Governo Carlito teve alguns méritos, e obras que devem continuar

Parque da Cidade foi uma das boas marcas da gestão de Carlito Merss

Diferentemente do que dizem por aí, o governo de Carlito Merss (PT) não foi tão ruim como se vendeu por longos três anos e meio. Digo longos porque o massacre de informações contrárias foi muito intenso, permitindo que a imagem do Prefeito se diluísse diariamente, ao ponto de sequer ter conseguido ir ao segundo turno. Durante esse tempo, a contra-informação vinda da Prefeitura ficou muito aquém do desejado.

Além da falta de informações relevantes com divulgação maciça, da inexistente estratégia de comunicação, e também do pouco empenho de detentores de cargos comissionados do governo em defender Carlito – quando a notícia era ruim, o Prefeito falava, quando era boa, secretários apareciam… – as grandes ações e obras não mereceram um tratamento diferenciado para que a sociedade soubesse e compreendesse o papel histórico que o governo petista tinha para a cidade. Teorias à parte, o fato é que o governo Carlito teve sim seus méritos, com obras e ações importantes que devem continuar para o bem da cidade. Vamos a elas:

Esgoto Sanitário/Saneamento – é fato que essa obra representa muito para a cidade. Representa mais saúde, mais qualidade de vida para milhares de famílias. Infelizmente há alguns atrasos em estações de tratamento previstas, mas que devem avançar e efetivamente tratar os “dejetos”, ou a “m…” nossa de todos os dias. Por outro lado, a zona sul de Joinville merece uma atenção especial, porque nos projetos em execução até agora, não há obras para os bairros como  Fátima, Ulisses Guimarães, Jarivatuba, Paranaguamirim, etc. E pavimentar ruas sem esgoto sanitário e drenagem pluvial prontos é jogar dinheiro fora. Missão para Udo Döhler realizar a partir de janeiro de 2013.

Praças e Parques – outra ação do governo Carlito que mostrou-se acertada e muito bem recebida pela população. Basta ver nos bairros o efeito salutar para as famílias, incluindo o Parque da Cidade que nesta terça-feira, dia 6 de novembro, completa seu primeiro ano de vida, sempre inundado de gente a brincar de skate, futebol, basquete, caminhadas, etc. Inclusive em bairros nobres como o Saguaçu, é visível o bem que fez uma praça, tímida praça, para que a comunidade tenha lazer e vida ao ar livre. Os parques do Finder, das Águas, Morro do Boa Vista, do Aventureiro – essa uma obra gigante e importante para aquele bairro que é uma cidade – e Caieiras, só para citar alguns, devem ser entregues com apoio da comunidade local, para não ficarem abandonados aos destruidores dos bens públicos.

Nova iluminação pública – outro tema que deu muito debate, “muitos postes”, “muita luz”, “são vermelhas do PT”, “muito caro”, e tantas outras observações infundadas. O fato é que a nova iluminação deixou o centro e vários bairros já atendidos, muito melhores, mais seguros e iluminados, inibindo a ação dos marginais. Vê-se muita gente caminhando com mais segurança, e na Beira Rio por exemplo, antes escura, agora é tomada pelo povo. Ação importante que deve ser estendida com urgência pelo novo Prefeito para os bairros, que ele prometeu atender prioritariamente, não é senhor Udo?

Limpeza dos rios e córregos – outra obra que poucos deram valor, mas que os atingidos por cheias e enchentes devem ter valorizado: a limpeza permanente de rios e córregos, outrora nunca feitos. Ainda hoje há rios sem limpeza, claro, a cidade é imensa, mas muito foi feito e continua a ser feito. Joinville à cada chuva era um desastre para as famílias que moram em áreas alagadiças, e falamos não só de periferia não, mas também de bairros mais ao centro. Isso reduziu drasticamente, mostrando que limpar os rios do mato crescente em suas margens, ajuda sim na prevenção. Mas é preciso continuar esse trabalho, se possível com campanhas permanentes de conscientização da comunidade para evitar jogar lixos e outros bens dentro dos leitos. Deve continuar e mais abrangente.

Mobilidade Urbana – nesta área há várias intervenções feitas de forma inteligente, e sem custos altos como elevados, túneis, etc, que deram bons resultados. A implantação de mais corredores de ônibus, ciclovias e ciclofaixas, mãos inglesas e binários deram sim bons resultados. E podem dar muito mais caso os técnicos da Prefeitura saiam ainda mais à campo para novas intervenções. Nesta área é preciso perseverar em soluções mais sustentáveis que obras faraônicas. Melhorar ainda mais a sinalização das faixas de ônibus, finalmente colocar abrigos de ônibus decentes na cidade, porque hoje os poucos que existem estão deteriorados. Aqui também a utilização da orientação de guardas de trânsito nos momentos de pico ajudariam e muito. Nem só de multas devem viver a Conurb e a Prefeitura.

Habitação – a construção de moradias para as pessoas é um dos marcos mais importantes do governo Carlito em minha modesta opinião. Com todos os problemas advindos da falta de ruas pavimentadas, creches, postos de saúde e outros que foram alegados, o fato é que essas pessoas tem o que de melhor se pode ter: o seu teto. Sair do aluguel, de barracos, de morar de favor, e ter o que é seu marca a vida das famílias para sempre. É um compromisso social dar casa a quem precisa, e nesse quesito o governo foi bem, mas ainda falta muito a fazer. Udo terá muito trabalho, e espero que isso continue.

Participação Popular – Essa foi outra bandeira, já histórica do PT, com o orçamento participativo. Em que pese a execução dos projetos aprovados nos bairros pela população não terem sido implantados na velocidade compatível, o que certamente deixou muitos céticos com a experiência, é razoável dizer que a iniciativa é boa, porque aproxima o cidadão comum do que é a máquina governamental e suas dificuldades em tirar as coisas do papel. É melhor sim muita participação do que nenhuma, e neste ponto o governo também foi bacana, e há obras sim definidas e executadas. Deve continuar e ainda mais forte.

Transparência – mais que fundamental nos dias de hoje, a transparência dos atos do Executivo – e assim deve ser em todos os níveis e inclusive nos legislativos… – foi um avanço e tanto. A população certamente não entende tão facilmente aqueles números e dados que aos milhares estão expostos no portal da transparência. Mas há sim quem entenda e fiscalize onde, quanto, como, para quem, estão sendo pagos os serviços, e com o nosso dinheiro público. Boa ação que deve continuar e ainda mais efetiva, inclusive com a divulgação dos salários dos servidores públicos, coisa que até agora não foi feita no atual governo. E é um dos atos que se espera do senhor Udo Döhler já em início de governo. Como ele mesmo disse, mãos limpas!

Educação – neste setor não há muito o que dizer, a não ser que avançou bem, mas com grandes problemas ainda nas vagas para creches. O fim do turno intermediário, mesmo com casos de salas mais que lotadas, foi um avanço que deve merecer mais atenção do novo governo, sob pena de voltar a existir rapidamente. É só faltar planejamento e vontade política que pode voltar sim.  Sempre bem avaliada, a educação merece atenção total, mas as creches para as mães poderem trabalhar tranquilas e sem o custo que pesa muito no final do mês, ah esse sim é prioridade para o novo governo.

Saúde – calcanhar de Aquiles de todos os governos, a saúde municipal melhorou em alguns aspectos com as UPAs, postos de saúde, mais leitos no Hospital São José, mas ainda é muito falha. A implantação do acelerador linear foi comemorada, porque esperada há anos, e isso é louvável. Mas ainda há falta de medicamentos em postinhos, as filas com médicos especialistas é grande, bem como nos exames. O Conselho Municipal é atuante, mas não é o executivo. Os lobbies instalados são grandes e fortes, com laboratórios, clínicas, interesses múltiplos e não claros para a sociedade. Aqui o grande desafio do novo governo, mas que contou com avanços no governo Carlito. O Estado também não tem feito a sua parte, deixando o Regional obsoleto e sem servidores, tudo para que se implante logo a tal de OS… porque será?

Fundamas/Cursos Profissionalizantes – aqui houve uma melhora significativa, com muitos cursos novos, modernos, espalhados pelos bairros, ofertando oportunidades aos jovens e adultos que buscam colocações melhores no trabalho. Falta ainda mais divulgação das ofertas em maior escala, para buscar mais público, além claro do interesse das famílias e pessoas. Aqui é só continuar e melhorar ainda mais a capilaridade do órgão, já que com a chegada de mais e mais empresas de alta tecnologia, mais preparo nossos trabalhadores, nossa força de trabalho, terá que ter.

Planejamento – área sensível há muitos anos na cidade, o planejamento merece andar mais rápido com soluções não só de curto médio prazos, feitas de afogadilho e que apagam alguns incêndios, mas com projetos e olhares mais a longo prazo. Com o IPPUJ foi feito o que se deixou de fazer por muitos anos na mobilidade urbana, nas alterações de trânsito. Foram produzidos projetos importantes, como da Lei de Ordenamento Territorial (LOT) e o novo Conselho da Cidade, ambas medidas que ainda não se concretizaram por serem alvos de grandes interesses imobiliários, e outros menos visíveis. Aqui há que se pensar em ampliar a tecnologia e pessoal, com grupos que pensem a cidade para daqui a 20, 30, 50 anos, e que dele surjam os caminhos para a busca dos recursos e viabilidades.

Pavimentação – uns poderão dizer, ele também não fez nada de pavimentação de ruas, etc. Mas aqui há de se ressaltar a qualidade do asfalto realizado nas vias que foram pavimentadas. Joinville é uma das poucas cidades médias brasileiras em que há bairros como o Fátima e Guanabara, ligados ao centro por míseros minutos, que tem dezenas, centenas de ruas sem pavimentação. Isso ao longo dos anos, nunca foi feito, e nesse governo se priorizou a qualidade, o que foi positivo. Do novo governo que herde essa qualidade, fazer sim muito mais pavimentação, mas com qualidade, excelência, e com esgoto e drenagem antes. Refazer é jogar dinheiro fora. O nosso dinheiro.

Abastecimento de água – aqui também foi bom o trabalho do governo Carlito. Novos reservatórios foram construídos, novas adutoras, modernização da distribuição, e a falta d’água em muitos bairros acabou. É fato que a Cia. Águas de Joinville tem capacidade para investimentos ainda maiores no abastecimento de água, mas há que se priorizar os bairros, com áreas altas onde a água não chega. Também é inadiável buscar novas fontes de abastecimento de água porque um dia acaba a força dos rios Cubatão e Piraí. Campanhas permanentes de conscientização sobre a água, economia, fim do desperdício, são prementes. Jóia da coroa, certamente será objeto de olhares agudos no governo Udo.

Cultura – área que mostrou avanços também com evolução dos recursos para o Simdec – ainda insuficientes – mas muito mais com a oferta de teatro, música, artesanato, Mercado de Pulgas, e outras atrações que popularizaram mais a arte pela cidade, tão sofrida e carente em seus bairros. Não foi assim um avanço enorme, mas melhorou. Ainda se escora no Festival de Dança, e por isso será preciso avançar muito mais. A forma de escolha dos projetos também precisa ser mais trabalhada, mais transparente para que projetos também importantes não sejam contemplados. Exemplo disso é a Feira do Livro, grande evento para a cidade, que ficou de fora dos recursos para 2013. Por quê? Não sei… Mas é outra área que merecerá mais atenção do novo governo, mantendo o que é bom, e mudando algumas coisas, sem esquecer de popularizar a cultura nos bairros.

Bom, essas são as áreas onde acredito, o governo Carlito Merss foi bem e deixou boas marcas para a cidade, e que devem seguir em frente, sem retrocessos. Governar uma cidade como Joinville é uma tarefa difícil e que precisa de pessoas comprometidas com a cidade, preparadas para enfrentar a burocracia do setor público, e competentes nas áreas a que estavam, ou que estarão, vinculadas. Lembrando sempre que competência é “conjunto de habilidade, atitude e conhecimento (é a capacidade de mobilizar conhecimentos, valores e decisões para agir de modo pertinente numa determinada situação.) Para sermos competentes, precisamos dominar conhecimentos. Mas também devemos saber mobilizá-los e aplicá-los de modo pertinente à situação. Por isso quando se diz que alguém é “incompetente”, não é pessoal, mas sim profissional, tecnicamente falando.

O governo Carlito Merss teve sim pessoas competentes, e lúcidas, tocando algumas pastas e setores. Mas foram poucas, e a essas eu parabenizo. Muitas delas não fizeram mais porque acima, havia pessoas sem o devido preparo, sem liderança para comandar suas áreas. Estes, os competentes, sabem do que falo e de quem falo, porque com esses eu sempre debati e conversei, e principalmente reconheci e reconheço grandes qualidades como pessoas, e como profissionais.

São vinhos de outras pipas, de boas cepas, e com vida longa. Se de repente esqueci alguma área de destaque, os leitores podem comentar e complementar. Mas certamente há sim o que comemorar na gestão do ex-deputado federal Carlito Merss, um homem correto, e que merecerá elogios da população o mais breve do que se imagina.

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

19 comentários em “Governo Carlito teve alguns méritos, e obras que devem continuar”

  1. A palavra livre acompanho algumas vezes ,gosto da maneira que escreve,..etc…Todavia este post poderia ter sido antes as eleições sim?Muita coisa teria mudado..Falo da mídia venal dia após dia execrando o Prefeito e por conseguinte sua equipe. , a nossa Joinville acompanha Globo,o pasquim mequetrefe estes meios de comunicação são os formadores de opiniões da nossa gente..Pessoas como senhor são raras no meio…Parabens

  2. Ola Salvador;
    Não endento porque deixaram estas obras todas para o ultimo ano. Até entendo que o 1º ano a casa estava bagunçada e tinha que arrumar; mas deixar para o ultimo ano e depois gastar com publicidade (coisa que sempre reclamaram dos governos anterirores) é achar que o povo tem memoria curta… para mim foi burrice. Se tinham as portas abertas em Brasilia, porque não foram buscar soluções antes… se tinham pessoas boicotando o serviço, toma providencia…
    Abraço.

  3. Ainda é cedo pra dizer onde o Governo que finda errou. Todos temos uma avaliação, mas o tempo dirá se houve mais acertos que erros. Pra existir o bom tem que ter o ruim (comparativo). Abraços

  4. Amiga Inês Gonçalves, mulher guerreira que admiro muito. O sonho de um governo mais social, preocupado com as pessoas talvez tenha dado um tempo após a derrota de Carlito, muito mais por seus desencontros. Agora precisamos torcer, e fiscalizar, para que Udo faça aquilo que prometeu, de mais presença nos bairros, ouvindo o povo, para continuar parte do que já foi feito. Você é uma das petistas que trabalham, são competentes, antenadas, mas que também são pouco ouvidas. Quem sabe agora passem a ser mais valorizadas em um novo momento do PT. Obrigado por participar aqui do Blog amiga, continue a escrever prá gente, abração!

  5. Grego, gostaria que você se identificasse claramente, porque aqui a palavra é livre, como mesmo diz o nome do Blog. Respeito a sua opinião, mas meu texto não é enrolação não, é sim uma análise fria e franca dos pontos positivos do governo de Carlito Merss. Você não acompanhou outros posts em que analiso, até duramente, a derrota dele, por isso tens esse pensamento, claramente direitista e raivoso. Todos os governos, sejam eles quais forem, sempre deixam algo de bom para a cidade, mesmo os piores. Leia meus posts anteriores e verás que não enrolo, analiso e recebo críticas e elogios, como quiserem. No mais, obrigado por participar!

  6. Sua análise é muito equivocada !!!

    Esgoto Sanitário : será o legado deste governo ! mas é pouco para quem tinha a esperança de toda a Joinville.
    Praças e Parques : tinha dinheiro e projetos , só fez 1 !!! pra mim foi incompetência !!!
    Nova Iluminação : jogou dinheiro fora !!! colocou lampadas que gastam mais !!! absurdo !!!
    Limpeza dos Rios : boa iniciativa !!
    Participação popular : besteira ! dizer que o povo participou ? só enrolação.
    Transparência : será que avançou ? acho que não ? o que está no portal é o que vai pro TCE , ou seja não demonstra os bastidores !!
    Fundamas e Curso : não sei avaliar.
    Planejamento : nosso articulista não conhece o IPPUJ , durante o governo LHS ( que não gosto!) este instituto funcionava , neste governo foi apenas mais um escritório de projetos.
    Se bem que este governo não fez nada de projetos , não foi atrás de financiamentos , planejou ??? o que ??? umas mãos inglesas na cidade ???
    Abastecimento de água : melhorou mesmo , se bem que era obrigação de nossa estatal Águas de JOI, visto que o dinheiro agora está em Joinville.
    Cultura – para né … governo destruiu a Cultura em JOI !!!

    Se fosse essa maravilha toda, teria ido pelo menos ao 2o. turno !!!

    seu texto é mais uma enrolação Petista !!! não cola !!!

  7. Salva!
    Òtimas pondeirações sem dúvias foi e será lembrado como um governo popular participei tanto na regional quanto no Ittran setor de calçada há muitas criticas quanto este tema, mas garanto que a cada obra cada vistoria e principalmente orientação para a construção de calçada avaliamos que o número de pessoas que faziam por causa da não cobrança da Aliquota foi muito pequeno vimos casos onde a satisfação de poder proporcionar aos pedestres a acessibilidade nas ruas é gratificante fes tanta diferença que fomo convidados e participamos no Seminário Internacional da cidade de São Paulo onde o tema foi “Andar a pé nas grandes cidades” apresentamos a evolução na questão das calçadas e garantia da acessibilidade.
    Sem falar a rua da Palmeiras (meu xodó..rs) trabalho realizado pelos apenados projeto que foi respeitado pela sociedade e valorizado obra que consegui envolver de fato os orgãos da PMJ. Sinceramente espero que esta politica continue, pois quem ganhará somo nós. Abraços

  8. Roberta Schiessl, que bom vê-la por aqui no Palavra Livre! Participaste do governo como diretora executiva e presidente do IPPUJ, e sabes bem das entranhas deste governo. Carlito pagou pela inércia de seu governo, e também por ter vendido a esperança, e ter deixado com que outros não permitissem que ela se materializasse, e desconstruído que foi – volto a dizer, pela inércia do governo – não conseguiu reverter a rejeição. O povo pediu mudanças, mas não viu a mudança. O governo fez algumas coisas sim, mas mesmo as estruturantes foram mal explicadas e divulgadas à população. E ainda por cima o esconderam do povo nas crises. Deu no que deu. Obrigado por participar e comentar, abraço!

  9. Olá Margolf, bem vinda ao Palavra Livre! Pois é, não sei se faltou a ele ser mais político, até porque ele o é há mais de 20 anos, mas que faltou muita comunicação, articulação política e assessoria focada em sua obra, ah isso faltou. Demorou tanto para chegar, e foi tão rápido embora, por pura falta de humildade dele e de alguns assessores. Pena mesmo, mas a vida segue, e queremos você comentando aqui, sempre, obrigado!

  10. Parabéns Salvador, conseguiu descrever com precisão as boas iniciativas desse governo e mais ainda do caráter de Carlito Merss. Basta retroceder às matérias publicadas nos últimos 4 anos e facilmente se verificará que algumas importantes conquistas foram menosprezadas, assim como também se identificará quem o defendeu e quem se escondeu. Houve uma desconstrução do governo, mas sobretudo, uma dificuldade de assimilar as escolhas da gestão. Obras estruturais, de acesso universal em lugar de obras de ocasião, para poucos. Não é possível responsabilizar exclusivamente a imprensa. Penso que ela dá a devida importância aos fatos conforme são pautados. Confio em Carlito Merss, e sobretudo nele e tenho certeza que deu o passo tão necessário e atrasado em vários investimentos que serão reconhecidos no futuro.

  11. O que faltou ao Carlito foi ele ser um pouco mais político, faltou-lhe marketing e bons acessores nunca vi falarem tão mau de um prefeito tão bom, uma pena que não se re-elegeu.

  12. Mário Cezar da Silveira, é verdade, foi um item que esqueci e por isso peço desculpas a todos que lutaram por esse avanço. Uma das ações mais marcantes e cidadãs, talvez, desse governo que finaliza em dezembro. Obrigado mais uma vez Mário!

  13. Obrigado pela participação Jucélia de Aguiar Mendes, de minha parte buscarei sempre o equilíbrio, e a informação mais objetiva e correta possível, como sempre. Continue a participar do Palavra Livre!

  14. Salvador Parabéns!

    Fico muito feliz de ler este artigo, pois sempre achei e ainda acho muito triste a forma sistematizada de apenas criticarem o governo do prefeito Carlito.

    Sempre fui atuante voluntariamente trabalhando pela comunidade e sei diferenciar bem o que acontece numa gestão e outra.
    Na gestão do prefeito Carlito foi a 1 a. vez que fui convidada a fazer parte, sendo remunerada. Participei por aproximadamente 2 anos, sendo 10 meses na Defesa Civil, do qual criei 9 Nudec’s- Núcleo Comunitário de Defesa Civil que trabalham a prevenção e 15 meses na Conurb coordenando o programa Parceria Verde, ambos tiveram avanços bastante expressivos, comparados com os anteriores.
    Podem falar o que quiserem, mas se alguém quiser ser justo em suas avaliações, é só buscar o histórico das publicações desde a posse de Carlito até a vitória de Udo, que saltarão aos olhos a forma excluída, diferenciada, injusta e até desrespeitosa com a autoridade máxima de uma cidade, como o prefeito Carlito foi tratado.
    Quando estamos em disputa eleitoral é uma coisa, mas já como governante esperava um pouco de isenção, coisa que não houve!
    Pena Joinville não ter mais jornalistas e profissionais da mídia em geral preocupados, em descrever, avaliar e com coragem de expor em suas matérias os bastidores e históricos do antes e depois das ações ou obras do governante para que isso seja didático, a população de forma geral e esta fiquem mais esclarecidas e consiga separar o joio do trigo em tempo hábil, para fazer suas escolhas com o voto consciente e não a confusão mental que é e foi feita.
    Pode até ser ingenuidade de minha parte almejar isto, mas se saímos em passeatas contra a corrupção, se falamos em sociedade mais justas, temos que ser e exigir mais isenção e seriedade no que é passado para o povo, pois é dali também que sai os que fazem a máquina pública funcionar bem ou mal.
    Joinville é uma cidade grande, mas tem muito a evoluir em autonomia para daí, se apropriar de sua soberania!

  15. Salvador, é sempre bom quando lemos textos escritos por pessoas lúcidas e racionais, sem extremismos partidários, ranços gratuitos ou distorções de opiniões causadas pela mídia ou pela falta dela. Seu texto é um resumo de coisas que estão aí, mas não são enxergadas, pois quando o conforto se estabelece, passa a fazer parte da paisagem e não é mais notado. Só chamo a sua atenção sobre um grande avanço que tivemos no Governo Carlito e que como falei, por ser um conforto estabelecido, deixa de ser notado. Falo dos avanços em ACESSIBILIDADE. O Parque da Cidade e a Praça Tiradentes, por exemplo, são marcos que devem ser citados como referência de espaços democráticos, pois foram projetados e construídos com o conceito de “Desenho Universal”. Posso afirmar, sem medo de errar, que o Governo que finda, deixa heranças que incorporaram definitivamente os valores da acessibilidade nos arquitetos, profissionais e projetos do IPPUJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.