Brasil doa mais de 4 milhões de doses de vacina ao Haiti

Doações são direcionadas à prevenção de tuberculose, poliomielite, difteria, tétano e coqueluche. Do total de vacinas, 1,5 milhão de doses contra a pólio será utilizada em campanha de vacinação de crianças haitianas com menos de dez anos de idade

O Ministério da Saúde doou, para o Haiti, 4.349.000 de doses de vacinas BCG (formas graves de tuberculose), Pólio (poliomielite), DPT (difteria, tétano, coqueluche) e DT (difteria e tétano). Deste quantitativo – que chegou na capital Porto Príncipe na última sexta-feira (9) – 1,5 milhão de doses de vacinas contra a pólio serão utilizadas na campanha de vacinação daquele país, que começa no próximo dia 21 de abril, direcionada a crianças abaixo de dez anos.

Para a aquisição destas vacinas, o Ministério da Saúde investiu 1,4 milhão de dólares, além de 54 mil dólares no transporte dos produtos, que contou com o apoio da Organização Panamericana da Saúde. A Opas também manterá as vacinas no armazém da entidade, em Porto Príncipe, para que elas sejam utilizadas sempre em condições adequadas.

Além das vacinas, o governo brasileiro tem apoiado a campanha de vacinação do Haiti com a aquisição de 500 caixas térmicas, três caminhões e de gás propano para manutenção dos refrigeradores, além de técnicos brasileiros envolvidos na organização e gestão da campanha. O Haiti é o país das Américas com menor cobertura vacinal. O esforço de aumentar esta cobertura, além de contribuir para diminuir a morbidade e a mortalidade entre a população haitiana, diminui o risco de circulação de doenças no continente americano.

AJUDA BRASILEIRA – A colaboração brasileira ao Haiti responde a uma série de demandas feitas ao governo brasileiro pelo Ministério de Saúde Pública e a população do país. Entre as ações coordenadas pelo Brasil está a construção de quatro unidades de saúde – três Hospitais Comunitários de Referência (HCR) e um Instituto Nacional de Reabilitação (INR) – além de capacitar médicos, agentes comunitários e técnicos em saúde do Haiti (leia mais ao final do texto).

Somente na construção desses hospitais e do INR, o Ministério da Saúde do Brasil está investindo 18,7 milhões de dólares, além de 5 milhões de dólares em equipamentos. Esses recursos correspondem a um crédito extraordinário aprovado para o Ministério da Saúde para uso específico no Haiti, aprovado pela Lei 12.239/2010.

As obras do Hospital Comunitário de Bon Repos já começaram e a previsão é que ele entre em funcionamento em setembro deste ano. O hospital servirá de referência para uma região com aproximadamente 150 mil habitantes que foram deslocados após o terremoto de 2010.

O trabalho conjunto do Ministério da Saúde do Brasil com o Ministério da Defesa do Haiti tem sido constante desde 2010 e ajuda a superar as grandes dificuldades no desenvolvimento de projetos naquele país.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL – Como parte das ações de fortalecimento da Saúde no Haiti, o Ministério da Saúde do Brasil oferecerá, a partir do próximo mês, curso de formação de agentes comunitários de saúde para os haitianos. Ao todo, serão 330 vagas em 12 turmas. A duração do curso será de cinco meses. Ainda este ano, serão promovidos cursos de formação de auxiliares de enfermagem haitianos, com duração de um ano.

Do Portal da Saúde

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.