MEC não aplica verba para educação especial

A política do Ministério da Educação de inclusão dos alunos com necessidades especiais (PNEs) nas escolas convencionais não passa pela boca do caixa. Levantamento realizado pelo deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ) mostra que, desde 2008, não há qualquer verba no Orçamento do MEC para educação, gestão das políticas ou qualificação de pessoal para educação especial.

Além disso, apenas 50%, em média, das verbas destinadas a Desenvolvimento da Educação Especial foram pagas nos últimos cinco anos. A política de inclusão prevê o fechamento dos institutos Benjamin Constant (para cegos) e o de Educação de Surdos (Ines), o que provocou protestos de pais e educadores, que afirmam que as escolas convencionais não estão preparadas para atender às crianças e adultos com necessidades especiais.
Otávio Leite propôs, na Câmara dos Deputados, a convocação do ministro da Educação, Fernando Haddad, para uma audiência pública sobre a questão. Da reunião devem participar os diretores dos institutos especializados, além de pais e educadores. A convocação será votada próxima terça-feira.

No Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, será realizada uma passeata a favor de um “ensino inclusivo de qualidade”. Segundo os organizadores do movimento, em reunião com a Secretaria municipal de Educação, foi dito que a prefeitura não tem um projeto objetivo de educação inclusiva. A passeata sairá às 10h da Candelária, rumo à Cinelândia.

Monitor Mercantil

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

2 comentários em “MEC não aplica verba para educação especial”

  1. Lamento discordar do deputado. Sou professor de Educação Especial e estou participando de um curso de especialização com outros 3.600 colegas desde 2010.

    Conheço outros 3 cursos semelhantes contratados pelo MEC que operam só na minha região.

    Campinas, assim como outras cidades do entorno, recebeu 20 salas de recursos multifuncionais para a Educação Especial.

    Logo, é incorreta a afirmação de que não há verbas para a Educação Especial. Tudo o que falei é só parte da política em que estou inserido como professor.

  2. Parabéns ao Deputado pela preocupação com a EDUCAÇÃO ESPECIAL deste País. Concordo com a inclusão das crianças nas escolas regulares, com certeza as escolas não estão preparadas para receber esses alunos com deficiência. Sou Coordenadora do Centro de Educação Especial Profª Mª Lauretânia R. B. do Vale e Diretora da Escola do mesmo nome em AREIA BRANCA no R/N, que funciona no mesmo predio, temos 212 crianças matriculadas na Escola entre as quais 28 são deficientes, funcionamos com dificuldades principalmente porque não temos Profissionais suficientes para atender essas crianças, mas fazemos o possivel, sentimos falta de capacitação. Por ex: tinhamos um Profissional que atuava como Interprete de Libras, a mesma aposentou-se, ficando sem nenhum Profissional para substitui-la. Portanto Deputado Otávio Leite lute por nós, Profissionais da Educação Especial que trabalha com muito amor. Mais informações sobre o nosso Centro/Escola acesse: http://www.ceeslauvablogspot.com.br ou no ORKUT. CEESLAUVA ESCOLA. ou AEECEESLAUVA. Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.