Risco e arriscado: qual a diferença?

dinheiro-como-ficar-dinheiro-perder-emprego-460x345-brDa agente de investimentos e colaboradora do blog Palavra Livre, Janayna da Costa, publico mais um texto esclarecedor e instigante sobre o mercado financeiro com o título acima:

“Muitas pessoas, na hora de investir, esquecem de calcular todos os riscos envolvidos na operação, estão preocupadas apenas com o quanto poderão ganhar. Por este motivo, a maioria prefere algo com certeza de ganho e que seja seguro como a poupança ou o CDI, este é o motivo da preferência pela renda fixa. Entretanto, será que a renda fixa está livre do risco de perder dinheiro?

O que é risco? Risco é não sabermos precisamente o que poderá acontecer com o investimento. Segundo o Dicionário Michaelis, risco é a possibilidade de perigo, incertos mas previsíveis, que ameaça de dano a pessoa ou a coisa. Incertos mas previsíveis, este é o segredo oculto do risco. Antes de fazer qualquer investimento, você deve estar ciente de todos os possíveis riscos envolvidos, e se (somente se) algo acontecer você precisa ter um plano de saída antes mesmo de ter investido.

Por exemplo: vou investir R$ 10.000,00 em ações da Petrobrás S.A. (PETR4), mas como entendo o mercado de ações e sei quais são os riscos envolvidos nessa operação, limitei meu risco de perda em 2%, ou seja, estarei disposta a perder R$ 200,00 se o investimento não andar conforme o planejado. Resumindo, se as ações caírem após a compra, eu terei vendido as ações com uma pequena perda, protegendo o restante do meu capital, e utilizando os pontos de compra da Análise Técnica para fazer esse investimento.

Se você quer obter ganhos superiores aos da renda fixa, você deve correr riscos calculados, medir as possíveis conseqüências positivas e negativas de seu investimento, e ter sempre em mãos um plano de saída caso o mesmo não dê certo. Esse plano de saída protegerá o seu capital caso eventos piores aconteçam limitando, assim, sua perda. Dois bons livros que podem ajudar nesse caso são, Investimentos: Os segredos de George Soros e Warren Buffett, de Mark Tier, e Pai Rico Pai Pobre, de Robert Kiyosaki.

O que é arriscado? Arriscado é investir e não saber no que está investindo. É colocar o seu dinheiro nas mãos de outra pessoa e não saber o que é feito com o dinheiro. Arriscado é investir na ignorância. Muitas pessoas investem na poupança porque acham que é o investimento mais seguro do mundo. O que elas não sabem é que não tem como ganhar dinheiro sem correr o risco de perder dinheiro. Não estou dizendo que a poupança seja um mal investimento (entretanto, neste exato momento é um péssimo investimento), estou chamando a atenção para que você possa saber se está ganhando dinheiro com este tipo de investimento.

Um exemplo: no mês de fevereiro de 2010 a poupança fechou com um rendimento de 0,5179% na última sexta-feira útil do mês, agora quanto foi a inflação do mesmo mês? Segundo notícia publicada hoje no  site Investimentos e Notícias http://indexet.investimentosenoticias.com.br, o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou variação de 1,09% no mesmo mês.  Rendimento de 0,5179% contra uma inflação de 1,09%, isso é ganhar dinheiro? Os rendimentos da poupança não chegam a pagar a inflação do mês, conclusão, os brasileiros que investem na poupança agora perdem dinheiro. Um bom jeito para saber se os seus investimentos são rentáveis é comparar à inflação.

A instrução é a melhor maneira para começar a ganhar dinheiro. Invista na sua educação financeira. Tenha sempre em mente…, a melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro É VOCÊ MESMO! Uma ótima semana a todos e até a próxima!”

Por Janayna da Costa, Agente Autônomo de Investimentos, janayna.eloterio@gmail.com

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.