Cidades nordestinas ainda sofrem com analfabetismo, segundo Censo 2010

Embora o índice de analfabetismo entre a população com 15 anos ou mais tenha diminuído de 13,63%, em 2000, para 9,6%, em 2010, em pequenas cidades do Nordeste, a taxa ainda atinge 28% de pessoas nessa faixa etária.

Dados dos Indicadores Sociais Municipais do Censo Demográfico 2010, divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE, o analfabetismo de jovens e idosos na Região Nordeste é preocupante. Nesses municípios, a proporção de pessoas com mais de 60 anos que não sabia ler e escrever chegava a 60%; entre os jovens, o índice dobra a média do país: 4,9%. Na Região Sul, o percentual é menor: 1,1%, e no Sudeste, de 1,5%.

O levantamento revela que, em 1.304 municípios, a taxa de analfabetismo entre jovens e adultos é igual ou superior a 25%. Entre as cidades, 32 não contavam com o Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A maioria dessa população se concentra no Nordeste, com pior situação registrada em João Dias (RN), onde 38,9% das pessoas com 15 ou mais não sabem ler e escrever.

Segundo cor ou raça na mesma faixa etária, o percentual entre negros atingiu 14,4% e, entre pardos, 13%, enquanto que, entre brancos, houve registro de 5,9%.

SRZD

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.