Prefeitura e desperdício de dinheiro público, nosso dinheiro

Há alguns dias pensei em escrever sobre essas coisas que ninguém entende na administração pública, principalmente como contribuinte que paga impostos a todo momento, em qualquer situação. Passo todos os dias pelas ruas Farroupilha, Guarani e Bernardo Stamm até a rua Arnaldo Moreira Douat, trajeto para ir ao trabalho diário. Das três, duas estão tomadas pelos buracos. Todas ficam no bairro Floresta, zona sul da maior cidade catarinense.

São tantos os amigos buracos que já penso em nomes para eles, de tanto que desvio, como pilotos da Fórmula 1 desviam com rapidez nas pistas mundo afora. A diferença é que eles desviam de concorrentes, ou de pedaços de carro alheio. Eu e tantos contribuintes não: tentamos é não quebrar os eixos nos donos dessas vias, e outras pela cidade afora. Uma lástima.

Mas pior que isso é acordar pela manhã e ver as três ruas com uma faixa amarela pintada dividindo a pista! Gastar tinta em ruas que se esvaem pelos buracos? O desperdício de dinheiro público – nosso dinheiro – é tanto que até nos buracos eles pintaram! Incrível a habilidade. Agora, onde estão os administradores públicos da cidade que não veem tamanha desfaçatez?

Porque é incrível que uma rua cheia de buracos, primeiro não seja recuperada, repavimentada com qualidade, já que há servidores públicos espalhados em regionais, secretariais, e também comissionados, que devem passar todos os dias pelos mesmos buracos que nós. Ou não?

Não seria possível que os grandes administradores públicos fizessem o serviço de forma planejada, organizada, evitando jogar nosso dinheiro fora? Sim, porque deveriam antes recuperar a via, para depois sinalizar devidamente, e com tinta de qualidade, não a que usam para que à menor chuva sumam!

Espero que alguém da Prefeitura, Seinfra, Conurb, Secretaria Regional do bairro, Prefeito, vereadores, alguém que está remunerado para cuidar da cidade, veja isso com os próprios olhos. Buracos pintados com uma faixa amarela. Está lá para todo mundo ver. Respostas são obrigatórias, e ação para recuperar as ruas de forma decente e planejada, também!

Salvador Neto

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.