Especialista em acessibilidade critica Acij por escolha de local inadequado para homenagem a Udo Döhler

Recebi, assim como creio que todos os jornalistas, email do especialista em acessibilidade e Coordenador da Comissão Permanente de Acessibilidade do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência – COMDE, Mário Cezar da Silveira, criticando a postura da Associação Empresarial de Joinville, a ACIJ, pela escolha da Harmonia Lyra como palco de um jantar em homenagem ao prefeito eleito, Udo Döhler, que será realizado nesta terça-feira (4/12). Hoje, dia 3, é o dia Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência.

Segundo Mário Cezar, a repetição do erro não é mais cabível por conta da total falta de acessibilidade do local do jantar. O Blog Palavra Livre se solidariza e entende a posição do especialista, até porque existe lei vigente que exige as normas de acessibilidade em todos os prédios, públicos ou privados. E no caso em questão, a ACIJ poderia sim ter demonstrado mais sensibilidade e habilidade com as pessoas com deficiência. Existem outros espaços, sem demérito da Lyra, onde esse evento poderia acontecer com respeito as pessoas com deficiência.

Os tempos são outros, e uma demonstração de interesse por bandeira tão nobre e necessária, marcaria positivamente. Até porque Udo Döhler é empresário, foi presidente da ACIJ várias vezes, e agora já não é mais apenas um membro da entidade, mas sim, futuro Prefeito de Joinville.

Segue a íntegra da carta enviado por email:

Dia 3 de dezembro, comemoraremos, em evento na Câmara de Vereadores, das 9:00 às 11:00 horas, o DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. E, no dia 4 em total contrasenso, a ACIJ vai homenagear Udo Döhler na Lira. Mais uma vez demonstram total desrespeito às pessoas com deficiência.

A diretoria da ACIJ não entendeu que agora Udo Döhler não é mais só um cidadão comum, é o Prefeito eleito, e que portanto, a população e a mídia dão mais abrangência à sua imagem, atividades e atitudes. Como o jantar é por adesão, qualquer pessoa que pagar R$150,00, tem direito de participar, mas se for cadeirante ou tiver qualquer limitação maior de locomoção, terá como impedimento as “maravilhosas escadarias” da Harmonia Lira.

No último evento na Lira, a ACIJ ofereceu carregar os cadeirantes no colo pelos Bombeiros. Muito romântico, mas muito constrangedor.

Atenciosamente,

Mário Cezar da Silveira
Especialista em acessibilidade
Coordenador da Comissão Permanente de Acessibilidade do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência – COMDE

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

2 comentários em “Especialista em acessibilidade critica Acij por escolha de local inadequado para homenagem a Udo Döhler”

  1. Mário Cezar da Silveira, obrigado a você por manter informado este Blog e este jornalista. Aqui não tem bloqueios, nem chantagem, nem editores a mando de diretores. Aqui a Palavra é Livre, e não faço mais do que a obrigação de todo jornalista, como você bem especifica em seu comentário. Mesmo quando, nós sabemos, somos também perseguidos por seguir e perseguir a nossa função social. Abraço, boa luta!

  2. Salvador,
    Obrigado pela solidariedade. Cada vez mais amplio meu respeito à sua conduta profissional, sempre a trabalho da verdade e em respeito ao Código de Ética que rege sua função social.
    Destaco:
    Art. 6º É dever do jornalista:
    I – opor-se ao arbítrio, ao autoritarismo e à opressão, bem como defender os princípios
    expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos;
    II – divulgar os fatos e as informações de interesse público;
    (…)
    XIV – combater a prática de perseguição ou discriminação por motivos sociais,
    econômicos, políticos, religiosos, de gênero, raciais, de orientação sexual, condição física
    ou mental, ou de qualquer outra natureza.

    Atenciosamente,

    Mário Cezar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.