, fazer contas. Foi aprendendo junto, pois as aulas eram ministradas na casa de seu Salvador. À medida que foi crescendo, ele queria um futuro melhor, e decidiu entao ir para a “cidade”, como hoje se diz que se vai ao centro da cidade. Naqueles tempos, sair daquele ermo para a cidade era uma epopéia! E se virar sozinho então, mais ainda!

Zeny não teve medo. Encarou a Joinville conservadora – muito mais que hoje – de frente. O caboclinho de olhos azuis, cabelos castanhos e crespos, magro como pau de virar tripa, acertou a morada em uma pensão pelos lados da rua Rio Grande do Sul em casa de família. Respeitador e educado, logo conseguiu trabalho na entao fábrica de pentes, cachimbos e leques de João Hansen Júnior, que depois veio a ser a Tigre S/A, fabricante de tubos e conexões reconhecida no mundo inteiro. Trabalhou também na Tricotagem Alfredo Marquardt, e depois na Cipla, onde se aposentou. Com ele era assim: seriedade, contas bem feitas – e de cabeça! – organização, honestidade. O que era dele era dele, e dos outros cuidava melhor que do seu.

Casou cedo com sua primeira esposa, Evoni Hassel, também da região da Anita Garibaldi. Com ela teve cinco filhos: Elzevir, Ernani, Elézio, Eliete e Evelyn. Já morando em uma casa que construiu no Floresta, na rua João Pinheiro 139, Zeny sofreu sua primeira tragédia pessoal: a morte do primogênito, atropelado na rua Santa Catarina nas imediações de onde hoje se localiza a lojas Salfer. Jamais se recuperou do trauma. Mergulhou no trabalho, e nas horas vagas saía a pescar no rio Piraí, e caçar na mesma região onde se criou ao lado do pai e irmãos. Anos depois dessa tragédia, outras viriam. Cuidadoso com seu pai, o trouxe junto com seus irmãos para Joinville, pois o velho Salvador Thomaz sofrera um derrame cerebral e foi parar no fundo de uma cama.

Cuidava de manter as irmãs e seus filhos, que cuidavam no dia a dia do seu pai acamado. Entre 1964 e 1965 perdeu a esposa, a mãe e o pai em um espaço de um ano apenas. Zeny então ficara viúvo e com quatro filhos para cuidar. Não esmoreceu um minuto. Conheceu então a professora de seus filhos que estudavam no colégio estadual João Colin, no bairro Itaum. Dona Isolde Bäher se apaixonou por Zeny. Largou a profissão para assumir um lar que necessitava de uma esposa dedicada. Dessa união nasceram este jornalista, a quem ele deu o nome de seu pai para homenageá-lo, Salvador Tomaz da Costa Neto, e também Zeny Pereira da Costa Júnior, em sua própria homenagem. Para sua tristeza, Júnior nasceu com problemas mentais, um retardo intelectual. Orgulhoso, teve dificuldades de aceitar o fato.

Com todas essas situações dolorosas, duras, Zeny cada vez mais mergulhou no trabalho. Chegou a chefe de custos na Cipla, mas um stress perigoso o levou a ter de se aposentar por problemas de saúde já em 1974. Empreendedor, ele chegou a ser representante da Dudalina, camisaria de Blumenau. Sovina, segurava o dinheiro, mas comprava alguns terrenos na região do Floresta, e teve até um sítio perto de onde seu pai havia vivido. Mais tarde teve outro quando tocou um bar por seis anos, também no bairro Floresta onde viveu até morrer por câncer no estomago em 13 de agosto de 1989 com apenas 59 anos. Com certeza reflexo das emoções e perdas duras que teve, e deixou muitas saudades a todos nós, principalmente para minha mãe, dona Isolde, e seu filho Júnior, que também já nos deixou em 2005 com apenas 33 anos.

Com meu pai aprendi a pegar minhoca para pescar, usar a enxada, a pá, a escolher a forquilha correta nos galhos de goiabeira, para fazer a “xilóida”, a “cetra”, o bodoque para caçar passarinhos. Acompanhei o seu Zeny fazendo gaiolas com gapiruvú, com muita paciência para fazer os furinhos onde colocava as varetas feitas com bambu. Aprendi também a escolher a varinha de bambu certa para fazer a vara de pescaria. E também a usar cipós para trazer o monte de peixes que pescávamos no rio Pirai. Fiz “picada” no mato para chegar aos destinos melhores para caçar e pescar. Carpinei muito terreno na casa, e limpei centenas de vezes o viveiro de pássaros que manteve por longos anos. Até cuidar de uma pequena granja que ele montou eu ajudei. Sempre estive com ele, ao seu lado. O adorava de paixão, mesmo que ele fosse muito machista, duro demais.

Seu Zeny manteve toda a família com muito suor e lutas. Passou ensinamentos a todos igualmente, mas como em todas as famílias, nem todos seguiram seus ensinamentos. Eu segui. Nem todos, mas segui. Com meu pai fui várias vezes votar – ele era Arenista – e também ia a todos os jogos do Caxias que ele me autoriza ir junto, além do Jec no Ernestao. Íamos juntos ao cemitério municipal no dia de Finados, todos os anos, e a pé. Tudo era bacana ao lado dele. Ele não achava legal ganhar beijos e abraços do filho. Mas sempre insisti, beijando sua careca. Ficava ao seu lado quando menino, olhando-o ler o jornal. Peguei gosto pela leitura com ele. Hoje sou jornalista. Ele queria que eu fosse contador, administrador, trabalhasse em escritório. Não me deu apoio ao sonho de ser jogador de futebol. Ele queria o melhor para mim, tenho certeza.

Hoje sou pai de três filhos naturais que tive do meu primeiro casamento, e de uma menina linda da minha mulher e companheira Gi Rabello, que tomei emprestada e quero passar meus princípios, que aprendi com ele, o seu Zeny. Gabriel, João Pedro e Lucas hoje não querem falar comigo. Sou um pai órfão dos filhos. Mas esse é assunto para outra crônica. A eles passei a educação que tive, de honradez, integridade, honestidade, respeito ao próximo, de trabalho e luta, de estudos sempre. Tenho certeza que passei o mais importante, e passo ainda hoje com exemplo de vida, dia a dia, como um homem deve ser nesta passagem pela Terra. Aprendi com ele, o seu Zeny, meu pai, grande pai!

Neste dia 13 de agosto completam-se 23 anos da perda dele em nossas vidas. Já estamos mais tempo sem ele ao nosso lado do que o tempo que convivemos juntos. Sua esposa e minha mãe, dona Isolde, ainda fala dele com carinho e saudade. Mas a intensidade com que vivemos juntos, mesmo sendo ele um homem duro, endurecido pelas tragédias pessoais, e da luta pela vida e por um lugar melhor, foi tão forte que ele é presente a todo tempo. A saudade aperta várias vezes meu coração, choro como criança várias vezes em que lembro dele. Ainda hoje vou ao sítio em que vivemos bons tempos, comendo goiabas, abacates, dormindo no rancho à base de lampião, comendo peixe frito com farinha, e tomando café feito como os tropeiros faziam.

Neste dia dos Pais, em que ele nos deixou bem ao meio dia – jamais esquecerei disso – escrevo essa crônica para homenagear a todos os pais, de todos os lugares, classes sociais, raças, credos, enfim, a todos sem distinção. Falar dele é uma honra para eu, seu filho, porque não há nada que o desabone, e sua conduta e exemplo são lembrados até hoje por seus amigos que ainda vivem pelo bairro Floresta e região. Guardo comigo uma foto emblemática do seu amor por mim, e eu por ele. Eu com uma canequinha, enchendo de água e jogando fora – hoje seria enquadrado pelo desperdício! – e seu Zeny ao meu lado, agachado, com a mão sobre mim.

Seu carinho e amor marcaram minha alma, e tento honrá-lo todos os dias, em todos os lugares, e todos os momentos. Beijos seu Zeny, meu pai amado, Deus certamente está feliz com tua presença ao seu lado, e tenho absoluta certeza que estás a cuidar de seu filho que escreve essa crônica, da sua nora Gi, da neta Rayssa, dos netos Gabriel, Lucas e João Pedro. Tua luz e teu exemplo ficaram gravados para sempre em nossos corações. Beijo enorme seu Zeny, meu pai!

Prefeitura divulga resultado do Simdec 2012 – Edital de Apoio à Cultura

A Fundação Cultural de Joinville (FCJ) divulga nesta sexta-feira (06/07) a lista dos aprovados pelo Edital de Apoio à Cultura 2012 do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec). O Edital recebeu neste ano, a inscrição de 279 projetos. Deste número, 122 projetos foram contemplados nas 31 modalidades:

Ações afirmativas em cultura (09 inscritos); Coletiva de Artistas (16 inscritos); Artes Visuais – Projetos Coletivos (04 projetos); Artesanato (9 inscritos); Roteiro Cinematográfico (11); Produção audiovisual (30); Blocos Carnavalescos (03); Escolas de Samba (05); Circo (02); Comunicação em Cultura (05 inscritos); Cultura Popular (23 inscritos); Circulação de Espetáculos (16); Dança (13); Design (06); Experimentação artísticas (04); Formação em Cultura (07); Hip Hop (03); Intercâmbio Cultural (05); Livro e Leitura – Ficção (12); Livro e Leitura – Não Ficção (08); Canto Coral (05); Música Erudita (08); Música Popular (47); Bandas Marciais e Fanfarras (03); Oficinas Culturais (20); Patrimônio Cultural (04); Exposições e projetos museológicos (01 inscrito); Pesquisa em Cultura (05); Concurso de Monografia (01 projeto), Teatro (05) e Dramaturgia para teatro (03 inscritos).

Todas as modalidades do Edital 2012 receberam projetos, incluindo as novas modalidades: Comunicação em Cultura, Design, Formação em Cultura e Intercâmbio Cultural. Apenas as modalidades de “Bandas Marciais e Fanfarras” e “Exposições e Projetos Museológicos” não tiveram projetos contemplados. O valor destinado ao Edital este ano foi de R$ R$ 1.154.000,00, sendo que o valor de R$ 1.128.060,68 serão distribuídos entre os projetos aprovados. O restante do recurso será destinado ao Fundo Municipal de Incentivo à Cultura.

Os proponentes contemplados terão até o final do ano para a execução dos projetos. O próximo passo para os proponentes que tiveram seus projetos aprovados, é o contato com a executiva do Simdec, para a orientação de assinatura do contrato e abertura da conta. Os cheques com os recursos serão entregues no dia 16 de julho, a confirmar o local e horário.

Após a entrega dos recursos, os proponentes serão convidados a participar de uma reunião com a executiva do Simdec e da FCJ para as orientações de procedimento, como a utilização dos recursos e a prestação de contas, que necessita do relatório financeiro e técnico.

Uma das novidades do Simdec para este ano, foi a possibilidade de inscrição online dos projetos, onde o proponente acessava o Portal da Prefeitura Digital e preenchia os formulários do projeto. Apesar da facilidade deste processo, a maioria dos proponentes optaram em realizar suas inscrições pelo método antigo. O Mecenato Municipal 2012 recebeu a inscrição de 180 projetos. Estes projetos seguem em análise pela Comissão de Avaliação de Projetos – CAP. A lista dos aprovados está disponível no site www.simdec.com.br.

Confira a lista dos aprovados do Edital 2012:

Modalidade: Ações Afirmativas em Cultura

Protocolo Projeto Proponente Valor
027/2012 Braille para Todos AJIDEVI – Ass. Joinv. Para Integ. Dos Deficientes Visuais 7.881,40
173/2012 Despertando Talentos Maduros Lucinir Pereira Ferreira 8.000,00
248/2012 DiverCidade 2 – Ações Afirmativas para o Desenvolvimento da Cultura e Cidadania Windson Rodrigues Prado de Moraes 8.000,00
418/2012 Oficina de Teatro para Pessoas com Deficiência Física Valmir Neitsch 8.000,00

 

Modalidade: Coletiva de Artistas

Protocolo Projeto Proponente Valor
023/2012 42ª Coletiva de Artistas Sonia Maria Rosa dos Santos 4.000,00
083/2012 42ª Coletiva de Artistas Anderson Antunes Alberton 4.000,00
080/2012 42ª Coletiva de Artistas Ronaldo Diniz da Silva 4.000,00
094/2012 42ª Coletiva de Artistas Fernanda Cláudia Zimermann 4.000,00
219/2012 42ª Coletiva de Artistas Murilo Rafael dos Santos 4.000,00
035/2012 42ª Coletiva de Artistas Renato Veiga de Almeida Júnior 4.000,00
060/2012 42ª Coletiva de Artistas Alessandra Cristina Mello dos Passos 4.000,00
209/2012 42ª Coletiva de Artistas Juliano Jahn 4.000,00
175/2012 42ª Coletiva de Artistas Cyntia Werner 4.000,00
237/2012 42ª Coletiva de Artistas Sérgio Adriano Dias Luiz 4.000,00
033/2012 42ª Coletiva de Artistas Priscila Lemos dos Anjos 4.000,00

 

Modalidade: Artes Visuais/Projetos Coletivos

Protocolo Projeto Proponente Valor
011/2012 Performance Áudio Visual Estereoscópica- ESTEREÓPTICO Leandro Manoel Mendes 15.000,00

 

Modalidade: Artesanato

Protocolo Projeto Proponente Valor
154/2012 Pequenas mãos entrelaçadas aos fios – A arte de tecer bonecas Gisele Becker 5.000,00
452/2012 Oficina de Arte e Capacitação de Pintura em MDF Ass. Ecos de Esperança 4.991,50
066/2012 Arte e Vida Sandra Raquel de Liz Calegari 4.962,00

 

Modalidade: Roteiro Cinemtográfico

Protocolo Projeto Proponente Valor
445/2012 Vento Nordeste Claudionei Frnandes 4.000,00
366/2012 Joinville em Perspectiva Sara Kemelin 4.000,00
297/2012 Joinville Entreatos Marilia Gervasi Olska 4.000,00
098/2012 João ou Maria Fabricio Porto 4.000,00
003/2012 O Menino Gurilo Fabio Porto 4.000,00

 

Modalidade: Produção Audiovisual

Protocolo Projeto Proponente Valor
215/2012 Um dia na escola – Vivências e memórias dos estudantes da Escola Municipal Estrada Blumenau Sonia Regina Reis Pegoretti 20.550,00
243/2012 Quem morou nesse morro? Roberta Meyer Miranda da Veiga 30.000,00
348/2012 Escrita livre Liliane Pólvora do Rosário 30.000,00

 

Modalidade: Blocos Carnavalescos

Protocolo Projeto Proponente Valor
149/2012 Bloco Carnavalesco Grefaloucos – Carnaval Joinville 2013 Adriano Lorenzeti 3.000,00

 

Modalidade: Escola de Samba

Protocolo Projeto Proponente Valor
139/2012 Gres Unidos pela Diversidade Jackson de Oliveira 12.000,00
214/2012 Serrinha Carnaval 2013 Jair de Limas Matias 12.000,00
292/2012 Desfile Escola de Samba Príncipes do Samba/Carnaval 2013 Lucia Nara Ferreira 12.000,00
172/2012 Desfile da Escola Fusão do Samba 2013 Edelir Maria Cardoso Rosa 12.000,00

 

Modalidade: Circo

Protocolo Projeto Proponente Valor
384/2012 Projeto Show dos palhaços Tampinha e Linguiça Kimberly Anahi Arce Neves 10.000,00

 

Modalidade: Comunicação em Cultura

Protocolo Projeto Proponente Valor
050/2012 Programa Conto do Vigário Talita Jordina Rodrigues 3.000,00
427/2012 Jornalismo Cultural em Cena Gleber Luis Pieniz da Silva 3.000,00
188/2012 Educom Joinville Patricia Zimermann 6.000,00

 

Modalidade: Cultura Popular

Protocolo Projeto Proponente Valor
040/2012 18ª Festa da Polenta de Joinville – SC Grupo de Desenv. Da Mulher Rural – Santo Antônio 8.000,00
164/2012 Novembro Cultural  – Mostra Popular do Itinga Assoc. dos Moradores e Amigos do Bairro Itinga – AMORABI 8.000,00
282/2012 Grupo Cultural Raio do Sol Aline Senem Machado 7.710,00
102/2012 Projeto Axé na Roda Capoeira Sergio da Silva França 8.000,00
320/2012 1º Encontro Joinvilense de Tatuadores & Art Tattoo Gessiel Duarte Farias 8.000,00
025/2012 Festa do Tiro Rei dos Reis Anemarie Grawe 8.000,00
275/2012 Projeto Ginga Jovem Capoeira Clodoaldo Maia 7.980,00
213/2012 Aniversário do Kênia – Samba que Encanta Zelância Custódio da Costa 8.000,00
114/2012 Qualificação, Expansão e manutenção das atividades do Grupo Morro do Ouro de Maracatu de Baque Virado Eduardo Augusto de Carvalho Sanches 8.000,00
256/2012 Aulas de Capoeira – Jogo e Ginga Alice Mercedes de Oliveira Stupp 8.000,00
432/2012 Valorização e Reconhecimento da Presença da Cultura Africana através da Dança Sonia Maria da Silva 7.600,00
458/2012 Hanamachi Roger Bezerra Candido 8.000,00

 

Modalidade: Circulação de Espetáculos

Protocolo Projeto Proponente Valor
055/2012 Circulação Show Seu Brasilino Domiciano Lopes de Souza 10.000,00
061/2012 Compassolivre Leve e Solto – Espetáculo nas Escolas Mariana Calegari 9.410,00
231/2012 Circulação do Espetáculo Colcha de Retalhos Amarildo Cassiano da Silva 10.000,00
246/2012 Circulação “Interferências dos Encontros” Letícia Flávia de Souza 10.000,00

 

Modalidade: Dança

Protocolo Projeto Proponente Valor
221/2012 Projeto Dança In Foco Darling Leuren Jean Quadros 18.000,00
392/2012 Ida Y Vuelta Adriana Alves Vieira 17.989,40
232/2012 Produção Cênica dos Espetáculos “Ki-Chá” e “Fragmentos 299” Amarildo Cassiano da Silva 18.000,00
136/2012 Dança mais Dança: Do Break ao Clássico Centro de Educação Recanto dos Querubins 18.000,00
329/2012 Com-posições. Planos para Criação do (in) comum Erika Rosendo de Freitas Lima 18.000,00

 

Modalidade: Design

Protocolo Projeto Proponente Valor
052/2012 O Uso de Técnicas de Design para aplicar as cores e formas de Joinville no artesanato local Maria Odete Duarte Stahn 6.000,00

 

Modalidade: Experimentação Artística

Protocolo Projeto Proponente Valor
328/2012 Laboratório de artes do corpo Erika Rosendo de Freitas Lima 4.000,00
170/2012 Uma escada para João (Da Cruz e Sousa) Iraci Seefeldt Correia 4.000,00
245/2012 “Pequeno esboço de memórias: uma experiência em vídeo-dança” Letícia Flávia de Souza 4.000,00

 

Modalidade: Formação em Cultura

Protocolo Projeto Proponente Valor
367/2012 Oficinas de consciência corporal para dança e teatro Maria Barbosa Peixoto Fortuna 8.000,00
163/2012 Oficina de introdução ä produção cultural AMORABI 8.000,00
367/2012 Alfabetização cultural: a cultura que transforma Fundação Padre Luiz Facchini Pró Solidariedade e vida 8.000,00

 

Modalidade: Hip Hop

Protocolo Projeto Proponente Valor
405/2012 4ª Batalha CHHAI Juliana Regina Crestani 8.000,00

 

Modalidade: Intercâmbio Cultural

Protocolo Projeto Proponente Valor
115/2012 Grupo Morro do Ouro na Noite do Dendê – Vivência com a Nação do Maracatu Porto Rico Eduardo Augusto de Carvalho Sanches 3.000,00
085/2012 Master Class e Recital em Resende, RJ Marcus Baer Llerena 3.000,00
145/2012 Intensivo cores naturais etno botânica Mariluci Kersten 2.535,00
013/2012 VJ Vigas – LPM Festival – México Leandro Manoel Mendes 3.000,00
129/2012 Roda Capoeira Juliano Dittrich Ramos 3.000,00

 

Modalidade: Livro e Leitura – Ficção

Protocolo Projeto Proponente Valor
155/2012 O catador de memórias Alberto da Silva Ferreira Filho 9.000,00
190/2012 Memórias de uma jornalista distraída Vanessa Bencz 9.000,00
179/2012 Fritz – um sapo nas terras do príncipe Jurandy de Arruda Neto 9.000,00
402/2012 Chuva sobre Sarajevo Wilka Seto-Gehlen 9.000,00
034/2012 Causos de minha cidade Wilson Gelbcke 9.000,00
001/2012 Os estranhos Jaqueline de Mello 11.963,50

 

Modalidade: Livro e Leitura – Não Ficção

Protocolo Projeto Proponente Valor
269/2012 O Amor e o Divã Centro de Estudos do Campo Lacaniano de Joinville – CECJL 9.000,00
216/2012 A narrativa visual na literatura infantil brasileira – histórico e leituras analíticas Sonia Regina Reis Pegoretti 11.992,50

 

Modalidade: Canto Coral

Protocolo Projeto Proponente Valor
092/2012 CD “Quinze prá Noite” Babado de Saia Karine H.E. Zehnpfennig 8.000,00
072/2012 I Cavalieri Cantanti (Os Senhores Cantantes) Verginio Tontini 8.000,00
273/2012 Coral da Lírica – Manutenção Sociedade Cultural Lírica 8.000,00

 

Modalidade: Música Erudita

Protocolo Projeto Proponente Valor
240/2012 Compassolivre à Luz de Velas Mariana Calegari 7.945,00
335/2012 Tubos Musicais Exóticos Isaque de Souza Costa Leão 8.000,00
105/2012 Orquestra Prelúdio, Jovens Talentos Rafael Daniel Huch 8.000,00
084/2012 Turnê de Concertos – Espanha 2012 (Música do Brasil Império aos nossos dias) Marcus Baer Llerena 15.000,00
287/2012 Música Brasileira – Camerata Dona Francisca Tobias Schroeder 17.000,00

 

Modalidade: Música Popular

Protocolo Projeto Proponente Valor
051/2012 Programa Achados e Perdidos Talita Jordina Rodrigues 7.000,00
111/2012 Under the Sun Daniel Ramos Henriques 3.501,00
238/2012 Acústico no Museu Paulo Leandro da Silva Oliveira 7.995,00
116/2012 Songbook crioula Robson Eduardo de Oliveira 7.960,00
009/2012 Todas as Manhãs do Mundo Ronaldo José de Espindula 7.816,38
306/2012 Edu Hoffmann Eduardo Carlos Hoffmann 8.000,00
395/2012 Impressões Musicais – 3ª edição Alex Reimann Martins 15.000,00
021/2012 Songbook Nossos Compositores Pioneiros Crele Cristina da Costa 14.798,00
110/2012 Origens: Meu ouro, meu gene Cledemilson da Silva 13.760,00
141/2012 Bailando no som Orimar Hess Junior 13.800,00
295/2012 Videoclipe de “Marionetes”do SOMAA Rafael Bello Zimath 15.000,00
020/2012 CD – Quarteto Sambaqui Raimundo José Bernardes 15.000,00
304/2012 Chorinho nas escolas Flávia Carolina Bandeira 14.900,00
439/2012 Gravação de Clipe Musical Dona Chica Rafaela de Oliveira Ventz 15.000,00
249/2012 Jam no Maj 2012- Jazz no Jardim do Museu de Arte de Joinville Eliana Terezinha Ignácio (Lily Blumerants) 15.000,00

 

Modalidade: Oficinas Culturais

Protocolo Projeto Proponente Valor
398/2012 Curta um curta – Capacitação e Produção de cinema digital  nos bairros de Joinville Henrique Tobal Neto 8.000,00
356/2012 Projeto Oficina Teatral Corpo Expresso Juliana Yara Araujo 8.000,00
293/2012 1ª Oficina de Carnaval da Escola de Samba Príncipes do Samba Elexandro Arcanjo de Melo 8.000,00
015/2012 Caminhando e Cantando Francisco Ferreira de Assis 7.550,00
260/2012 Oficina de Confecção de Monjoló – Adorno Típico afro-brasileiro Cristiano da Costa 8.000,00
268/2012 Oficina de iniciação teatral na comunidade Graziela de Sousa 8.000,00
336/2012 Craspoeira Leandro Pacheco Gonçalves 8.000,00

 

Modalidade: Patrimônio Cultural

Protocolo Projeto Proponente Valor
241/2012 Sistema para Digitalização do Acervo do Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville e do Museu Casa Fritz Alt Fundação Educacional da Região de Joinville FURJ/UNIVILLE 10.000,00
285/2012 Álbum de Retrofotografias de Joinville: retratos de uma cidade vivida e por viver Cibele Dalina Piva Ferrari 10.000,00
227/2012 Restauro de móveis antigos(componentes da casa enxaimel, rua Aranranguá, 53) Victor Cavinatto 33.550,00

 

 

Modalidade: Pesquisa em Cultura

Protocolo Projeto Proponente Valor
081/2012 Fragmentos de Cenas Edson Burg 5.000,00
165/2012 Desvelando Histórias: pesquisa exploratória sobre o bordado em Joinville a partir do acervo do Museu Nacional de Imigração Ana Luiza Gern 6.000,00
270/2012 Cartografia das Comunidades de Candomblé de Joinville/SC Samantha Weber Ferreira 6.000,00

 

Modalidade: Concurso de Monografia Adolfo Bernardo Schneider

Protocolo Projeto Proponente Valor
107/2012 Olhares Contemporâneos sobre a Serra Dona Francisca Gustavo Grein da Silva 8.000,00

 

Modalidade: Teatro

Protocolo Projeto Proponente Valor
181/2012 Uma vida longa com amor, sexo e esclerose Patrícia Zimmermann 18.000,00
168/2012 Montagem do espetáculo “Vontade de ser mulher” Iraci Seefeldt Correia 12.920,00
280/2012 O Ateneu Eliane Maria Nunes Ramin 18.000,00
182/2012 (R)Existência (Remontagem) Sabrina Lengler Lermen 18.000,00
393/2012 Pastel Franciele Dias Dordet 18.000,00

 

Modalidade: Dramaturgia para Teatro

Protocolo Projeto Proponente Valor
197/2012 Sagrado – Profano em Dramaturgia José Luis dos Santos 4.000,00
153/2012 Do navegador Américo à pescadora América: a vida diante do mar Gisele Becker 4.000,00

 

Estreia do Xeque Mate foi show, obrigado amigos!

Estúdio: cenário bonito e moderno na entrevista de estreia com o prefeito Carlito Merss

Olá pessoal, quero agradecer imensamente a todos que acompanharam, ajudaram, apoiaram, divulgaram, enfim, estiveram junto comigo nesta nova empreitada iniciada ontem na TV Babitonga Canal 9 da NET Joinville, com o programa de entrevistas Xeque Mate. Iniciando pelo amigo Roger Santos, diretor da TV, que me fez o convite, incentivou, criou o nome, a arte, pensou cenário junto comigo, enfim, me arregimentou do mundo da comunicação para um novo desafio, valeu mesmo Roger, e olhe que estamos apenas começando!

Para a equipe do Roger, com o Baio, Fininho, Tiago, Elton Guerra, Floco, enfim, tantos outros que não lembro o nome e ainda estou conhecendo, valeu a força e empenho, vamos continuar assim moçada! Ao Eduardo Lima, estrela da TV, que incentiva e acredita no potencial do programa, um forte abraço também! Ao Jones da Publicity, que ajudou na construção do cenário, valeu amigo! Para Fabiana Vieira, grande amiga e companheira de profissão, que em 24 horas ajudou a trazer o prefeito Carlito Merss para o primeiro programa Xeque Mate, uma coisa difícil para um momento pré-eleitoral, correria é grande. Muito obrigado Fabi!!

Obrigado também ao entrevistado Carlito Merss, que não fugiu das perguntas embora pressionado, respondendo várias perguntas duras, cobranças dos amigos e leitores deste Blog que mandaram diversas perguntas – tinha mais de 50 – boas, importantes, e ele não reagiu contra, foi muito legal. O cenário ficou muito bonito, e pelo que já ouvi quem assistiu, gostou! E finalmente agradecer a minha amada Gi Rabello, minha mulher, companheira, e produtora, inclusive fotógrafa do primeiro programa, por seu carinho, dedicação, apoio e carinho, você é minha luz, obrigado com muitos beijos amada!

Momentos antes de entrar no ar, ao vivo, arrumando microfones em alto astral

Então, anotem aí: o programa Xeque Mate é apresentado ao vivo as segundas e quintas-feiras as 21 horas na TV Babitonga, Canal 9 da NET Joinville. Há horários alternativos a partir de semana que vem, às terças e sextas 13 horas, e domingo 11 horas. Ou seja, quem não viu no horário, pode ver nos alternativos. Na segunda-feira (2/7) vamos falar do tema palpitante na economia e sindicalismo do momento: a crise da Busscar.

Quem vai pro tabuleiro comigo é Evangelista dos Santos, presidente do Sindicato dos Mecânicos de Joinville e Região. Vamos saber o que está por trás de todo esse problema, essa crise que envolveu mais de cinco mil famílias. Não perca, segunda-feira, 21 horas. Mande suas perguntas pelo email imprensa@salvadorneto.com.br. Obrigado também a todos os telespectadores pela audiência, é para vocês que esse programa é feito com todo o carinho e cuidado, pela boa informação e jornalismo sério, centrado e de interesse público. Obrigado!!!