Zé Dirceu fala do Zé Alencar

Pelo respeito a uma figura importante para o país, e por sua luta contra o terrível câncer e pela vida, reproduzo aqui texto do ex-deputado José Dirceu falando do ex-vice Presidente, José Alencar. De Zé para Zé:

Nosso abraço, e reconhecimento público de sua coragem, ao ex-vice-presidente José Alencar que, depois de três meses de internação para tratamento no Sírio-Libanês, deixou o hospital neste 25 de janeiro para receber comenda comemorativa do aniversário de São Paulo. A saída proporcionou-lhe um emocionado encontro com o ex-presidente Lula e com a presidenta Dilma Rousseff.

Zé Alencar nos emociona, mas não surpreende, já que esta força e otimismo sempre foram marcas suas e são, seguramente, responsáveis por ele já ter vencido muitas – com certeza, irá vencer mais – batalhas na luta que trava há anos no tratamento de câncer.

Com estas manobras, das que o levaram a sair do hospital numa alta pedida à sua rebeldia – após a cerimônia ele comunicou a seu médico que ontem ia dormir em casa – ele não só dá ânimo a gente, como renova nossa torcida e confiança de que continuará assim, firme e na luta.

Converte-se de vez em exemplo para todos nós. Vice do presidente Lula e filiado de honra do PT, Zé Alencar é para todos nos um símbolo. Conquistou a militância petista e o respeito e admiração de todo o povo brasileiro. Seu exercício na vice-presidência foi exemplar.

Garantiu ao cargo, e à instituição Presidência, a estabilidade e tranqüilidade que um Presidente da República precisa para governar. É por isso que de amigo e aliado do presidente Lula ele se transformou num companheiro durante os oito anos que passaram juntos.

Novas e bem sucedidas rebeldias, Zé Alencar!”

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.