Busscar:trabalhadores dão ultimato a direção

busscarA paciência dos trabalhadores e trabalhadoras da Busscar com seus acionistas acabou. Na manha desta quinta-feira – 1 de julho – entre 500 e 600 trabalhadores se reuniram em frente à fábrica em assembleia geral convocada pelo Sindicato dos Mecânicos para cobrar solução definitiva para os três meses de salários atrasados, décimo-terceiro de 2009 ainda sem pagamento e o descaso para com a situação de calamidade por que passam cerca de três mil famílias que em alguns casos não tem sequer o que oferecer aos seus filhos. Mais uma vez o Sindicato explicou aos trabalhadores toda a situação até o momento, e cobrou a presença do diretor-presidente ou diretores para esclarecimentos. Como já é de praxe o desrespeito para com seus colaboradores, ninguém apareceu e foi informado que o diretor-presidente está em Brasília. Através de uma carta a empresa pedia ainda mais paciência e espera, não aceitando as reivindicações apresentadas de liberação de carteira de trabalho, ou ainda venda para os credores ou abertura de capital para novos sócios. Nenhuma data de pagamento dos salários atrasados foi apresentada. A leitura da carta provocou reações fortes e vaias aos diretores da empresa.

O presidente João Bruggmann exigiu então uma reunião com responsáveis presentes, e uma comissão formada por diretores do Sindicato e mais dois trabalhadores entrou para uma reunião que durou aproximadamente uma hora. Na saída, em cima do caminhão de som do Sindicato, Bruggmann discursou indignado e contou aos presentes sobre a tentativa de adiamento da solução por parte de diretores e gerentes. “Não aceitamos mais que embarriguem um problema tão serio que é a falta de pagamento aos pais e mães de família que já não tem o que dar de comida em casa, luz e água cortados, aluguel vencido. Vamos colocar em votação a proposta de se reunir pela ultima vez aqui na próxima quarta-feira (7/7) às 9 horas para decidir sobre o pedido de falência e liberação dos trabalhadores para que sigam suas vidas e tenham direito ao seguro-desemprego e FGTS. Só sairemos daqui com uma solução final. Acabou a palhaçada”, falou Bruggmann. A proposta foi aceita e aprovada por unanimidade. Cada trabalhador vai buscar um outro para levar a assembleia do dia 7.

A Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT foi comunicada da decisão pelo presidente João Bruggmann ainda na mesa de reunião dentro da Busscar de que a posição estava tomada: se até terça-feira não pagarem salários atrasados, se não abrir o capital e deixar entrar novos sócios ou os próprios credores, o Sindicato vai pedir a falência da Busscar para que os trabalhadores se libertem e possam seguir em frente. Sabe-se que em Brasília o diretor-presidente foi comunicado da decisão final do Sindicato e trabalhadores. Talvez com essa posição dura e final apareçam soluções, novos sócios, ou então a novela triste da crise Busscar vai acabar melancolicamente por conta da teimosia de seus acionistas.

A nova assembleia geral esta marcada para o dia 7 de julho, quarta-feira, a partir das 9 horas em frente à fábrica com a presença de todos os trabalhadores e trabalhadoras.

Fonte site: Sindicato Mecânicos

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.