De operador de som a palestrante, Edinho Negão divide sua história com as pessoas

palavralivre-divulgacao-edinho-negaoO mundo é uma ferramenta que se mantém o tempo todo em transformação. A nossa passagem por este planeta maravilhoso tem tudo para ser um grande sucesso, apesar das adversidades que criamos.

Nós nascemos grandes, plenos, absolutos na busca de nossos sonhos.Então porque muitos de nós não alcançamos o almejado sucesso?

O que falta para que possamos buscar a tal da felicidade? Como e de onde tiramos forças quando se está no fundo do poço? Todas às respostas moram em nós, carregamos conosco todas as doenças e todas as curas também.

Edson do Espírito Santo, o famoso comunicador das rádios joinvilenses conhecido como Edinho Negão, resolveu levar para os palcos a sua história de vida, mais de 30 anos dedicados ao rádio e todas as formas de comunicação, com a palestra “Evoluir Apesar de Tudo”.

Como despertar quem está dormindo e poder ser de extrema importância para empresa? Motivar é uma arte incrível, um dom uma construção diária que sempre deverá estar disponível para o outro.

Edinho Negão convida você para um momento lindo onde dividiremos histórias e sentimentos. Vamos rir, refletir e principalmente recriar nossos momentos dentro da vida. A comunicação bem aplicada com diálogo fácil é algo inesquecível.

Sonhar é tão possível quanto realizar, é preciso caminhar ao encontro de seus ideais, só você pode suavizar seu caminho. Novos dias, novas atitudes, novas possibilidades, está ai, tudo dentro de você.

Sobre Edinho:
Locutor renomado com quase 30 anos de Rádio em Joinville – SC, Edinho Negão passou por todos os sistemas dentro da radiodifusão. Iniciou como Operador de som em 1986, de onde caminhou para realização de um sonho; se tornar um grande Locutor.

O sonho seria realizado em 12 de Junho de 1987 quando colocou pela primeira vez sua voz em um microfone, este da Rádio Floresta Negra 103,1 FM.

Profissional competente que, por onde passa deixa sua marca registrada;  sentir-se feliz com a evolução do outro.

O ápice como profissional chegou em 1999 quando conquistou a Coordenação Artística da Rádio Transamérica FM 91,1 Joinville. O sucesso foi extraordinário. Com uma das maiores equipes do Rádio joinvilense o trabalho explodiu, tanto como Coordenador como Locutor. Atualmente Edinho é comunicador da Rádio 89 FM, líder do ibope em Joinville.

Dono de uma biografia incrível, Edinho Negão acredita que chegou a hora de dividir toda essa experiência adquirida com profissionais e com a sociedade.

A palestra, dividida em três temas, vai muito além de termos técnicos. Retrata a história de nossa vivência diária, seja pela alegria, conquistas e felicidades ou, pela dor. A idéia é transportar você para o palco num turbilhão de emoções e aprendizado mútuo.

Além da alegria de dividir experiências absolutamente fantásticas, todas as palestras vendidas terão 30% de seu valor total revertidos a dois projetos sociais:

“Boleiros do Bem” – Grupo que trabalha promover datas especiais como Dia das Crianças e Natal, além de ajudas esporádicas a Idosos e Doentes.

“Torcedor Solidário” – Projeto encabeçado por Karpanno Mello, já consolidado em Joinville, este projeto leva muitas alegrias aos que realmente necessitam.

Os contatos de Edinho Negão são os seguintes:

Redes Sociais:
Facebook: www.facebook.com/edinhonegaooficial

Instagram: @edinhoes

Twitter: @edinhoes_

Site: www.edinhonegaooficial.com.br

Linkedin: www.linkedin.com/in/edinhonegao

Com informações de Edinho Negão e Blog Dona Moda

ProUni oferece mais de 203 mil vagas no ensino superior

PalavraLivre-ProUni-vagas-universidadesAs inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) 2016 estão abertas a partir desta terça-feira (19), com a oferta de 203.602 vagas. Em relação a 2015, o número de cursos aumentou de 30.549 para 30.931.

As inscrições do ProUni podem ser feitas até as 23h59 (horário de Brasília) da próxima sexta-feira (22). A primeira chamada ocorrerá no dia 25 de janeiro.

O ProUni é um programa do Ministério da Educação, criado pelo governo em 2004, que oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

ProUni

Houve redução de 4% no total de vagas ofertadas no ano passado (213.113). Sobre essa retração, o Ministério da Educação explica que 97 instituições de ensino superior que eram ofertantes do ProUni em 2015 estão impedidas de participar do programa em 2016.

Isso ocorre porque essas instituições tiveram nota de avaliação institucional inferior a 3 e, portanto, estão sob situação de supervisão por parte do MEC.

A exigência de nota que comprove qualidade para participar do ProUni e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) atinge 347 instituições, que estão impedidas de participar desses programas e estão sob supervisão do MEC.

Por outro lado, em 2016 houve um aumento de 10,9% nas vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em relação a 2015, totalizando 228.071. Nesta edição, o sistema registrou 2.712.937 inscritos. Os candidatos não-selecionados têm até o dia 29 deste mês para manifestar interesse em participar da lista de espera.

O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Quem pode participar do ProUni?

  • Estudantes egressos do ensino médio da rede pública.
  • Estudantes egressos da rede particular, na condição de bolsistas integrais da própria escola.
  • Estudantes com deficiência.
  • Professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

    Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

    Fies
    As inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ocorrerão entre os dias 26 e 29 de janeiro. O total de vagas será divulgado em breve pelo MEC. O Fies é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em cursos privados.

Com informações do MEC

Livro “A arte da guerra – desperte o Sun Tzu que existe em você”, será lançado nesta terça (17) em Joinville (SC)

Paulo é coach e co-autor do livro que já é sucesso no Brasil
Paulo é coach e co-autor do livro que já é sucesso no Brasil

Não é nada fácil construir uma carreira profissional exitosa, e ao mesmo tempo manter uma vida pessoal saudável e feliz. Em tempos de crise, as dificuldades se acentuam.

Para enfrentar essas realidades e conquistar o sucesso, vários autores se debruçaram sobre o tema liderança e escreveram o livro “A arte da guerra – desperte o Sun Tzu que existe em você”.

Entre eles está o consultor e coach joinvilense Paulo Rubens Sousa. Paulo Rubens Sousa é professional & self coaching com certificação internacional pela European Coaching Association (ECA), pela Global Coaching Community (GCC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching desde 2011.

Analista Comportamental, Terapeuta Junguiano há mais de 20 anos, Paulo estudou psicologia na PUC/SP, é bioquímico formado pela USP, e também pesquisador de plantas medicinais e aromáticas desde 1987. Nascido em Fortaleza (CE), mora em Joinville (SC) há mais de 15 anos onde mantém o Equilíbrio – Centro de Desenvolvimento Humano (http://www.equilibriocdh.com.br).

Paulo lançará esta obra em Joinville (SC) no próximo dia 17 de novembro (terça-feira) às 19 horas na Estação da Memória (Estação Ferroviária) – rua Leite Ribeiro s/n no bairro Anita Garibaldi.

Ele fará uma pequena palestra sobre o tema. Paulo Rubens, ao lado de outros grandes mestres da atualidade que mostram como utilizar ensinamentos milenares para definir suas metas pessoas e profissionais, traçar estratégias e sair vitorioso das batalhas, compartilha parte de sua experiência de 26 anos na profissão com um artigo intitulado “A maestria como fator estratégico na arte de orquestrar estratégias”.

O livro teve a coordenação de Daniel de Carvalho Luz, Irineu Toledo e Mauricio Sita, tem 360 páginas e foi editado pela Ser Mais Editora. O livro será vendido no local.

O que é e o que faz um coach?
O Coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Pode ser considerado um treinador que assessora o cliente (coachee), levando-o a refletir, chegar a conclusões, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos.

A essência do coaching está em fornecer suporte para uma pessoa mudar da maneira que deseja, assim como auxiliar a seguir a direção desejada. O coach não precisa ser um especialista na área de atuação de seu cliente. O coaching cria consciência, potencializa a escolha e leva à mudança.

Um profissional de Coaching deve ter conhecimentos em comportamento humano, mudança, negócios e principalmente em seu nicho de atuação. Em reuniões que são sessões sejam elas, semanais, quinzenais ou mensais o coach aplica técnicas, ferramentas e um questionamento poderoso para mobilizar seu cliente(coachee) a entrar em ação para atingir suas metas e acelerar os resultados em sua vida. O Coach está focado em liberar o potencial e maximizar a performance dos indivíduos na vida pessoal e profissional.

O que é coaching?
Um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas ciências como a administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência, linguagem ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto, seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro.

Trata-se de um processo que produz mudanças positivas e duradouras em um curto espaço de tempo de forma efetiva e acelerada. Coaching significa tirar um indivíduo de seu estado atual e levá-lo ao estado desejado de forma rápida e satisfatória.

O processo de Coaching é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de aumento da autoconfiança, de quebrar barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo e alcançar suas metas de forma objetiva e, principalmente, assertiva.

Conduzido de maneira confidencial, o processo de Coaching é realizado através das chamadas sessões, onde um profissional chamado Coach tem a função de estimular, apoiar e despertar em seu cliente, também conhecido como coachee, o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que deseja.

Quem é Paulo Rubens de Sousa?
Paulo Rubens de Sousa é Professional & Self Coaching com certificação internacional pela European Coaching Association (ECA), pela Global Coaching Community (GCC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching desde 2011. Analista Comportamental, Terapeuta Junguiano há mais de 20 anos. Estudou Psicologia na PUC/SP. É Bioquímico formado pela USP, pesquisador de plantas medicinais e aromáticas desde 1987. Reiki Master desde 1988. Mora em Joinville há 16 anos onde mantém o Equilíbrio – Centro de Desenvolvimento Humano, promovendo atendimentos, palestras e estudos sobre o tema.

Oportunidades: Empresas europeias oferecem emprego para quem fala português

Um número cada vez maior de empresas europeias passa a oferecer vagas para pessoas fluentes em português. Em sua maioria, um nível avançado de inglês ou espanhol também é requisitado.

As oportunidades são em diversas áreas, como nos anúncios publicados em diversos meios de comunicação, no Brasil e em Portugal. Vagas em aberto:

Hays Specialist Recruitment – Amsterdã, Holanda
Empresa multinacional – que também possui vagas no Brasil, diga-se de passagem – em busca de analista de dados cuja função será, além da análise de dados, criar relatórios. Os interessados devem possuir Ensino Superior completo em Ciências da Computação e experiência na área.

L’Occitane en Provence – Paris, França
Na cidade da luz, uma das vagas é a de gerente de varejo na famosa marca de cosméticos L’Occitane, onde o profissional gerenciará e acompanhará uma equipe internacional. É obrigatório ser fluente em inglês e português (ou japonês/chinês) também é muito desejável. Quem se interessar deve possuir experiência na área em questão e domínio do pacote Office.

Kaplan International English – Londres, Reino Unido
Em Londres, a vaga oferecida pela empresa KIE é de Assistente de Marketing. Dentre outras funções, o candidato deverá criar conteúdo para o blog, traduzir textos de vendas para o português ou espanhol, coordenar projetos e apoiar na implementação de conteúdo para redes sociais. É requisitado alguma experiência na área de Marketing, português e inglês fluente e conhecimento de Photoshop e Design é um diferencial. Segundo a própria companhia, esta é uma excelente oportunidade para Analistas de Marketing Junior.

TomTom – Barcelona, Espanha
Mais uma empresa que atua em vários países, incluindo o Brasil. A TomTom está a procura de alguém com experiência em Atendimento ao Cliente. O contrato para a vaga é de 6 meses, onde o profissional deverá fornecer informações e suporte técnico através de diversos canais (telefone, e-mail, chat, redes sociais). É necessário que saiba manusear navegadores (Internet Explorer, Mozilla), possua boa escrita e experiência na área.

Com informações do Correio do Brasil

Alienação Parental, saiba mais sobre essa prática criminosa

A alienação parental, como já amplamente esclarecido é praticada pelos guardiães, sendo este, na grande parte das vezes, um processo iniciado de forma intra família, tendo o genitor alienador como intenção excluir o genitor alienado da vida do filho comum, confundindo os conceitos de conjugalidade com parentalidade.

Habitualmente esse comportamento não se restringe ao âmbito familiar, pois utilizar-se do círculo extenso da família e dos amigos é comportamento comum do alienador para trazer aliados que confirmem e apoiem sua forma de agir.

Fazer de familiares e amigos próximos e comuns ao ex-casal, cúmplices de sua jornada, é o primeiro passo para a extensão direta da alienação parental, enganando-se quem pensa que a alienação só se dá com o filho comum. Transforma-se em um apartheid, uma divisão entre meus e seus. Minha família X sua família, meus amigos X seus amigos, profissionais de minha escolha X profissionais de sua escolha.

Neste jogo perverso o alienador se utiliza ainda das instituições próximas do menor para de alguma forma auxiliá-lo no afastamento do outro, podendo algumas ser nomeadas como a escola, os médicos, psicólogos e outras, como se verá a seguir:

A escola é o local, longe de casa, onde as crianças mais tempo passam. Teoricamente um local neutro, sem provocações, sem disputas, sem a ostensiva necessidade de escolha entre um e outro genitor. No entanto, na prática, não é dessa forma que acontece.

Independentemente do tipo de guarda que se pratique, seja a unilateral, a compartilhada ou a alternada, existe tanto com a instituição de ensino, como com cursos extra curriculares um contrato que é assinado na maioria das vezes por um único genitor. E aí se inicia o problema.

O contrato de prestação de serviços e de responsabilidade financeira, transforma-se em uma arma nas mãos do genitor mal intencionado quando o mesmo afirma junto a instituição de ensino, que todas as informações referentes ao menor só podem ser passadas a ele sob pena de retirar o filho daquele local.

E assim se inicia a alienação parental praticada pelo estabelecimento de ensino. Talvez por desconhecimento, a maioria das escolas informa ao genitor que não detém a guarda física do filho, não poder passar informações sobre o mesmo sem autorização do guardião ou determinação judicial. Ledo engano, já que ninguém pode alegar em sua defesa o desconhecimento da lei.

As instituições de ensino tem por obrigação legal prestar informações a ambos os genitores dos menores matriculados, sem distinção de serem eles conviventes ou não com o filho comum. Neste caso, desimportante é o tipo de guarda existente, já que, a não ser por decisão judicial, o poder parental de ambos os genitores é mantido, e dele advém diversos direitos e deveres, sendo um deles a guarda dos filhos.

O poder familiar ocorre em virtude do vínculo da paternidade e da maternidade. A Constituição da República como o Código Civil estabelecem que os “pais” tem o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, artigo 229 da Constituição Federal e no artigo 1.634 do Código Civil, deixando-se de lado o entendimento de que o homem era, em priscas eras, o provedor do lar, enquanto a mulher, a mera cuidadora. Hoje, ambos são iguais perante a Lei e assim deve ser entendido o direito ao exercício pleno da parentalidade.

A Lei 9.394/96 de 20 de novembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases do Ministério da Educação e Cultura, estabelece as diretrizes da educação nacional, apresentando os direitos e deveres, dentre outras, dos estabelecimentos de ensino. No ano de 2009, o artigo 12 da referida lei, em seus incisos VI e VII, foi modificado pela Lei 12.013 passando a obrigar as instituições de ensino a fornecer informações a ambos os genitores, conviventes ou não com seus filhos.

Ou seja, a modificação do inciso VI da referida lei, em mais um passo para a formalização da igualdade parental, trouxe para as instituições de ensino a determinação de respeito a valoração de ambos os genitores de forma igualitária.

A Lei 13.058 de 22 de dezembro de 2014 que modificou o regramento em relação ao compartilhamento parental da guarda acresce ao artigo 1.583 o parágrafo 6º. Que afirma que os estabelecimentos públicos ou privados são obrigados a prestar informações a quaisquer dos genitores sob pena de multa diária pelo não atendimento à sua solicitação.

As instituições de ensino têm por obrigação informar a ambos os genitores e responsáveis pelas crianças matriculadas seu desempenho, questões relativas à sua conduta, datas de reuniões e festividades, progressos realizados, e tudo o que disser respeito as mesmas.

Entretanto, mesmo cientes da obrigação de prestar informações aos genitores, muitas instituições de ensino hesitam em fazê-lo, o que obriga o genitor ao ajuizamento de ações de obrigação de fazer, denunciar o comportamento dos responsáveis ao Ministério Público e outros mais que permitam ao pai/mãe exercer sua paternidade/maternidade na plenitude, e garantam o direito do menor.

Como anteriormente mencionado, a atuação do guardião no sentido de desqualificar o genitor não residente vai além da fala dirigida ao menor, amigos, sua família e até mesmo à escola. Um instrumento muito utilizado pelos genitores que pretendem, de forma maldosa afastar o outro do filho menor, é a utilização de alguns profissionais da área de saúde para tanto.

A utilização de laudos, declarações e pareceres médicos e psicológicos para justificar o pedido de afastamento do genitor ao judiciário virou lugar comum entre os processos que envolvem alienação parental. Esses profissionais, cujos laudos não refletem a realidade, vem sendo punidos de forma exemplar por seus órgãos de classe.

Vale ressaltar que nem todos os profissionais procurados por pessoas de má fé coadunam com esse comportamento, mas o genitor alienador consulta vários especialistas até encontrar um que apoie suas ideias e pensamentos.

O trabalho dos psicólogos no deslinde dos processos judiciais envolvendo questões familiares é de suma importância desde que realizado de forma isenta e baseada nas normas e regulamentações de seu conselho.

O Código de Ética da profissão trata de forma bastante clara das responsabilidades do profissional, e, várias resoluções específicas norteiam o atuar dos psicólogos. Dentre elas podemos citar as Resoluções 07/2003, 08/2010 e 17/2012.

Todas as regras contidas nas resoluções acima citadas e enumeradas visam o desempenho de forma idônea do profissional da área de psicologia de forma que seu atuar, especificamente em questões que envolvam processos judiciais na área de família, não colaborem de forma alguma com qualquer tipo de alienação parental praticada por um dos genitores ou guardião.

Importante ressaltar que a elaboração de laudos ou pareceres que serão utilizados por uma das partes impõe ao psicólogo uma grande responsabilidade: a de analisar e avaliar o contexto familiar das pessoas que estão envolvidas no litígio, para só assim apresentar qualquer documento ao contratante.

A não observação a esse princípio poderá fazer com que a utilização do documento em um processo judicial enseje decisões que nem sempre resguardam as partes envolvidas, sendo que o mau uso de documentos ambíguos emitidos por psicólogos pode dar início a um processo de alienação parental, firmar a crença de uma falsa acusação por abuso moral, sexual, físico, tortura psicológica ou outros.

Para evitar que isso ocorra, o profissional deve se assegurar de ter ouvido as várias versões da mesma história. A entrevista com os envolvidos na vida da criança e que façam parte do seu cotidiano é de suma importância para que o documento lavrado assegure a expressão da verdade e não a visão unilateral de um dos envolvidos.

Visando essa imparcialidade e preocupados com a grande quantidade de profissionais punidos pelos Conselhos Regionais e Federal em razão da não observação dos princípios preconizados no regramento específico, o Crepop (Centro de Referência Técnica de Psicologia e Políticas Públicas), em conjunto com o Conselho Federal de Psicologia elaboraram manual contendo Referências Técnicas para Atuação do Psicólogo em Varas de Família.

Com a leitura atenta do documento mencionado se verifica que há a preocupação do órgão regulador em garantir que a avaliação do caso seja feita de forma global e muitas vezes de maneira  multidisciplinar. Vale lembrar que não só os profissionais da área médica sofrem com a possibilidade, voluntária ou involuntariamente, de serem envolvidos, auxiliando, ou não, em um processo de alienação parental.

Os operadores do direito também, com seu atuar, podem se deixar levar e até mesmo serem responsáveis pela manutenção ou agravamento de processos de alienação parental.

O advogado, primeiro filtro de apresentação do caso ao judiciário, deve sempre ter em mente que nem sempre a verdade do cliente corresponde a verdade dos fatos, já que sua versão dos mesmos vem impregnada com suas vivências do relacionamento fracassado, suas opiniões pessoais e sua visão particular de todo o ocorrido.

Tudo isso sem contar com a possibilidade real da vontade da parte de efetivar uma desqualificação do outro provocando o afastamento ou a extinção da relação paterno filial. A ética que cerca a profissão faz com que o operador do direito contratado para defender os interesses do cliente não o faça de forma a ir de encontro com o preceitos morais e éticos preconizados nas normas da Ordem dos Advogados do Brasil.

Os processos envolvendo crianças em varas de família devem ser cuidados de forma a proteger os direitos fundamentais dos menores, mormente aos que dizem respeito a necessidade da convivência do mesmo com ambos os genitores. As medidas de afastamento de um dos genitores só devem ser requeridas em situações extremas e diante da certeza absoluta de sua necessidade.

A correta avaliação do processo e as provas a ele carreadas pelo profissional que o apresentará à Justiça, pode evitar o início do processo de alienação parental e, posteriormente, sua instalação e manutenção.

Após o ajuizamento da ação, o juízo a quem o pedido é dirigido deve analisar com as cautelas necessárias os pedidos e as provas dos autos. Vale lembrar que nenhuma parte faria prova contra si mesma, ou seja, enquanto não há a citação da parte contrária para manifestação, a verdade absoluta advém de um único ponto de vista, de uma única parte interessada.

Certo é que sob qualquer análise o melhor interesse da criança deve ser buscado e preservado. Vale dizer que a não ser em situações extremas e de risco absoluto ambos os genitores devem permanecer exercendo seu poder parental.

A tomada de uma decisão precipitada de afastamento de um dos genitores trará ao menor a certeza de que aquele que o desqualifica está com absoluta razão, tanto assim que o judiciário coaduna com sua opinião.

Havendo dúvida da segurança do menor, o que se espera do Judiciário é que o proteja, sem contudo fazê-lo sofrer com o afastamento de um dos genitores a quem ele ama. Essa proteção pode se dar através da convivência assistida ou de outra forma que entender correta o magistrado. O que não se pode fazer é afastar de forma absoluta a criança do pai ou mãe.

Em razão da morosidade dos processos judiciais, as decisões não podem ser tomadas de forma imediata, como deveriam ser, ou seja, a determinação de afastamento, que deveria ser temporária se perpetua no tempo trazendo maiores prejuízos ao menor e ao genitor alienado.

Este tipo de decisão contribui para a instalação e manutenção do processo de alienação parental, sendo este um exemplo claro de quando o judiciário é copartícipe do processo narrado, tornando-se um braço ativo do alienador.

O tempo é aliado do alienador e o maior inimigo da criança. Ou seja, a alienação parental não está adstrita, na grande maioria das vezes, ao âmbito familiar. Ao contrário. Como se vê, o alienador busca cúmplices, conscientes ou não, de seus atos, seja na escola, nos profissionais de saúde ou até mesmo no judiciário.

Escrito por Alexandra Ullmann é advogada, graduada em Direito pela PUC /RJ, sócia do escritório Ullmann e Advogados Associados

Após superar câncer, americana de 92 anos bate recorde em maratona

Ex-pianista profissional, ela conta que já perdeu amigos e familiares para o câncer, inclusive seu próprio marido
Ex-pianista profissional, ela conta que já perdeu amigos e familiares para o câncer, inclusive seu próprio marido

A americana Harriette Thompson, de 92 anos, bateu um recorde na maratona de San Diego, nos Estados Unidos, ao cruzar a linha de chegada após sete horas, 24 minutos e 36 segundos.

Ainda mais impressionante do que sua idade é o fato de ela ter enfrentado um câncer de boca que tinha retornado duas vezes. A americana cruzou a linha da chegada da Rock’n’Roll Marathon acompanhanda do filho.

Harriete, que tem 92 anos e 65 dias, bateu o recorde de Gladys Burrill, de 92 anos e 19 dias, que obteve o recorde anterior em 2010, na Maratona de Honolulu.

Missão pessoal
No ano passado, ela já havia batido um novo recorde para mulheres acima de 90 anos, com a marca de sete horas e sete minutos. Como costuma participar de corridas organizadas por ONGs de combate ao câncer, estima-se que Harriette já tenha conseguido ajudar a levantar mais de US$ 100 mil para a causa.

Antes da maratona de domingo, ela havia dito que achava que não conseguiria chegar ao fim da prova. Harriette, que era pianista profissional, já perdeu amigos e familiares para o câncer, inclusive seu próprio marido.

“Isso faz dessas corridas algo como uma missão pessoal para mim, algo que me faz sentir muito importante”, disse a americana à revista Runner’s World.

Com informações da BBC

Depressão também atinge crianças e bebês

Considerada uma doença de adulto, a depressão também afeta crianças e bebês. Apesar de poucos estudos sobre o assunto, a estimativa é que por volta de 5% a 6% das crianças até 12 anos sofram desse mal.

Segundo a pediatra Laís Valadares, do Departamento de Saúde Mental da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e do Comitê de Saúde Mental da Sociedade Mineira de Pediatria, a depressão da mãe e os maus-tratos são os principais fatores que causam a doença nos bebês.

E como é difícil diagnosticar o distúrbio em crianças muito pequenininhas, fica complicado saber exatamente quais os sintomas e como tratá-lo. Os médicos acreditam que, durante a depressão, o bebê tenha muitas cólicas, pouco apetite, choro fraco, peso baixo, insônia e atraso no desenvolvimento.

Em suspeita de depressão, a criança deve ser encaminhada para psiquiatras infantis. Dependendo do caso, os pais também podem precisar de terapia.

Com informações da Ag. Brasil

Adoção: Redes sociais do CNJ contam histórias de internautas

Pessoas que optaram pela adoção para compor ou ampliar a família contam nas redes sociais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) suas histórias de amor e dedicação.

Relatos e fotos de famílias constituídas por meio da adoção serão exibidas no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube. A campanha possui o slogan “Adoção é um ato de amor: não tem idade, sexo, nem cor”, que orienta as identidades visuais criadas especialmente para os canais do CNJ na internet, durante todo mês de maio.

O intuito é divulgar peças para desmistificar o processo de adoção e tirar as principais dúvidas dos internautas. Além disso, o CNJ vai repostar fotos do Instagram, Facebook e Twitter publicadas nessas redes com as hashtags #FilhoDoCoração, #FilhosDoCoração, #MãeDoCoração #PaiDoCoração e #FamíliaDoCoração.

A campanha nas redes sociais prevê também a divulgação do novo Cadastro Nacional de Adoção (CNA), apresentado em 12 de maio. Os usuários conhecerão os requisitos, o passo a passo para ingressar com um processo de adoção na vara de infância e juventude e os tipos de adoção (internacional, por familiares, solteiros ou casais homoafetivos).

Adoção no Brasil
Comemorado no dia 25 de maio, o Dia Nacional da Adoção foi criado pela Lei n. 10.447, de 9 de maio de 2002. Atualmente, a lista de pretendentes à adoção alcançou a marca de 33.594 para 5.646 crianças em busca de uma nova família.

Desde a sua criação, em 2008, o Cadastro Nacional de Adoção (CNA) já registrou 3.931 adoções. O cadastro é uma ferramenta desenvolvida pelo CNJ para facilitar a atuação dos juízes das varas de infância e juventude nos processos de adoção.

Importante levar em consideração que um registro não é equivalente apenas a uma criança, mas sim à adoção, que pode ser de irmãos ou de mais de uma criança.

Com informaçòes da Agência CNJ de Notícias

Empreendedorismo: Aplicativo auxilia microempreendedores na gestão dos negócios

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) lançou na semana passada um aplicativo gratuito para smartphones, com a finalidade de ajudar os microempreendedores individuais a melhorar a gestão de seus negócios e finanças.

O aplicativo Qipu já está disponível no site do Sebrae e é compatível com aparelhos dotados dos sistemas operacionais IOS e Android. Segundo o presidente do Sebrae, Luiz Eduardo Barretto, o aplicativo é de fácil manuseio e permitirá ao microempreendor individual controlar suas vendas e despesas; receber mensagens lembrando-o da data de pagamento de tributos; avisos sobre benefícios e dicas para melhorar os negócios, entre outras coisas.

“Esse aplicativo é mais um auxílio à formação e qualificação dos empreendedores e vai contribuir para melhorar a gestão dos negócios”, disse Barretto.

7ª Semana do Empreendedor Individual Nacional
O lançamento da ferramenta coincidiu com a realização da 7ª Semana do Empreendedor Individual Nacional, evento que visa a capacitar os microempreendedores e estimular os profissionais autônomos que, embora atendendo às exigências da legislação, ainda não conseguiram ou viram vantagens em aderir ao Simples Nacional (regime tributário opcional e diferenciado aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte).

Até o último sábado (18), os escritórios do Sebrae de todas as capitais e tendas espalhadas por diversas cidades foram palco de palestras, oficinas, clínicas tecnológicas e cursos de capacitação gratuitos.

Os atendentes do Sebrae e de entidades parceiras no evento também responderão às dúvidas dos interessados em regularizar sua situação e checar linhas de crédito mais atrativas.

Tornando-se um microempreendedor individual e aderindo ao Simples, o profissional passa a contar com proteção social e previdenciária. Para isso, o profissional só precisa pagar contribuição equivalente a 5% do salário mínimo e mais R$ 1, se for microempresário do comércio, ou R$ 5, se do setor de serviços.

De acordo com o presidente do Sebrae, atualmente há no Brasil cerca de 4,9 milhões de empreendedores individuais formais. Só em São Paulo, eles são mais de um milhão.

Esses números não param de crescer desde que a figura jurídica foi criada, em 2009, a fim de simplificar a formalização desses profissionais que, até então, viviam na informalidade. São profissionais que exercem várias atividades e que faturam até R$ 60 mil anuais, empregando, no máximo, uma pessoa.

Multa reduzida
O Diário Oficial da União publicou, na terça-feira (14/4), orientação para reduzir as multas relativas às obrigações acessórias do Simples Nacional.

De acordo com o Comitê Gestor do Simples Nacional, a recomendação é para entes federados – União, estados, municípios e o Distrito Federal – quanto à diminuição de multas para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional. A decisão foi tomada no dia 8 de abril em reunião de conselheiros da Receita Federal, estados e municípios.

Segundo o texto, alternativamente, as multas deverão ter fixação legal de valores específicos e mais favoráveis ou redução de 90% para o microempreendedor individual e 50% para microempresa ou empresa de pequeno porte.

O comitê decidiu que a redução não se aplica na hipótese de fraude, resistência ou embaraço à fiscalização ou ausência de pagamento da multa no prazo de 30 dias após a notificação.

Fonte: Agência Brasil com informações do Portal Brasil

Minha Crônica: A vida e a morte no meio do caminho

Salvador Neto descreve o encontro com vida e morte  em sua caminhada diária
Salvador Neto descreve o encontro com vida e morte em sua caminhada diária

O despertador toca. Hora de começar a rotina. Acordar, fazer a filha acordar, escola à vista. Após a pressãozinha natural para ela não perder a hora do transporte escolar, vou ao meu ritual. Coloco o café para passar, arrumo a mesa, bebo minha água. Calço o tênis, e junto com ela vou ao portão esperar. Um beijo e lá vai ela, arrumadinha para sua viagem até a escola. É a vida desabrochando. E lá vou eu para a caminhada matinal de todos os dias.

A chuva que caiu forte a noite deixou poças de água em calçadas mal feitas, algumas com areia e barro vermelho a escorrer pelo asfalto debilitado das ruas do meu bairro. Carros vão e vêm, homens, mulheres, crianças caminham aos seus destinos, na frenética corrida do homem para garantir o sustento da família e buscar seu lugar no mundo. Mães levam seus filhos às creches, a pé, de bicicleta. O ar ainda limpo refresca o dia, e o céu ainda clareia mais um dia.

De repente vem do outro lado da rua aquele corredor, fones de ouvido pendurado às orelhas, em minha direção. É o José Eduardo, que há poucos meses quase alcançava um recorde, mas no peso: 157 quilos. Sorridente como poucos, o negro mulato estaca à minha frente com um bom dia de contagiar o mais pessimista dos mortais. Corria à verdureira que tinha ficado para trás em meu trajeto.

Conversamos sobre a mudança de hábitos que lhe deu de volta a qualidade de vida perdida. Conta-me sobre as dores que ainda sente com os exercícios, e com uma festa em que se passou um pouquinho no final de semana. Despedimos-nos, e lá foi ele comprar saúde e depois trabalhar. Na empresa ele motivou mudanças comportamentais e organizacionais com a atitude corajosa de enfrentar a perda da vida que fazia, aos poucos, com má alimentação e o sedentarismo. Eduardo não só mudou a ele mesmo, como muda os demais à sua volta.

Sigo meu roteiro, desviando da água barrenta de um cruzamento, olhando o entra e sai de padarias, bares, postos de gasolina. A cidade acorda aos poucos, e eu a admirar o pulsar dela por todos os espaços. Transpiro, respiro, observando os jardins, os telhados, o mato nos terrenos, os moradores de rua a falar sabe-se lá o que no banco da praça. E vem igreja, e passo o trilho do trem que trouxe e levou riquezas, e ainda leva o progresso. Semáforos não funcionam, a tempestade deixou alguns fora do ar. Nada de guardas a controlar, e cada um ordena seu caminho, combinando marchas e contra marchas no transito da urbanidade.

De repente encontro ambulâncias, duas. Luzes nervosas que não param de piscar. Pessoas aglomeradas na esquina de uma das escolas mais conhecidas, onde estudei até terminar o então segundo grau. Hoje mudada, nem paredes, nem telhados, nada lembra ela daqueles tempos. Chego mais perto e lá está. Envolta em pano branco uma pessoa estava caída na rua, encostada à parede de uma loja. Pergunto o que houve. Diz uma moça: ataque cardíaco, fulminante. Funcionária da escola, ela ia para o trabalho, e a vida parou ali. Na esquina do tempo, do seu tempo. Naquele chão jazia um corpo de mulher.

Outras vidas à olhar aquela vida que não mais estava ali. Apenas um corpo, inerte, pronto para ser colocado em uma maca fria. Sabe-se lá quem a perdeu. Quem vai chorar por ela? Teria pais, teria filhos? Seria avó, tia? Quantos amigos e amigas teria? Qual a história dela, os sonhos, os devaneios. Quantos problemas superou, quantos enfrentou e venceu, ou perdeu? E várias vidas a olhar para quem não mais está ali. Somente um corpo, estendido e coberto. Pensei: será que a via todas as manhas nas caminhadas? Quem sabe não nos olhamos? Será que nos percebemos, dissemos bom dia um ao outro? Mistérios da passagem por aqui.

Retorno ao roteiro mandando bos energias e pensamentos a quem foi, e a quem fica, e repasso a vida de José Eduardo, a minha mesma, e a daquela mulher sob o pano branco, agora apenas matéria. Vi a plenitude da energia de Eduardo, e a cada passada que dava pelas ruas, neste dia, repaginei a minha vida, minha infância e de quantas vezes passei por este caminho. Quantas vidas conheci, quantas já perdi. E reflito sobre a nossa experiência rápida nesta terra, onde caminhamos sem saber até quando nosso roteiro continuará a ser escrito. E do que perdemos com muitas mesquinharias, diferenças, ganancias, revoltas, vinganças, distancias.

Chego em casa, tomo meu café, sigo a vida. Porque é caminhando que nos encontramos todos os dias na efemeridade da vida, o grande mistério da nossa existência.

Escrito por Salvador Neto, jornalista, cronista, editor do Blog Palavra Livre, autor dos livros Na Teia da Mídia e Gente Nossa, além de outros textos publicados na antologia Saganossa (2014) e miniantologias da Associação Confraria das Letras, da qual é diretor de comunicação atualmente.