Joinville: Criada a Unidade de Conservação do Iririú

A criação da Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) do Iririú, instituída pelo decreto municipal 19.665, foi oficializada neste mês de outubro. A nova unidade de conservação tem abrangência nos bairros Aventureiro, Bom Retiro, Iririú, Jardim Iririú, Jardim Sofia e Saguaçu. A área total é de 5.255.610,96 m² – milhões de metros quadrados, o equivalente a 525,56 hectares.

“Para o cidadão o benefício está na qualidade ambiental que será mantida e após o plano de manejo a definição do que pode ou não ser feito na área”, explica a bióloga da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema), Dalzemira Souza. A unidade visa garantir a proteção dos remanescentes de Mata Atlântica em ambiente urbano, além de proteger a fauna e a flora, e  disciplina o uso e ocupação do solo e restringe as novas ocupações. Também deverá ser ampliada a fiscalização ambiental e fomentado o turismo ecológico e a educação ambiental.

A bióloga Dalzemira de Souza explica que unidade integra todo o Morro do Iririú e inclui um fragmento cortado pela Avenida Santos Dumont. “No decreto já temos a definição da zona de amortecimento”. Estão incluídos na Arie os terrenos acima da cota 40 no Morro do Iririú – exceto os que integram o Parque Municipal do Morro do Finder. Propriedades abaixo da cota 40 maiores que 1.000m² (mil metros quadrados) e com pelo menos 30% de área florestada, e os terrenos menores de 1.000m² (mil metros quadrados) e com pelo menos 50% de área florestada.

A unidade de conservação será gerida pela Fundema, mas ainda há necessidade de criar um conselho gestor com representação do poder público e da sociedade civil. Além disso, o plano de manejo precisa ser elaborado no prazo de cinco anos. “É o plano de manejo que definirá as zonas de proteção integral as de e uso sustentável”, explica a servidora Dalzemira.

 

Curiosidades

O Morro do Iririú e do Boa Vista formavam o Morro das Cachoeiras. Com a expansão urbana e intervenções essa característica foi perdida, mas o local ainda abriga espécies como a canela-preta, canela-ferrugem, cedro, canjerana, guapuruvú, palmito juçara e inúmeras castas de bromélias. Há registro de aves em extinção como gavião-pombo-grande, pixoxó, o jucuaçu e o picapau-de-cara-acanelada. Mamíferos ameaçados de extinção habitam o local, entre eles o gato-do-mato e o gato-do-mato-pequeno.

Com a criação da Arie do Iririú, o município passa a ter sete unidades de conservação: Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Ilha do Morro do Amaral; Parque Ecológico Prefeito Rolf Colin; Parque Municipal Morro do Finder; Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra Dona Francisca; Ária de Relevante Interesse Ecológico (Arie) do Morro do Boa Vista; Parque Natural Municipal da Caieira.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.