É por essas e outras que a política cai em descrédito – 1

Esse novo episódio do “rasga-promessas”, um dramalhão mexicano daqueles piores que se encontram zapeando os canais na televisão aberta, que se desenvolve em Joinville tendo como atores principais o atual Prefeito Carlito Merss (PT) e o deputado estadual Kennedy Nunes (PP), ex-candidato a Prefeito nas eleições de 2008, é mais um ato que corrói a confiança nos políticos. Aliados no segundo turno, ambos selaram um pacto – baixar a água e nao aumentar transporte coletivo – prometendo as mudanças para a sociedade joinvilense. Que nada mais seria igual. Tudo mudaria, mais respeito ao cidadao, etc. É só rever os programas televisivos da dupla. E o povo acreditou. 

Iniciou o governo, dividiram os cargos. Primeira encrenca, o aumento da água que é municipalizada. Diz que me diz prá lá e prá cá, um negou o outro e suas propostas. Um disse que não lembrava disso. O outro, que foi alguém que editou aquele programa, ele não tinha prometido isso. Desgaste. Frustração. Do povo. Eles? Reafirmaram o pacto. Um dizendo que tudo continuava como antes no reino de Abrantes. O outro reafirmando que se o Prefeito aumentasse o ônibus, aí sim, romperia. E dizia mais: se ele anunciasse o aumento, mas sinalizasse com subsídio público, ele não romperia! Uma tragédia! 

Eis que o Prefeito Carlito aumenta, e acima da inflação, a passagem do transporte coletivo. E o casamento acaba, ruidoso, e como se diz no palavreado popular, virou um “barraco” geral. Assistindo a tudo isso? A população joinvilense, cada vez mais desacreditada nos políticos. Afinal, em quem acreditar após tanta promessa de pessoas que se autodenominavam “puros”, novidade?

Autor: Salvador Neto

Jornalista, escritor, e consultor. Editor do Palavra Livre, apresentou o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET entre 2012/2014 e vários programas de rádio em SC. Tem mais de 30 anos de experiência nas áreas de jornalismo, comunicação, marketing e planejamento. É autor dos livros Na Teia da Mídia (2011) e Gente Nossa (2014). Tem vários textos publicados em antologias da Associação Confraria das Letras, onde é membro fundador e foi diretor de comunicação. Como freelance, escreve para vários veículos de comunicação do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.