Doadores de medula óssea poderão ter dia de folga

Com a finalidade de valorizar as Campanhas de Doadores de Medula Óssea, tramita na Câmara dos Deputados um Projeto de Lei que concede um dia de folga, sem desconto ao salário, ao trabalhador doador que fizer a inscrição ou atualização de dados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). O PL 1140/2011 é de autoria da deputada Marina Sant’Anna (PT-GO).
De acordo com a parlamentar,  o PL incentiva a solidariedade entre os cidadãos. “A nossa proposta complementa as políticas públicas de estímulo à doação de medula óssea e contribui para que o Estado cumpra o seu dever constitucional de assegurar a saúde à população”, explicou.
Marina acrescentou também que o Redome, que serve de modelo para outros países, é o terceiro maior banco de dados de doadores de medula do mundo, com dois milhões de voluntários registrados atualmente. O País só fica atrás dos Estados Unidos (5 milhões) e da Alemanha (3 milhões).
O Redome existe desde 2000 e é administrado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca). 

Campanha
Na base da FEM-CUT/SP, os metalúrgicos do ABC são pioneiros na realização de Campanhas que valorizam a Doação de Medula Óssea, cujos doadores sendo compatíveis podem salvar milhares de pessoas que sofrem de leucemia (câncer que atinge os glóbulos brancos).
Para ser um doador é simples: é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e gozar de boa saúde. Para se cadastrar, o candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo de sua casa, onde será agendada uma entrevista para esclarecer dúvidas a respeito das doações e, em seguida, será feita a coleta de uma amostra de sangue (5 ml) para a tipagem de HLA (características genéticas importantes para a seleção de um doador). Os dados do doador são inseridos no cadastro do REDOME e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação. O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico, feito sob anestesia geral, e requer internação de, no mínimo, 24 horas. 

FEM

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.