Índices de Preço seguem em desaceleração em maio

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), levantados mensalmente pelo IBGE, tiveram crescimento no mês de maio. Para o IPCA, a variação de 0,36% foi inferior tanto à de abril (0,64%) quanto à de maio de 2011 (0,47%).

Considerando os doze últimos 12 meses, o indicador variou 4,99%, o que representa uma desaceleração em relação aos últimos 12 fechados em abril (5,10%). Isto revela que a inflação está se diminuindo em direção à meta estipulada pelo Banco Central, que é de 4,5%.

Já o INPC variou 0,55% em maio, valor inferior aos resultados de abril (0,64%) e de maio de 2011 (0,54%). Considerando os últimos doze meses a variação foi de 4,86%, também menor que os últimos doze meses de abril, onde a variação havia sido de 4,88%.

A Fecomércio vê este atual movimento de queda na inflação como um fenômeno mundial, reflexo principalmente da desaceleração da economia chinesa e da crise na Europa.  Isto faz, no Brasil, com que os cortes na taxa Selic (atualmente em 8,5%) não acarretem em risco de inflação – com a ressalva de que não sejam adotadas medidas protecionistas, que restrinjam o repasse dos preços menores do exterior para a economia nacional.

Assim, esta conjuntura torna muito provável a ocorrência de novas quedas na taxa de juros nas próximas reuniões do Copom. Fato que a Fecomércio considera positivo, já que uma das condições necessárias para a recuperação da taxa de investimento da economia brasileira são os juros menores. Isso é extremamente importante no Brasil atual, já que somente com uma taxa de investimento elevada é possível aumentar a produtividade das empresas, para que assim elas possam gerar mais empregos e renda e, consequentemente, o desenvolvimento econômico.

Da Fecomércio

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.